PUBLICIDADE
Topo

Veneza adia cobrança de taxa para turista entrar na cidade para 2023

Agora, o valor deverá ser pago pelos visitantes de Veneza apenas a partir de 16 de janeiro de 2023 - scaliger/Getty Images/iStockphoto
Agora, o valor deverá ser pago pelos visitantes de Veneza apenas a partir de 16 de janeiro de 2023 Imagem: scaliger/Getty Images/iStockphoto

De Nossa

26/05/2022 15h52

A Câmara Municipal de Veneza, na Itália, decidiu adiar a cobrança da taxa de turistas para entrarem na cidade, anunciou a prefeitura local. Agora, o valor deverá ser pago pelos visitantes apenas a partir de 16 de janeiro de 2023.

Também nesta data passará a valer o sistema de reservas — que só permitirá a entrada dos viajantes que, com antecedência, agendarem sua passagem pelas ruas, seja para passeios ou estadia.

Anunciada pelo prefeito Luigi Brugnaro em 19 de abril, a taxa começaria a ser cobrada em caráter experimental já na temporada de verão europeu de 2022, que se inicia em junho.

O objetivo seria controlar o grande volume de turistas que o destino italiano começou a receber com a retomada das atividades após dois anos de pandemia. Na Páscoa, em apenas um fim de semana, Veneza teria recebido 240 mil pessoas — um índice equivalente aos de 2019, antes da chegada da covid-19 — de acordo com a agência ANSA.

A nova taxa terá valores variáveis, informou a revista "Travel and Leisure". Residentes, estudantes locais e trabalhadores da região metropolitana de Veneza não precisarão pagá-la. Turistas que apenas pernoitarão na cidade também serão isentos, já que eles um imposto de 5 euros (R$ 25,50) está incluso nas diárias cobradas por hotéis.

É ainda esperado que, na alta temporada, visitantes cheguem a desembolsar 10 euros ou R$ 51 para conhecer o destino histórico, enquanto na baixa temporada o valor possa diminuir para cerca de 3 euros ou R$ 15,30.

Os valores serão estabelecidos de acordo com a quantidade de visitantes na cidade. Se Veneza estiver com a lotação mínima — entre 40 mil e 50 mil visitantes, em número a ser definido —, o turista paga o menor valor, por exemplo.

O sistema Smart Control Room de Veneza, que já está instalado, mas não em funcionamento, consegue identificar as pessoas através do chip dos celulares. Assim, é possível saber quantas pessoas estão circulando na cidade de maneira precisa.

"Começaremos com uma fase de testes nos turistas diários [que não estão em hotéis do centro histórico] que serão convidados a fazer a reserva em um site ligado à Prefeitura que estamos finalizando. Quem fizer a reserva, vai ganhar incentivos que podem ser uma redução no valor de algum ingresso de museus ou outras formas que ainda estamos aperfeiçoando e que serão publicadas nas próximas semanas. Quem não reservar, não ganhará nenhum benefício", explicou o assessor de Turismo, Simone Venturini, ao jornal "La Repubblica" em abril.