PUBLICIDADE
Topo

Coxinha de frango caramelizada é receita econômica que sai do básico; prove

Caramelo no frango: açúcar dá toque especial em ingrediente trivial - Rangel Egidio
Caramelo no frango: açúcar dá toque especial em ingrediente trivial Imagem: Rangel Egidio

Gabrielli Menezes

De Nossa

16/02/2022 04h00

Rangel Egidio

Rangel Egidio

QUEM É

Ele é designer, vende pão de levain e tem a gastronomia como um hobby. Aprendeu a cozinhar aos 13, quando ficava sozinho em casa e nunca mais largou o fogão. É encantado pelas relações e conexões que uma refeição proporciona.

Açúcar derretido até virar caramelo não é só coisa de sobremesa. Se usado com jeitinho, ele também agrega na textura e equilibra o sabor de pratos salgados. Uma boa receita para testar a artimanha é a coxinha de frango.

Primeiro, tempera-se o frango com alho, gengibre, pimenta, limão e sal. Depois, os pedaços vão à panela dourar no caramelo e, na sequência, cozinham no caldo de legumes.

O designer e cozinheiro Rangel Egídio, que cedeu o passo a passo a Nossa, diz:

É acessível e fácil de fazer. Fica muito saboroso e suculento".

Coxinha no caramelo - Rangel Egidio - Rangel Egidio
Coxinha no caramelo: servida com arroz e quiabo
Imagem: Rangel Egidio

O frango caramelizado, que se sai bem ao lado de arroz branco ou canjiquinha, pode ser replicado com outros cortes da ave de acordo com a sua preferência — só fique atento ao ponto para a carne não esturricar.

"Essa receita aprendi com a minha mãe e faz sucesso sempre que eu preparo, seja para amigos ou familiares. Ela tem cara de fartura, cara de muita gente (vacinada) reunida e rindo alto".

Confira a receita completa clicando na imagem abaixo:

Coxinha de frango no caramelo

Dificuldade Fácil
4 porções
80 min
Ver receita completa

Cozinhar, comer, compartilhar

Designer de profissão, Rangel Egídio tem a cozinha como paixão. Até hoje, aos 45 anos, ele não se esquece dos cheiros do fogão a lenha aceso na casa da avó, do feijão do pai e do refogado da mãe.

Foto de Rangel "com filtro": cozinha como diversão e afeto - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Foto de Rangel "com filtro": cozinha como diversão e afeto
Imagem: Arquivo pessoal

Desde os 13, o paulista que nasceu em Itapira e hoje mora em Campinas tem certa autonomia com as panelas. "Minha mãe saia para trabalhar e deixava a refeição para eu esquentar quando chegava da escola".

"Nessa rotina, que durou alguns anos, a minha curiosidade foi aumentando junto com a responsabilidade. Já tinha um bife para fritar, uma salada para temperar, um molho para fazer..."

Ao longo da vida, a comida se tornou a cola de muitas relações. "Ela conecta as pessoas através dos sentidos, com aromas, sabores, texturas e sons..."

Ao perceber meus filhos me observando na cozinha, eu me lembro de quando era eu a criança vendo os que vieram antes de mim cozinhando".

Além de pilotar o fogão de casa para a família e os amigos e postar fotos de algumas das receitas nas redes sociais, Rangel vende pães de fermentação natural.

Sou Cominho - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Na "Sou Cominho", ele vende pão de fermentação natural desde 2015
Imagem: Arquivo pessoal

"Comecei pelo desafio e sempre levava um pãozinho em jantares e churrascos. Como todos gostaram, resolvi criar uma empresa para comercializar".

Nesse ano, este hobby sério que atende pelo nome "Sou Cominho" completa 7 anos. As encomendas, para entrega ou retirada, são feitas pelo Instagram.