PUBLICIDADE
Topo

No Chile, atração que virou febre entre brasileiros fecha. Veja alternativa

Embalse El Yeso, no Chile. Atração ganhou popularidade entre brasileiros - iStock
Embalse El Yeso, no Chile. Atração ganhou popularidade entre brasileiros
Imagem: iStock

Eduardo Vessoni

Colaboração para Nossa

15/05/2022 04h00

Nos últimos anos, o passeio mais popular entre brasileiros que visitavam Santiago era um reservatório de água. Guardadas as devidas proporções andinas, seria como atrair turistas estrangeiros para mananciais da Cantareira ou do Guarapiranga, em São Paulo.

Principal abastecimento para consumo humano da Região Metropolitana de Santiago, Embalse El Yeso ("Reservatório O Gesso", em tradução literal para o português) virou febre entre turistas do Brasil, sobretudo pelo visual do entorno e pela proximidade com a capital chilena, a 100 quilômetros dali.

"Fica no meio da cordilheira dos Andes e, no inverno, o espetáculo cênico é muito lindo, com um lago em meio a picos nevados e águas de tons maravilhosos", descreve o produtor de conteúdo do site Like Chile, David Gormaz.

Embalse El Yeso virou uma das atrações mais queridas dos brasileiros no Chile - Getty Images/iStockphoto - Getty Images/iStockphoto
Embalse El Yeso virou uma das atrações mais queridas dos brasileiros no Chile
Imagem: Getty Images/iStockphoto

Mas os problemas nesse atrativo improvisado a 1h30 de Santiago vieram na mesma velocidade de sua popularidade, como o acidente que matou duas crianças brasileiras após o desprendimento de rochas, em 2019.

Atrativo não foi pensado para turismo

Recentemente, agências chilenas foram surpreendidas com a retomada de uma resolução de 2019 que proibia a circulação de pedestres e veículos na Ruta G-455, estrada para o Embalse El Yeso. Com a decisão, o acesso agora fica proibido entre abril e agosto.

Acidente em 2019 provocou mudanças em Embalse el Yeso - Getty Images - Getty Images
Acidente em 2019 provocou mudanças em Embalse el Yeso
Imagem: Getty Images

Com a chegada da temporada de inverno nos Andes, o atrativo ficará fechado para visitação turística por conta da temporada de chuva e neve que podem causar nevascas e deslizamentos de terra.

Segundo o Ministério de Mineração do Chile, via Diário Oficial, o local está em situação "geologicamente instável e não garante a segurança de quem transita por ali, com probabilidades de novas quedas de rochas".

Inaugurada em 1964, essa reserva fica em uma área privada de mineradoras, cujo acesso é por um via "instável, estreita e perigosa".

Embalse El Yeso está fechado justamente no inverno - Getty Images/iStockphoto - Getty Images/iStockphoto
Embalse El Yeso está fechado justamente no inverno
Imagem: Getty Images/iStockphoto

"Não é um atrativo pensado para o turismo, é um reservatório de água", lembra David, que esteve no local para produção de conteúdo, dois dias antes da proibição. Para ele, a resolução é uma forma das autoridades se adiantarem a um fenômeno natural comum nessa época do ano.

Mesmo recebendo milhares de turistas nos últimos anos, o local não tem infraestrutura como restaurantes ou banheiros (exceto algumas cabines químicas), nem local asfaltado ou pontos seguros para estacionamento de vans, que tinham que parar no pé da montanha, correndo risco de serem atingidas por desprendimento de rochas.

Alternativas

Termas Valle de Colina - Getty Images/iStockphoto - Getty Images/iStockphoto
Termas Valle de Colina
Imagem: Getty Images/iStockphoto

Porém, como lembra David, a região do Cajón del Maipo não se resume ao Embalse El Yeso e o bate e volta a partir de Santiago, independente da temporada de neve, inclui também as Termas de Colina, piscinas de águas naturalmente aquecidas aos pés do vulcão San José, e atividades de aventura como trilhas, tirolesa e até rafting no rio Maipo.

Mas para quem ainda faz questão daquela imagem clássica de uma lagoa rodeada pelos Andes, a sugestão desse produtor de conteúdo é Portillo, na província Los Andes, na Região de Valparaíso.

A duas horas de Santiago, essa estação de esqui com 35 pistas e 14 meios de elevação tem opção de day use para quem não está hospedado no local e é conhecida pela Laguna del Inca, lagoa com 4 quilômetros de extensão e águas de tons esmeraldas.

"O visual é bem parecido, mas em Portillo o caminho de acesso é asfaltado e a estrutura conta com cafeterias, restaurantes, banheiros e estação de esqui", compara David, para quem o único inconveniente são as possíveis interdições na bela e temida Las Caracoles, estrada com quase 30 curvas que liga Santiago e Mendoza, na vizinha Argentina.

Mais informações: https://www.skiportillo.com/