PUBLICIDADE
Topo

Teve choro, mas casal reformou o apê sozinho e conta lições do final feliz

Larissa Barbosa ao lado da cachorrinha de estimação, Brie - Arquivo Pessoal
Larissa Barbosa ao lado da cachorrinha de estimação, Brie Imagem: Arquivo Pessoal

Carol Scolforo

Colaboração para Nossa

05/05/2022 04h00

Nos últimos dois anos, Larissa Barbosa de Carvalho aprendeu tanto com a reforma deste apartamento que as lições caberiam numa década. "Ele marca a saída da casa dos meus pais e a estreia da vida de casada. É aquela coisa de assumir a vida adulta com maior propriedade, sabe?", conta, ao lado do engenheiro mecânico Carlos Felipe de Carvalho.

Da família vem a primeira delas: colocar a mão na massa sem esperar ou dar desculpas. "Meu pai fazia tudo o que era preciso pela nossa casa. Quando vim morar aqui não tínhamos muito dinheiro e começamos a fazer tudo nós mesmos."

Larissa e Carlos no dia em que começaram a reforma - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Larissa e Carlos no dia em que começaram a reforma
Imagem: Arquivo Pessoal

Por "tudo" entenda instalar piso laminado, planejar toda a marcenaria da casa — a formação em Design Gráfico ajudou, claro — esconder fios e tubos com gesso e pintar paredes. "Quando estamos fazendo algo esperamos acertar de primeira. Temos um olhar muito crítico. Por isso é importante ter um distanciamento criativo. Voltamos à atividade com mais carinho e generosidade por nosso trabalho", acredita.

Quem disse que era fácil?

Sala de jantar - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Sala de jantar
Imagem: Arquivo Pessoal
Home office - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Home office
Imagem: Arquivo Pessoal

Ao assistir os vídeos antes de se aventurar a fazer pinturas florais na parede, Larissa — assim como eu e você — tinha a vaga impressão de que não era tão difícil assim. É bom lembrar que as horas a fio em pé, buscando a perfeição, podem só compensar no final mesmo de processos demorados como esse. "Ficou mais barato que papel de parede e todo mundo fica chocado quando descobre que eu fiz", ri.

No meio do processo de instalar piso laminado e pintar parede sem ajuda profissional teve choro e questionamento. Demos um tempo e voltamos. No fim, veio a sensação boa. Aprendi que isso aumenta o envolvimento com a casa e ajuda a contar nossa história ali"

A cabeceira de placa perfurada da cama é outra criação da dupla. Eles queriam mesmo uma de palhinha, mas se deram bem com uma solução mais em conta e pouco vista por aí.

Cabeceira de placa perfurada - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Cabeceira de placa perfurada
Imagem: Arquivo Pessoal
Penteadeira no quarto de casal - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Penteadeira no quarto de casal
Imagem: Arquivo Pessoal

Somam-se a esse faça-você-mesmo os móveis garimpados ao longo da vida, que vez ou outra cumprem função diferente. "Gosto de mesclar o industrial ao provençal, ao minimalismo. Os estilos se misturam em muita sintonia."

Sofá na sala de estar - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Sofá na sala de estar
Imagem: Arquivo Pessoal
Sala de TV - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Sala de TV
Imagem: Arquivo Pessoal

Dá para ver tudo no perfil @apartdebrie — afinal, quem manda mesmo no apê de 61 m² em São José dos Campos é Brie, a cadelinha simpática das fotos.

A casa é como nosso corpo: um lugar que abraça, acolhe e protege quem somos após um dia difícil"

Brie, que gosta de se esconder na manta do sofá - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Brie, que gosta de se esconder na manta do sofá
Imagem: Arquivo Pessoal

Dicas de Larissa que vão te inspirar a transformar a casa

Cozinha - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Cozinha
Imagem: Arquivo Pessoal
Banheiro - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Banheiro
Imagem: Arquivo Pessoal

  • Planejamento antes de qualquer coisa. "Foi importante planejar, colocar as ideias no papel, em vez de sair comprando sem pensar. Medir os cômodos e saber o tamanho dos móveis que eles comportam, além de pensar em tudo o que você realmente precisa nesse espaço é essencial. Isso ajuda a resistir à tentação de comprar tudo o que vemos e desejamos."
  • Reflexo da personalidade. "Pense em seus hábitos, sua interação com a casa e no que irrita você nos ambientes, antes de compor cada um deles. É importante que não seja tudo comprado novo. Incluir algo que tenha valor emocional ou que tenha sido feito por você faz diferença."
  • Garimpe. "Dá pra encontrar coisas legais por um preço ótimo em sites de usados. Comprei muitos eletrodomésticos e objetos assim, vale a pena ver antes de comprar novo na loja."
  • Pense fora da caixa. "Manter a cabeça aberta sobre o uso das coisas é muito importante. Um aparador pode virar móvel de banheiro, ou a penteadeira pode virar aparador, como fiz na sala. A decoração fica mais interessante e foge do padrão."
  • Deixe espaço para a vida acontecer organicamente. "Não precisa comprar tudo de uma vez, deixe alguns espaços para serem preenchidos aos poucos. Evito consumir em excesso justamente por isso. É bacana também observar no dia a dia como usamos os ambientes, para construir a história da casa com coisas que façam sentido na função e na estética."
  • Vazios que incomodam. "Sempre me perguntam o que fazer quando não se tem muito móvel. E eu digo que as cores preenchem os espaços. Uma boa tinta resolve muita coisa. Pintura setorizada, desenhos, geometrias...Você pode economizar muito pintando a casa."

@s que me inspiram

@salateando

“Gosto como ela compartilha conteúdos sobre a casa, mesclando a vida com decoração. Vejo que ela decora naturalmente, sem planejar muito. Foi uma emoção ver a nova casa dela, com coisas antigas e plantas, me identifico com isso.”

@the_foxed_house

“É uma casa dos sonhos para mim, queria morar lá. Ela usa coisas muito antigas e extravagantes em ambientes que se tornam surpreendentes. Sempre busco inspiração no styling mostrado nesse perfil.”