PUBLICIDADE
Topo

Cerâmica se une a metal em objetos que parecem verdadeiras joias para casa

Divulgação
Imagem: Divulgação

Carol Scolforo

Colaboração para Nossa

07/06/2022 04h00

Gypso

Gypso

Quem são

Debora Saraiva Leão Fernandes e Tina Niessner são as mentes criativas por trás do Gypso, ateliê que mistura cerâmica e metal na criação de peças.

Sorte de quem tem aquela melhor amiga na adolescência. Atravessar anos difíceis na escola, enquanto você se acha a criatura mais estranha do mundo, fica mais leve quando se tem essa presença. Foi assim com Tina e Débora: aquele laço só se fortaleceu. Mesmo que tenham seguido caminhos bem diferentes — Débora na Comunicação e Tina na Matemática e na Arquitetura -, não se separavam.

Formadas em 2004, cada uma em seu curso, seguiram suas profissões. Havia uma tradição nunca perdida: a cada aniversário, se presenteavam com algo feito à mão. "Em 2016, a Débora fez um vaso de concreto para me dar", conta Tina.

Os amigos gostaram e com um excedente de material, ela fez vasos para eles. "Vimos que existia um nicho ali. Mas não era nossa intenção empreender. Conversamos até hoje sobre isso: criar é bem diferente de administrar", Tina observa.

Peças da coleção 'Lava' - Fabio Gusmão - Fabio Gusmão
Peças da coleção 'Lava'
Imagem: Fabio Gusmão
Vaso da coleção "Lava" - Fábio Gusmão - Fábio Gusmão
Vaso da coleção "Lava"
Imagem: Fábio Gusmão

De lá pra cá, seis anos se passaram e não teve jeito: o empreender fisgou a dupla. Lançaram a Gypso (@gypso.sp) logo em seguida do sucesso das peças com os amigos. "Nós duas tocamos tudo, da comunicação à contabilidade", diz Débora. Duas habilidades, aliás, que elas tiram de letra.

Naquele início, elas surfaram na onda das feiras de rua. "Assim atingimos mais público e conseguimos uma oportunidade. O cimento teve mais exposição. Uma grande marca nos procurou e caminhamos organicamente", contam.

Açucareiro ceramica e latão - Divulgação - Divulgação
Açucareiro ceramica e latão
Imagem: Divulgação
Colheres da terra - Divulgação - Divulgação
Colheres da terra
Imagem: Divulgação

Dali caminharam para outras técnicas. Granilite com cimento agregado e polido, por exemplo, depois se somou a um curso de ourivesaria feito por Débora e enfim, à cerâmica. "Fomos combinando saberes e experimentações."

Individualmente e como empresa foi importante cada uma encontrar sua linguagem criativa. O que mais gostamos é de manter nossa individualidade unindo nossa criação".

Assim, surgem objetos dos mais variados — vasos, açucareiro, um pequenino vaso de parede, castiçais, colheres e pratos de latão martelado. Parecem joias para a casa, orgânicas, reluzentes e fortes.

Castiçal da coleção "Lava" - Fabio Gusmão - Fabio Gusmão
Castiçal da coleção "Lava"
Imagem: Fabio Gusmão

No fim do ano Tina se mudou para o interior de São Paulo, enquanto Débora permanece na capital. Embora o destino tenha separado a dupla de novo, elas dão um jeito de continuar o trabalho, usando a leveza, caraterística principal de suas peças. "

A Gypso nos dá essa liberdade de entender que os sonhos podem mudar e que às vezes precisamos mudar o rumo. Assim como os materiais que trabalhamos, é importante ter essa maleabilidade", dizem. Uma história assim ganha força para ir ainda mais longe, não?

@s que me inspiram

@canoa.lab

“Esse ateliê espanhol trabalha com cerâmica e explora bastante a mistura com metal. É sobre materialidade e nos inspira muito.”

@derekfernandes

“O Derek Fernandes é um fotógrafo paulistano cujo trabalho acompanhamos. Amamos a atmosfera das fotos que ele faz.”