PUBLICIDADE
Topo

Aérea de baixo custo chega ao Brasil; veja comparação de preços de rotas

Viva Air, a colombiana de baixo custo inicia suas operações no fim de junho em São Paulo - Reprodução/Twitter
Viva Air, a colombiana de baixo custo inicia suas operações no fim de junho em São Paulo Imagem: Reprodução/Twitter

De Nossa

23/06/2022 10h24

A companhia colombiana Viva, que se denomina "ultra low cost" ou de baixíssimo custo, anunciou o início das suas operações no Brasil. O voo inaugural está programado para acontecer nesta quinta (23).

Inicialmente, a operação se dará apenas com saídas do Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, com três voos semanais diretos para Medellín, "hub" da aérea, a cidades como Miami, nos EUA; Punta Cana, na República Dominicana; Cancún e Cidade do México, no México; e destinos litorâneos colombianos como Cartagena, Santa Marta e San Andrés.

Cada trecho será realizado por aeronaves modelo A320neo, com capacidade para 188 passageiros. A expectativa da Viva é comercializar bilhetes até 35% mais baratos em relação às concorrentes para os destinos internacionais com saída do Brasil.

Comparações com outras aéreas

Nossa simulou voos de ida e volta entre São Paulo e Medellín entre 5/7, terça-feira, e 14/7, quinta-feira — dias em que aviões da Viva partem da capital paulista — e comparou os preços oferecidos pela novata e por veteranas.

Sem direito a bagagem de mão de até 12 kg, o custo do bilhete é de R$ 1.646 pela Viva. Já com a mala, o valor sobe para R$ 2.120, ambos os valores referentes a voo direto de 6h.

Em comparação com as companhias nacionais, a Azul, por exemplo, não tem oferta para o destino. Já seus parceiros não têm voos disponíveis para a data. O mesmo trajeto pela Latam envolve duas escalas na ida e uma na volta e o custo seria de R$ 8.140, com viagens superiores a 12h.

O motivo da economia da modalidade 'ultra low cost' é a oferta de voos sem taxas referentes à bagagem de mão - Getty Images/iStockphoto - Getty Images/iStockphoto
O motivo da economia da modalidade 'ultra low cost' é a oferta de voos sem taxas referentes à bagagem de mão
Imagem: Getty Images/iStockphoto

Para a Gol, o cenário mais econômico seria optar pelo retorno em 12/7, outra terça. O total seria R$ 6.400, com conexões em ambos os trechos — operados pela parceira Avianca.

A companhia internacional que disponibiliza bilhete mais competitivo é a Copa Airlines, por R$ 6.269, com uma escala na Cidade do Panamá na ida e outra na volta.

Quando outro trajeto é proposto — entre São Paulo e Punta Cana — com saída em 7/7, quinta-feira, e retorno uma semana depois, em 14/7, a versão mais econômica sem bagagem de mão pela Viva Air sai por R$ 2.432, com uma conexão em Medellín tanto na ida quanto na volta. Levar a mala eleva o preço para R$ 3.065.

A Azul não oferece oferta de voos, nem através de parceiros, para o período ou em datas flexíveis ao redor das sugeridas. Este é o mesmo caso da Gol. A opção mais econômica da concorrência é da Latam Brasil por R$ 6.319 com duas escalas em Assunção e Lima na ida e outras duas, em Lima e no Galeão, no Rio, na volta.

Oferta de destinos

Os voos da Viva em São Paulo terão frequências semanais, saindo às terças, quintas e domingo para Medellín. A empresa projeta 50 mil passageiros em seu primeiro ano de operações aqui.

Fora do país, a companhia já oferece 45 rotas domésticas na Colômbia e Peru; além de 13 rotas internacionais para os Estados Unidos, México, Peru, República Dominicana, Argentina e, agora, para o Brasil. Os bilhetes com partida de Guarulhos já estão à venda por meio do site www.vivaair.com.