PUBLICIDADE
Topo

Chefs querem levar gastronomia do Brasil ao mundo: "Somos mais que futebol"

O chefs no Festival Fartura: em busca na internacionalização da gastronomia brasileira - Nereu Jr./Divulgação
O chefs no Festival Fartura: em busca na internacionalização da gastronomia brasileira Imagem: Nereu Jr./Divulgação

Nina Rocha

Colaboração para Nossa, de Brumadinho (MG)

02/05/2022 12h19

Enquanto os destinos regionais e a arte brasileira já possuem um bom reconhecimento no cenário exterior, chefs renomados do Brasil se reuniram para debater estratégias para elevar a cozinha nacional ao patamar de expressão cultural e mostrar que "somos mais que futebol e boa música", como disse a chef Morena Leite.

A discussão foi o tema central do Festival Fartura, realizado no Instituto Cultural Inhotim (MG) entre 29 de maio e 1 de abril.

Para nortear a conversa, cinco profissionais da alta gastronomia foram convidados para defender suas respectivas regiões, trazendo as singularidades culinárias e culturais locais. Janaína Rueda, Saulo Jennings, Paulo Machado, Manu Buffara e Morena Leite foram os chefs escolhidos para representar o Sudeste, Norte, Centro-Oeste, Sul e Nordeste, respectivamente.

Em parceria com o Ministério das Relações Exteriores, os chefs foram escolhidos como embaixadores do 'Brasil em Sabores', lançado no último dia 30.

Mesa com os chefs embaixadores do "Brasil em Sabores, no Festival Fartura - Nereu Jr./Divulgação - Nereu Jr./Divulgação
Mesa com os chefs embaixadores do "Brasil em Sabores, no Festival Fartura
Imagem: Nereu Jr./Divulgação

O programa é uma iniciativa do Itamaraty, em parceria com o Instituto Capim Santo — comandado por Morena Leite — que irá começar o processo de difundir a gastronomia nacional dentro de 160 embaixadas brasileiras espalhadas pelo mundo.

Oferecer almoços oficiais, coquetéis e recepções faz parte da prática diplomática, mas hoje não oferecemos a hospitalidade brasileira nestes eventos" Adam Jayme, diplomata e um dos responsáveis pelo programa

Começar pelas 'casas' brasileiras no exterior é uma estratégia para atingir diplomatas, políticos influentes e formadores de opinião e incentivar o reconhecimento das técnicas e ingredientes brasileiros para ser consumido não apenas fora do país, mas também tem o objetivo de fomentar a busca do país enquanto um destino de turismo gastronômico, como conta Saulo Jennings:

Nós não existimos no cenário de turismo internacional gastronômico. Esta é como se fosse uma das iscas que a gente vai buscar para trazer mais pessoas para visitarem o país"

Chef pantaneiro Paulo Machado no Fartura - Nereu Jr./Divulgação - Nereu Jr./Divulgação
Chef pantaneiro Paulo Machado no Fartura
Imagem: Nereu Jr./Divulgação
Chef Genilda Delabrida, de Brumadinho - Nereu Jr./Divulgação - Nereu Jr./Divulgação
Chef Genilda Delabrida, de Brumadinho
Imagem: Nereu Jr./Divulgação

Um dos principais desafios do grupo é conseguir levar a pluralidade e riqueza da culinária brasileira nos menus que serão servidos nas embaixadas.

Diante da provocação, destaca-se o resgate de um ingrediente nacional e usado em receitas de diferentes naturezas e presente desde as mesas mais abastadas até as mais humildes: a mandioca. A raiz protagonizará os cardápios com entrada, petisco, prato principal, bebida e sobremesa, pensado pelos chefs e seus pupilos.

Prato no festival Fartura - Nereu Jr./Divulgação - Nereu Jr./Divulgação
Menus com ingredientes nacionais serão apresentados mundo afora
Imagem: Nereu Jr./Divulgação

A escolha não é à toa: ao fim da programação, foi lançado o 'Manifesto Maniba', que pauta os pilares da sustentabilidade, criatividade, afeto, inclusão social e diversidade cultural, e destaca os futuros benefícios que a internacionalização da gastronomia pode trazer em termos internos e locais. "Vamos ficar muito felizes ao ver que nossa gastronomia também dá orgulho aqui dentro", comenta o chef pantaneiro Paulo Machado.

Morena Leite considera que o maior estímulo do programa é articular internamente para encontrar uma forma de comunicar que a culinária brasileira é tão plural e diversa. "Nós somos muito grandes e tivemos que definir um tema para que a gente seja lembrado", diz.

Acho que quando chegamos ao consenso que é a mandioca e os seus derivados, encontramos um ingrediente que simboliza a nossa riqueza e a nossa diversidade, a pluralidade do Brasil acolhe muitas origens e muitas raças isso nos torna único"

Chef Morena Leite: em defesa de uma culinária com a identidade brasileira - Nereu Jr./Divulgação - Nereu Jr./Divulgação
Chef Morena Leite: em defesa de uma culinária com a identidade brasileira
Imagem: Nereu Jr./Divulgação

Mais do que levar menus brasileiros e colocar nomes nacionais simplesmente para cozinhar no exterior, os chefs almejam também tirar ingredientes e técnicas brasileiras e populares do lugar do exótico ou incomuns.

O relato de viagens internacionais com malas repletas de insumos violadas em aeroportos é comum no ambiente gastronômico, mas o anseio é que, a longo prazo, tanto nossos produtos quanto nossas técnicas sejam usados e divulgados internacionalmente — assim como acontece como a culinária peruana, tailandesa ou espanhola hoje.

Janaira Rueda em aula no Festival Fasrtura - Nereu Jr./Divulgação - Nereu Jr./Divulgação
Janaína Rueda em aula-show no Festival Fartura
Imagem: Nereu Jr./Divulgação

Janaína Rueda, à frente da premiada Casa do Porco e do bar Dona Onça, endossa o desejo de ver métodos usados na cozinha popular brasileira sendo tão reconhecidos como as técnicas da gastronomia francesa, como o corte julienne ou o flambé:

Precisamos levar o popular para a cozinhar profissional e abrasileirar as nossas técnicas, sem ter vergonha. Tenho o sonho de ver técnicas genuinamente sendo feitas pelo mundo, como refogar, assar e os cortes diferentes que só nós temos"

Além das mesas de debate que oficializaram o lançamento do programa e o lançamento do manifesto, a primeira edição presencial do Fartura desde o início da pandemia também contou com cozinha ao vivo com chefs convidados locais e de outras regiões do Brasil, além de feiras rotativas com produtores locais e apresentações musicais ao vivo, e reuniu mais de 2 mil pessoas ao longo de três dias de evento.