PUBLICIDADE
Topo

Suspensão de voos com Brasil gera situações dramáticas para brasileiros em Portugal

Voos para o Brasil foram suspendidos - Creative Commons
Voos para o Brasil foram suspendidos Imagem: Creative Commons

29/01/2021 11h12

A situação de muitos brasileiros que tiveram seus planos desfeitos depois que Portugal suspendeu todas as ligações aéreas com o Brasil é dramática. A medida preventiva contra a variante brasileira da Covid-19 entrou em vigor às 00h00 de hoje (29). Durante duas semanas, serão permitidos "voos de natureza humanitária para efeito de repatriamento".

Fábia Belém, correspondente da RFI em Lisboa

A brasileira Andréia de Paula e o namorado estavam com tudo pronto para passar uma temporada no Brasil. No domingo (31), entregariam as chaves do apartamento onde moram, em Lisboa, e dormiriam duas noites na casa de amigos. Na terça-feira (02/02), os dois embarcariam para Goiânia, onde ficariam três meses. Foi um susto quando souberam da notícia de que a partir das 00h00 de hoje (29), Portugal suspenderia todas as ligações aéreas com o Brasil. A medida ficará em vigor até 14 de fevereiro.

"A gente tá sem moradia", ressalta Paula. O casal comprou as passagens em uma agência de viagens online. O regresso seria em um voo de uma companha aérea brasileira, mas eles não estão conseguindo nem mudar a data da viagem. "Está um jogando para o outro", reclama.

Andréia e o namorado vivem em Portugal há quase dois anos. Antes da pandemia, os dois trabalhavam no setor de turismo, dirigindo um "tuk-tuk". Atualmente, ela está desempregada. O namorado havia conseguido emprego num posto de gasolina, mas por causa da viagem para o Brasil, não renovou o contrato, que termina no final deste mês. "A gente não estava esperando por isso", lamenta a brasileira.

"Frustação, tristeza, desânimo"

De férias em Portugal, o pai, a mãe e a sogra de Luiz Eduardo Jr. já estavam com tudo preparado para voltar para o Recife. O voo estava marcado para sábado (30). Luiz, que mora na cidade de Aveiro e está hospedando a família em sua casa, conta que todos foram pegos de surpresa.

"Bate o desespero, bate a preocupação", revela o recifense, que trabalha como operador fabril.

A agência de viagens, onde a família de Luiz comprou as passagens, sugeriu que todos adquirissem novos bilhetes com outras rotas, "mas os valores [são] muito altos, um absurdo, e a gente não se programou [financeiramente] pra isso", explica.

Luiz conta que o pai é pedreiro e se não voltar ao trabalho na primeira semana de fevereiro "corre o risco de perder o emprego". Os remédios para diabetes e hipertensão que a sogra trouxe para passar as férias "também já estão se esgotando".

No e-mail que recebeu do Consulado-Geral do Brasil em Lisboa, Luiz foi informado "de que não tem data prevista para um voo de repatriamento". O brasileiro diz que "simplesmente, a gente não sabe mais a quem recorrer e o que fazer", desabafa. O sentimento é de "frustração, tristeza, desânimo".

No Brasil

Debora Costa Araújo está em Natal e já havia comprado passagem para retornar a Portugal na segunda-feira (1°). Doutoranda na Universidade de Coimbra, ela precisa entregar a proposta da tese no final de fevereiro.

Ao entrar em contato com a companhia aérea, foi informada de que poderia alterar a data do voo, desde que o regresso seja depois do dia 14 de fevereiro. "Estou preocupada por não saber se isso [o fim do prazo da medida] vai ser prorrogado ou não", salienta.

Quando procurou o Consulado de Portugal na capital do Rio Grande do Norte, Débora foi informada de que "eles vão realizar uma triagem para definir quem deverá regressar nos voos de repatriação".

"Me sinto frustrada", diz a brasileira, ao se referir à situação desencadeada pela suspensão dos voos.

Suspensão dos voos

A suspensão de todas as ligações aéreas com o Brasil foi comunicada pelo ministério da Administração Interna (MAI) na quarta-feira (27). A medida entrou em vigor a partir das 00h00 de hoje (29) e até 14 de fevereiro, em função da "evolução da situação epidemiológica a nível mundial, o aumento dos casos de infeção por SARS-CoV-2, em Portugal, e a detecção de novas mutações do vírus", diz o Governo.

A decisão inclui todos os voos "comerciais ou privados", de todas as companhias aéreas. O governo português já havia aplicado medidas semelhantes com o Reino Unido. Portugal não é o único país a suspender os voos com o Brasil.

Exceções

De acordo com o comunicado, estarão permitidos "os voos de natureza humanitária para efeito de repatriamento" dos cidadãos nacionais e titulares de autorização de residência em Portugal. Ainda no contexto de repatriamento, também vão estar autorizados a embarcar nestes voos, cidadãos nacionais ou com residência legal na União Europeia e nos estados associados ao Espaço Schengen.

No Brasil, todos os passageiros deverão apresentar um comprovante de que foram submetidos a um "teste PCR para detectar a infeção por SARS-CoV-2 com resultado negativo, realizado nas 72 horas anteriores à hora do embarque".

Ao chegar em Portugal, as pessoas deverão, obrigatoriamente, cumprir um período de 14 dias de quarentena em casa ou em um local indicado pelas autoridades de saúde. Esta medida só não vale para quem estiver em trânsito. Neste caso, o cidadão deverá aguardar o embarque para o destino final em local no interior do aeroporto.

Situação epidemiológica

De acordo com o último boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde, Portugal registrou na quinta-feira (28) mais 303 mortes e 16.432 novos casos de infecção pelo novo coronavírus. Há 6.565 doentes hospitalizados, dos quais 782 estão em Unidades de Terapia Intensiva (UTI).