PUBLICIDADE
Topo

"Lavar" as mãos no chocolate? Restaurante choca com experiências inusitadas

O restaurante El Cielo convida clientes a lamberem chocolate de seus próprios dedos - Reprodução/Instagram
O restaurante El Cielo convida clientes a lamberem chocolate de seus próprios dedos Imagem: Reprodução/Instagram

De Nossa

27/01/2022 12h48

O restaurante colombiano El Cielo, que tem unidades em Bogotá e Medellín, além de Washington e Miami, nos EUA, tem surpreendido e até estarrecido parte de seu público nas redes sociais com um menu degustação "diferentão".

A experiência gastronômica da casa com uma estrela Michelin do chef Juan Manuel Barrientos Valencia inclui provar esmeraldas — o país sul-americano é responsável por cerca de 70% a 90% do mercado mundial da pedra, segundo a casa —, encarar um macaron feito de sangue e lavar as mãos com chocolate.

Estes rituais, entre outros pratos, custam ao bolso do freguês na Colômbia cerca de 218 mil pesos, ou R$ 300, um valor bem menor do que o esperado pela "joia". Já nos EUA, o menu sai por US$ 228, cerca de R$ 1.230.

Isto porque, apesar de fazer mistério e insinuar aos clientes nas redes que poderia haver "surpresas" entre as pedras "preciosas" do prato, as esmeraldas servidas pelo El Cielo americano são, na verdade, caramelos recheados com lulo — uma fruta cítrica típica da Colômbia — e mousse de chocolate branco.

O mesmo prato no restaurante de Medellín, contudo, ganha nova versão preparada com maçãs, kiwi e menta, mais refrescante.

Já o macaron "sangrento" é feito com chouriço — a linguiça recheada com sangue de porco — que é servida à mesa ainda no carvão para manter a temperatura.

Bem mais polêmico, no entanto, é a lavagem de mãos com chocolate, presente em todas as unidades da casa.

De acordo com a orientação do chef, o propósito da "chocoterapia" é relembrar as sensações de quando éramos crianças e comíamos tudo direto dos nossos dedos — o que aumentaria o influxo de dopamina no cérebro, aumentaria a fome e o prazer associado ao ato de comer.

Além disso, ainda segundo a equipe do El Cielo, o chocolate era tido como um "alimento dos deuses" nas culturas pré-colombianas.

Apesar de parte do público ter captado a referência à infância, a oportunidade de provar o chocolate lambendo os dedos, no entanto, provocou confusão e um debate sobre o que é uma experiência gastronômica nas redes.