PUBLICIDADE
Topo

Filho convence chef estrelado a participar de vídeos de receitas no TikTok

Patrick e Louis em frente às câmeras; e Daniel só de olho - Rubens Cavallari/Folhapress
Patrick e Louis em frente às câmeras; e Daniel só de olho Imagem: Rubens Cavallari/Folhapress

Gabrieli Menezes

De Nossa

16/06/2022 04h00

Não foi nada tão pensado. Louis Bragato, de 10 anos, pegou o celular e começou a gravar uma cena do cotidiano: o pai cozinhando. Como quem já sabia o que estava fazendo, tomou para si o papel de apresentador e roteirista e deixou para Patrick, chef franco-brasileiro, a filmagem e a execução das receitas.

Bem no auge da pandemia — e do TikTok —, a ideia se provou um bom lazer em família para os tempos de clausura. Mais do que isso, transformou-se no projeto que atende pela arroba "Pai, tô com fome!", com mais de 340 mil fãs, e que abriu novos caminhos tanto para Louis quanto para Patrick.

Em dois anos, foram 243 vídeos curtos publicados. A linguagem infantil do filho, que vem ganhando toques de pré-adolescente, dá o tom de leveza para os preparos com ingredientes que nem sempre estão na despensa e para a rígida técnica que o pai adquiriu ao estudar na Ferrandi, uma das melhores escolas de gastronomia de França.

Na prática, isso significa que no meio da receita de creme de palmito pode surgir Patrick apanhando da pupunha, que o quindim ganhará um jingle parafraseando uma música da Ludmilla e que as etapas de produção do chocolate serão explicadas na voz do Wing, um porco-espinho de pelúcia que é o Louro José da dupla.

Patrick e Louis - Instachef - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Louis cria o roteiro...
Imagem: Arquivo pessoal
Patrick e Louis - Instachef - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
... dos vídeos divertidos
Imagem: Arquivo pessoal

Alguns conteúdos com pegadinhas ao estilo Lucas Neto entram no feed para revezar com a torta de maçã, a focaccia e o bife à milanesa.

Mas o que costuma ser um prato cheio para o algoritmo são as comidas mais bizarras, cujas sugestões saem da cachola do Louis, para o desespero de Patrick, que aplica o seu aprendizado de restaurantes premiados em sanduíche de miojo, Doritos caseiro e sorvete tipo o do McDonald's.

Patrick Bragato e Louis - Rubens Cavallari/Folhapress - Rubens Cavallari/Folhapress
Louis: dos 10 aos 12 no "Pai, tô com fome!"
Imagem: Rubens Cavallari/Folhapress

A criatividade de um, a destreza do outro e a intimidade dos dois em frente à câmera, chamou a atenção do público, das marcas e das agências. Duas empresas cariocas e três paulistanas se colocaram à disposição para fazer da diversão da família um negócio.

Mas não foi esse o caminho que escolheram. "A conta cresceu muito e rápido de forma orgânica nos primeiros seis meses. Depois disso, percebemos que seria um trabalho de verdade e decidimos ficar só na diversão".

A decisão foi sábia se pensar que com o alívio das contaminações pelo coronavírus a escola de Louis voltou para o presencial. Estudando de manhã até o fim do dia, as publicações pararam de ser diárias.

O nosso combinado é: quer gravar, grava. Não quer, não grava. Justamente para deixar o Louis crescer com as suas vontades, tranquilo, sem colocar pressão desnecessária".

Patrick Bragato e Louis - Rubens Cavallari/Folhapress - Rubens Cavallari/Folhapress
Filho mais novo de Patrick adora cozinhar
Imagem: Rubens Cavallari/Folhapress

Falando assim parece até que o que era para ser um estouro não foi para frente. Mas não é bem assim.

Nessas aventuras na cozinha, Louis descobriu um lado artístico que lhe rendeu audições para TV e uma bolsa de estudo num curso de teatro. Também pretende continuar produzindo conteúdo, cada vez mais por conta própria.

Até o irmão mais novo, Daniel, de 8 anos, que vez ou outra fica nos bastidores, se alimentou com o projeto. "Ele adora cozinhar. Outro dia fez uma salada do nada que ficou maravilhosa". Já Patrick adquiriu a habilidade que entendia que lhe faltava — a comunicação.

Chef desconstruído

Patrick e Louis - Instachef - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Patrick, Louis e Wing, o porco-espinho
Imagem: Arquivo pessoal

Filho de brasileiro e francesa, Patrick cresceu no país europeu. Fez ensino superior na área de negócios, mas demorou para se achar numa profissão. "Meu sonho da vida sempre foi fundar uma família. Casei no Brasil com 20 anos e fomos para a França".

O estalo para entrar na gastronomia aconteceu quando recebeu um amigo chef confeiteiro para jantar. "Ele disse: 'essa comida não é de dona de casa'". Com a pulga atrás da orelha, Patrick entrou no curso de culinária e logo encostou a barriga nos fogões profissionais.

"Como comecei mais tarde, sentia que não tinha tempo a perder". Em Lille, no Norte do país, foi onde teve suas duas experiências profissionais mais significativas. Primeiro, trabalhando num restaurante onde o chef decidiu deixar o posto e ele assumiu o cargo e, depois, abrindo o seu estabelecimento.

Patrick diz que, no período, foi sugado pelo universo das panelas. "Quando você chega a um certo nível de careira, entra num ritmo de vida que te consome. Na França, o chef é um pouco como um médico especializado ultra técnico que esquece de se comunicar".

Patrick: à vontade com a faca na mão e a câmera apontada para ele - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Patrick: à vontade com a faca na mão e a câmera apontada para ele
Imagem: Arquivo pessoal

Buscando um dia a dia mais tranquilo e junto da família, ele, a esposa e os dois filhos se mudaram para São Paulo em 2016. Por aqui, Patrick uma empresa de marmitas para escritórios, a Vya, que posteriormente foi comprada pela Liv Up, e desenvolve um trabalho no Cidade Matarazzo, novo complexo de luxo paulistano.

Para atender à demanda do filho com as redes sociais, teve que silenciar o lado francês durão. "No começo, eu não queria fazer. Especialmente as partes de humor. Pensei que iria quebrar a minha imagem".

Pensava: 'Meu Deus, um chef que já foi estrelado pelo Guia Michelin fazer miojo... Não é possível!'"

Bastou um pouco de insistência de Louis para o pai amolecer os conceitos e topar a aventura. Com o tempo, Patrick ficou tão à vontade com a harmonização entre a comida e a câmera que até criou os seus próprios perfis. Nesses vídeos, guloseimas como bala de gelatina ficam de fora. Ufa!

Brigadeiro com caju
Receita à prova

Siga o passo a passo de Louis e aprenda a fazer um brigadeiro com toque de chef, que leva chocolate em barra, cacau em pó e castanha de caju torrada e triturada.

INGREDIENTES

  • 1 lata de leite condensado
  • 120 gramas de chocolate amargo em barra
  • 1 colher de sopa de cacau em pó
  • 50 gramas de manteiga
  • Castanha de caju torrada e triturada a gosto

MODO DE PREPARO

Numa panela, junte o leite condensado, o chocolate, o cacau e a manteiga. Leve ao fogo baixo e mexa sem parar, até que a misture engrosse e comece a desgrudar do fundo da panela.

Desligue o fogo e incorpore a castanha de caju ao brigadeiro. Patrick e Louis usaram cerca de 80 gramas. Na hora de servir, polvilhe mais castanha por cima.

Conhece um Instachef?

Instachef - Atstock Productions/Getty Images/iStockphoto - Atstock Productions/Getty Images/iStockphoto
Imagem: Atstock Productions/Getty Images/iStockphoto

A cada quinze dias, Nossa conta a história de uma pessoa que decidiu levar suas habilidades culinárias da cozinha para a internet.

Quer ver sua trajetória contada aqui ou tem um Instachef para indicar? Entre em contato com a gente pelo e-mail.