PUBLICIDADE
Topo

'Porteiro' do Vaticano conduz tour grátis que abre museus e Capela Sistina

Gianni Crea, o Guardião das Chaves dos Museus do Vaticano - Reprodução/Get Your Guide
Gianni Crea, o Guardião das Chaves dos Museus do Vaticano
Imagem: Reprodução/Get Your Guide

De Nossa

25/06/2022 14h13

Católicos, fãs de arte e apaixonados pela cultura romana podem passear pelos Museus do Vaticano antes mesmo de abrirem, oficialmente.

O roteiro, que é guiado pelo Guardião-Chefe das Chaves, Gianni Crea, começou este mês pouco antes do amanhecer — quando ele, que é sempre a primeira pessoa no local, está chegando por lá para abrir as portas.

Este novo passeio mais descongestionado dos públicos que geralmente disputam espaço nas galerias foi concebido pelo próprio Gianni, que guarda as 2.797 chaves dos Museus do Vaticano, inclusive da Capela Sistina, há quase 25 anos. Diariamente, ele libera o acesso de visitantes e acende as luzes para mais de 20 mil peças das coleções permanentes de arte da Igreja Católica.

Há alguns anos, o roteiro antes do amanhecer começou a acontecer apenas para grupos exclusivos, fechados, que contratavam o serviço à parte em datas limitadas e a altos preços. No entanto, desde 14 de junho — e durante uma temporada inicial que deve se estender até outubro — a experiência é gratuita.

Os passeios antes do amanhecer pelos Museus do Vaticano acontecerão em datas selecionadas a partir de junho - Divulgação/Direzione dei Musei - Divulgação/Direzione dei Musei
Ingressos esgotados: os passeios antes do amanhecer pelos Museus do Vaticano terão novas datas, com vagas limitadas
Imagem: Divulgação/Direzione dei Musei

Os ingressos para o primeiro tour, dia 14, começaram a ser distribuídos através da plataforma de reservas GetYourGuide e se esgotaram rapidamente. Para o próximo, dia 12 de julho, as reservas serão abertas na próxima segunda-feira (27). Também estão previstas visitas nos dias 14 de setembro e 19 de outubro — vale ficar atento ao site para saber quando os novos lotes de ingressos serão disponibilizados.

Gianni Crea chega às 4h55 para buscar as chaves e abrir as portas uma hora depois - Divulgação/Direzione dei Musei - Divulgação/Direzione dei Musei
Gianni Crea chega às 4h55 da manhã para buscar as chaves e abrir as portas uma hora depois
Imagem: Divulgação/Direzione dei Musei

Todos os passeios, segundo Crea, devem começar às 5h55, quando ele efetivamente inicia sua ronda. Geralmente, ele chega aos museus bem antes, 4h55, para buscar as chaves no cofre em que ficam seladas, evitando que a ferrugem as corroa.

Os turistas acompanham a ronda matinal de Gianni pelos Museus do Vaticano - Divulgação/Direzione dei Musei - Divulgação/Direzione dei Musei
Os turistas acompanham a ronda matinal de Gianni pelos Museus do Vaticano
Imagem: Divulgação/Direzione dei Musei

Dentre as milhares de chaves, Crea destaca a importância de um particular molho de que é responsável: as doze chaves utilizadas por ele durante os conclaves papais, que fecham todas as portas dos museus interrompendo o acesso à Capela Sistina para que os Cardinais possam se reunir para eleger um novo Papa.

Visitantes durante o tour pela Capela Sistina - Divulgação/Direzione dei Musei - Divulgação/Direzione dei Musei
Visitantes durante o tour pela Capela Sistina
Imagem: Divulgação/Direzione dei Musei

A chave da própria capela, aliás, recebe um cuidado especial: ela é selada em um envelope à parte todas as noites, é assinada pelos onze guardiões e pela administração e guardada em um cofre separado.

"Mesmo pessoas que não são religiosas de maneira alguma, quando elas entram na Capela Sistina, há algo tão mágico neste lugar, tão emocionante que elas experimentam a espiritualidade na História", opinou ainda à publicação.