PUBLICIDADE
Topo

Eslovênia no BBB: nome de sister é inspirado em país "surreal". Conheça

Lago de Bled, uma das atrações da Eslovênia, que divide o nome com a mais nova sister do Big Brother Brasil - Slovenian Tourist Board
Lago de Bled, uma das atrações da Eslovênia, que divide o nome com a mais nova sister do Big Brother Brasil
Imagem: Slovenian Tourist Board

Eduardo Vessoni

Colaboração para Nossa

18/01/2022 04h00

Entre os escolhidos para o BBB 22, um nome chama a atenção. A paraibana Eslovênia, 25, é uma das pessoas anônimas (pelo menos era até hoje) selecionadas para o grupo Pipoca do reality show que estreia nesta segunda-feira (17).

Conhecida em casa como Duda, essa sister de João Pessoa por pouco não foi batizada como Bósnia-Herzegovina. Mas daí a mãe já achou demais a homenagem que o pai queria fazer a territórios da antiga Iugoslávia que haviam declarado independência alguns anos antes da filha nascer.

Eslovênia, participante do BBB 22  - Comunicação Globo - Comunicação Globo
Eslovênia, participante do BBB 22
Imagem: Comunicação Globo

Ambas nações, hoje independentes, faziam parte da extinta República Socialista Federativa da Iugoslávia, uma tentativa política de unir os povos eslavos em uma só pátria.

E se depender da torcida oficial, a participante tem chances de ser a nova ganhadora do Big Brother Brasil: a Embaixada da Eslovênia no Brasil desejou boa sorte à participante "com o nome mais lindo" do BBB 22.

E, apesar de ser um destino ainda pouco conhecido do viajante brasileiro, a Eslovênia já vinha dando as caras do lado de cá do Atlântico. No ano passado, ícones arquitetônicos do Brasil tiveram as cores da bandeira eslovena estampada, durante a comemoração dos 30 anos de independência.

Conheça a Eslovênia

Menor que Sergipe, esse país de 20 mil km² fica entre a Itália, a Áustria e a Croácia, e é considerado a porta de entrada para quem visita o Leste Europeu.

Em uma nação minúscula que consegue reunir os Alpes e o Mediterrâneo em um mesmo território, a única da Europa nessa condição, não é de se estranhar que tenha um dos cenários mais surreais em todo o continente.

Com apenas 248 quilômetros de leste a oeste, a Eslovênia tem atrações turísticas como um castelo dentro de uma rocha, igreja no centro de um lago glacial, praias de sotaque italiano e até um "dragão" vivo.

Caverna de Postojna, na Eslovênia - Divulgação - Divulgação
Caverna de Postojna, na Eslovênia
Imagem: Divulgação

O atrativo mais visitado no país, onde já estiveram mais de 40 milhões de pessoas, é a Caverna de Postojna, um impressionante circuito de 24 quilômetros subterrâneos por salões naturais de mais de três milhões de anos.

Para garantir o clima surreal, um trem leva visitantes para um tour de quase 4 quilômetros em imensas galerias com estalactites, estalagmites e cortinas.

A experiência inclui ainda pequenas caminhadas por passarelas e visita a um "dragão", um animal endêmico do sul da Europa e em exposição, vivo, em uma sala escura de Postojna.

Proteus ou também "salamandra das cavernas" é um anfíbio cego e com pele sem pigmentação que se reproduz apenas a cada 10 anos.

E o que a Natureza criou, a Humanidade conseguiu deixar ainda melhor.

A 9 quilômetros da caverna fica o Castelo de Predjama, uma construção medieval de mais de 800 anos incrustada em uma rocha.

Em um penhasco a 123 metros de altura, a construção já foi considerada pelo Livro dos Recordes o "maior castelo de caverna do mundo", cujo acesso por uma ponte levadiça é aberto ao público, bem como suas salas temáticas que contam a história do local.

Castelo de Predjama, na Eslovênia - Eduardo Vessoni - Eduardo Vessoni
Castelo de Predjama, na Eslovênia
Imagem: Eduardo Vessoni

Outra atração famosa é a pacata Bled, cidade a 57 quilômetros de Liubliana (que aliás também merece uma visita pelo bem conservado centro histórico da capital eslovena).

Liubliana, capital da Eslovênia - Getty Images - Getty Images
Liubliana, capital da Eslovênia
Imagem: Getty Images

Localizado nos Alpes Julianos, esse destino de pouco mais de oito mil habitantes é procurado pela igreja barroca que fica em uma ilha no meio do lago Bled. A versão atual da Igreja da Assumpção, reconstruída várias vezes devido a terremotos, pode ser acessada em embarcações de madeira conhecidas como pletna.

Lago de Bled, na Eslovênia - Slovenian Tourist Board - Slovenian Tourist Board
Lago de Bled, na Eslovênia
Imagem: Slovenian Tourist Board
Castelo de Bled, na Eslovênia - Eduardo Vessoni - Eduardo Vessoni
Castelo de Bled, na Eslovênia
Imagem: Eduardo Vessoni

Como se aquilo tudo já não fosse suficiente para provar o talento esloveno de integrar natureza e engenharia, o destino abriga também o castelo de Bled, construção do século 11 que parece flutuar sobre uma colina a 130 metros do lago e aos pés das Karavankas, conjunto de montanhas alpinas, na fronteira com a Áustria.

Porém, o orgulho (natural) dos eslovenos é o Parque Nacional Triglav, a única unidade de conservação do gênero em todo o país.

Parque Nacional Triglav, na Eslovênia - Barnabas Hertelendy/Unsplash - Barnabas Hertelendy/Unsplash
Parque Nacional Triglav, na Eslovênia
Imagem: Barnabas Hertelendy/Unsplash

Seus 840 m², nos Alpes Julianos, têm diversas trilhas que levam até cachoeiras e gargantas escondidas, construções históricas como o castelo Kluze do século 15 e o Vogel, centro de esqui acessado por um teleférico e com vista panorâmica dos Alpes e do lago Bohinj.

Vogel, estação de esqui em Bohini - Eduardo Vessoni - Eduardo Vessoni
Vogel, estação de esqui em Bohini
Imagem: Eduardo Vessoni

A viagem pelo país segue em direção à praia, em Piran, cidade considerada a "Veneza da Eslovênia", sobretudo pela proximidade com o destino italiano, a duas horas de carro dali.

Piran, na Eslovênia - Eduardo Vessoni - Eduardo Vessoni
Piran, na Eslovênia
Imagem: Eduardo Vessoni

E nem precisa dizer que, nessa península banhada pelo mar Adriático, uma espécie de braço do Mediterrâneo, construções medievais, ruas estreitas, praias, cantinas e pizzarias dão o ritmo (e o tom) da visita.

A começar pelo próprio nome, a sister Eslovênia vai ter muita história para contar.