PUBLICIDADE
Topo

Nossa Viagem

Estação de esqui recorre a neve trazida de helicóptero para cobrir pistas derretidas

Funcionários trabalham para trazer neve para a pista de esqui ao resort Luchon-Superbagnères - Anne-Christine Pujoulat/AFP
Funcionários trabalham para trazer neve para a pista de esqui ao resort Luchon-Superbagnères Imagem: Anne-Christine Pujoulat/AFP

17/02/2020 09h01

Conselho local diz que medida preservou 80 empregos, mas grupo ambientalista afirma que estratégia agrava aquecimento global e privilegia elite

Um resort de ski na França tem usado helicópteros para transportar neve que será usada para cobrir trechos secos da pista.

As temperaturas passaram de 10ºC na região. E para meteorologistas, temperaturas amenas e escassez de neve estão associadas ao aquecimento global.

Para contornar isso, quase 50 toneladas de neve foram coletadas de montanhas mais altas e despejadas nos trajetos usados por crianças e esquiadores iniciantes no resort Luchon-Superbagnères, nos Pirineus.

A operação para manter abertas pistas de esqui custou ao conselho local o equivalente a cerca de R$ 23 mil.

Hervé Pounau, diretor do órgão, afirmou que o investimento valeu a pena.

"Nós não vamos cobrir a estação inteira de neve, mas sem isso teríamos que fechar grande parte da região de esqui. Nesse período, temos bastante atividades para iniciativas e escolas de esqui", afirmou.

Recessos escolares em fevereiro e março costumam ser os períodos mais cheios em resorts de esqui na França.

Pista de esqui em tempos de neve abundante no Luchon-Superbagnères - Reprodução/TripAdvisor
Pista de esqui em tempos de neve abundante no Luchon-Superbagnères
Imagem: Reprodução/TripAdvisor

Segundo Pounau, a operação de transporte de neve protegeu o emprego de quase 80 pessoas, entre elas operadores de teleféricos, professores e cuidadores.

Mas, por outro lado, a estratégia recebeu críticas de grupos ambientalistas.

"Em vez de se adaptar a aquecimento global, nós acabaremos multiplicando o problema: algo que custa um monte de energia, que contribui em peso para o aquecimento global e que apenas uma pequena elite pode bancar. O mundo está de cabeça para baixo", afirmou Bastien Ho, do grupo Europe Écologie Les Verts (EELV).

Pounau admitiu que o transporte de neve não era uma solução "particularmente ecológica", mas disse "não ter alternativa".

Diversos resorts de esqui nos Pirineus têm vislumbrado um futuro cada vez mais incerto, já que uma quantidade menor de neve resulta em um número menor de visitantes.

Neste mês, o resort de esqui de Le Mourtis foi obrigado a fechar temporariamente suas pistas, impactando a economia local em torno da atividade turística.

Temperaturas mais amenas têm derretido a neve em altitudes menos elevadas. Segundo o serviço nacional de meteorologia da França (Meteo-France), o país registrou o janeiro mais ameno desde 1900.