PUBLICIDADE
Topo

Às margens do Índico, Perth é a Austrália mais próxima do Brasil

EDUARDO VESSONI

Colaboração para o UOL Viagem, de Perth *

05/12/2011 07h00

Metrópoles com vida noturna agitada, praias com ondas cobiçadas pelos amantes do surfe e uma cultura aborígene que encanta, literalmente, os visitantes. Há tempos, a distante Austrália é um dos destinos que mais atraem viajantes do Brasil durante férias em território estrangeiro.

Para quem vem do lado de cá do planeta, Perth é a primeira grande cidade australiana que conta com um aeroporto internacional e que parece ainda não ter sido descoberta pela maioria dos brasileiros que desembarcam naquele país-continente.

Localizado na costa oeste do país, em posição estratégica que favorece quem vem do Brasil e ajuda a economizar algumas horas na longa viagem até a Austrália, esse destino de 1,6 milhão de habitantes é uma tranquila cidade às margens das águas turquesas do oceano Índico e é considerado uma das capitais mais isoladas do planeta.

Ainda assim, Perth consegue ser uma profusão de possibilidades turísticas que agrada a todos os estilos de viajantes.

Como todo o resto da selvagem Austrália, a lista de atividades é grande e por pouco não cabe na agenda de quem passa apressado. Passeios de barco pelo Swan River, visita à histórica e descolada Fremantle, pedaladas em uma ilha paradisíaca onde apenas bicicletas são permitidas, além de uma longa faixa de areias finas e brancas que só o Índico é capaz de oferecer.

O destino é uma das maiores cidades do país e, nos últimos anos, tem recebido investimentos nos setores imobiliário e de serviços que transformaram esse destino de clima de interior em uma opção turística com excelente infraestrutura para receber bem os 100 mil visitantes diários que desembarcam na região.

O custo de vida em Perth pode assustar os bolsos mais apertados e os preços parecem, levemente, mais elevados do que os praticados em outros destinos da já cara Austrália. Mas, por sorte, muitos atrativos locais têm entrada gratuita e o eficiente sistema integrado de trens e ônibus facilita os deslocamentos terrestres.

A melhor época para visitar Perth, a capital do maior estado australiano (Western Australia), é durante os meses mais quentes, cuja temporada vai de setembro a novembro e de março a maio.

Conheça algumas das principais atrações do destino.

AQWA
O maior aquário da Austrália é um dos passeios mais impressionantes da cidade. A atração mais visitada é o túnel circular equipado com uma esteira rolante que circunda um tanque com, aproximadamente, três milhões de litros de água que abriga animais encontrados ao longo dos 12 mil km da costa oeste do país, desde o oceano sul até Kununurra, no distante norte australiano. Tubarões, tartarugas gigantes, arraias e centenas de peixes podem ser vistos no local. Os visitantes contam ainda com a possibilidade de um contato mais próximo com os animais em atividades imperdíveis como o fascinante mergulho entre tubarões do aquário, um passeio de 30 minutos no tanque local, e o Reef Walker, caminhada com tubo de oxigênio sobre a superfície de um aquário com diversos recifes de corais. Entrada paga. www.aqwa.com.au

  • Eduardo Vessoni/UOL

    Vista dos jardins da Government House, construção de 1863 que faz parte do belo centro histórico de Perth

Centro histórico
Embora seja uma das capitais mais jovens do país, fundada em 1829, a cidade preserva edifícios de estilo colonial que valem a visita, ainda que do lado de fora. Não deixe de visitar os jardins da Corte Suprema; a bela Government House, construção de 1863; e a ousada Council House, construção de estilo minimalista de 1960 cujas bordas das janelas recebem uma iluminação especial à noite.

Fremantle
Localizada a apenas 19 km de Perth, uma agradável viagem de 30 minutos de trem, essa pequena cidade multicultural não se parece nada com a movimentada vizinha. O destino é conhecido pelas ruas estreitas, como a central George Street, com construções bem preservadas do século 19 que deram ao lugar o título de cidade com maior número de edifícios declarados patrimônios do oeste australiano. Na High Street e arredores, o viajante encontra também descoladas lojas de CDs usados com acervos que costumam surpreender os compradores, galerias de arte aborígene fina e restaurantes de comida natural.

As paradas obrigatórias são o Fremantle Markets (Esquina das ruas Henderson e South Tcesex; das 9h/20h; sáb. e dom. das 9h/18h; entrada grátis; www.fremantlemarkets.com.au) e a Fremantle Prison (1, The Terrace; diariamente, das 10h às 17h; entrada paga; www.fremantleprison.com.au)

O primeiro é um mercado icônico de 1897, que reúne mais de 150 boxes com produtos orgânicos, artesanato e praça de alimentação com restaurantes de comida internacional. O passado carcerário de Freo (como o destino é conhecido entre os australianos) está representado na Fremantle Prison, edifício construído com calcário esculpido por detentos em 1850. A atração pode ser visitada em divertidos tours guiados pelas instalações ou pelos túneis subterrâneos a 20 metros de profundidade.

Kings Park
Símbolo verde da cidade, esse parque de 400 hectares próximo ao centro abriga lagos, eucaliptos gigantes, uma torre de observação com 15 metros de altura em forma de uma cadeia de DNA, um jardim botânico com três mil espécies típicas da Austrália ocidental e diversas trilhas, como a Lotterywest Federation Walkway, caminhada entre as copas das árvores. Entrada gratuita.

Northbridge
A vida noturna de Perth acontece nesse simpático bairro de estilo europeu ao norte da cidade e abriga concorridos pubs e restaurantes de cozinha internacional, galerias de arte e museus, como a Art Gallery of Western Australia, com um variado acervo de arte aborígene, e o histórico Western Australian Museum.

Praias
As águas calmas do Índico já são motivo suficiente para o visitante passar um dia inteiro em uma das 19 belas praias de areias finas e claras de Perth. Destaque para a Sorrento Beach, praia de ondas fortes do lado do aquário da cidade; a popular Cottesloe Beach e seu concorrido boulevard com cafés e restaurantes; e Mettam, praia com uma piscina natural rodeada por recifes.

  • Eduardo Vessoni/UOL

    Visitantes tomam sol em The Basin, uma das faixas de areia mais procuradas de Rottnest, ilha paradisíaca a uma hora de Perth

Rottnest
Conhecida também como Rotto, essa ilha paradisíaca a uma hora de barco de Perth ou 30 minutos de Fremantle é a mais famosa atração natural da região, sobretudo por suas 63 praias de águas turquesas que abrigam áreas para surfe e piscinas naturais para prática de snorkeling. O local, que abrigou os primeiros colonos ingleses da costa oeste da Austrália e serviu como penitenciária para aborígenes, possui 11 km de comprimento e abriga rotas para caminhadas e prática de ciclismo, uma vez que em Rottnest não são permitidos automóveis.

Essa ilha de formação calcária, separada do continente há sete mil anos, abriga lagos de sal, 1500 espécies de plantas nativas e 400 tipos de peixes. Porém, o anfitrião animal mais famoso são os simpáticos 'quokkas', um pequeno marsupial que deu nome à ilha devido a sua equivocada comparação com os ratos, daí o nome Rootnest ('rat's nest' ou 'ninho de ratos', em português dado por um navegador europeu.

Os barcos até o destino são operados pela Rottnest Express (www.rottnestexpress.com.au) e Rottnest Fast Ferries (www.rottnestfastferries.com.au). 

Swan River
Em Perth, a vida passa tão lenta quanto às águas calmas e azuladas do Swan River, rio local que abraça o centro financeiro da cidade, uma das primeiras paradas obrigatórias para quem acaba de chegar. É do píer do Barrack Square que saem os barcos para ilhas próximas e de onde se tem uma vista exclusiva dos arranha-céus que começam a surgir na cidade.

The Bell Tower
Essa moderna torre de vidro com seis níveis abriga 12 sinos do século 14 que foram doados pela Inglaterra. Os destaques são a vista panorâmica que se tem a partir dos decks de observação e um sino de 1550, declarado o mais antigo da Austrália. Entrada paga. www.thebelltower.com.au

SERVIÇO

Como chegar

Localizada na costa oeste, Perth é a Austrália mais perto do Brasil (não há voos diretos de São Paulo a Melbourne, que estaria mais próxima do nosso continente em distância), o que significa economizar algumas horas na longa viagem entre os dois países. A rota mais rápida é via África do Sul e inclui conexão em Johannesburgo, um deslocamento que dura, no mínimo, 24 horas.

Circulando

Perth e Fremantle contam com um serviço gratuito de transporte circular, conhecido como Cat, que contempla os principais pontos turísticos da cidade. Divididos por cores que indicam o roteiro, os ônibus passam a cada 15 minutos. Mais informações em: www.transperth.wa.gov.au

Informações turísticas

www.cityofperth.wa.gov.au

www.westernaustralia.com

* O jornalista Eduardo Vessoni viajou à Austrália a convite da South African Airways