PUBLICIDADE
Topo

Quadros e plantas lado a lado: fáceis de combinar, trazem graça à decoração

Decoração com quadros e plantas - Getty Images/iStockphoto
Decoração com quadros e plantas Imagem: Getty Images/iStockphoto

Colaboração para Nossa

11/01/2022 04h00

Em vez de adotar quadros em um lado e plantas, em outro, que tal misturar tudo e criar uma composição moderna? Paredes, aparadores, prateleiras e estantes são as primeiras opções para acomodar tais itens, mas a criatividade é infinita. Algumas regrinhas, entretanto, ajudam a montar um conjunto mais harmonioso.

Para início de conversa, é recomendado observar proporções, área a ser ocupada, paleta de cores e a decoração do cômodo como um todo. O espaçamento entre os itens também é impactado pelo espaço disponível, mas é possível manter um bem próximo do outro, sem dramas.

"O importante é lembrar-se de não deixar a planta esconder o quadro, garantindo uma distância adequada para que os dois possam ser apreciados", observa Andressa Bassineli, arquiteta do grupo A.Yoshii.

Quadros grandes, plantas discretas, como a costela-de-adão, no espaço projetado por Tássia e Thaisa Pereira, do TT Interiores - Renato Navarro - Renato Navarro
Quadros grandes, plantas discretas, como a costela-de-adão, no espaço projetado por Tássia e Thaisa Pereira, do TT Interiores
Imagem: Renato Navarro

Tássia e Thaisa Pereira, do escritório TT Interiores, indicam: telas maiores ficam bem ao lado de vasos menores e tons mais neutros. Se forem bem coloridas ou com muitas formas, casam melhor com arranjos mais simples.

"Se o quadro for neutro, o arranjo também pode ser floral, como se fizesse parte do quadro", sugere Tássia. Lucas Alves, designer de interiores e consultor da Urban Arts, confirma:

Ao incrementar com plantas de folhagem mais coloridas e vibrantes, um serve de complemento para o outro"

No fundo da mesa de jantar, o quadro de paisagem, leve, equilibra com a planta vertical e é complementado pelas flores claras sobre a mesa. O projeto é da arquiteta Ariane Chiaranda - Mariana Boro - Mariana Boro
No fundo da mesa de jantar, o quadro de paisagem, leve, equilibra com a planta vertical e é complementado pelas flores claras sobre a mesa. O projeto é da arquiteta Ariane Chiaranda
Imagem: Mariana Boro

De acordo com Lucas, quando um quadro é adotado ao lado de arranjos ou plantas mais neutras, é melhor escolher molduras que combinem com os móveis maiores e as cores do cômodo.

"Paredes cinzas funcionam muito bem com molduras pretas e brancas. Se há alguma mesa de madeira no ambiente e quiser deixar o espaço mais clean, vale apostar numa moldura com o tom de madeira que mais se aproxime da cor dessa mesa", recomenda.

Paredes cinzas combinam com molduras neutras e com o verde natural de plantas, como na gallery wall da Lynx Arquitetura com telas da Urban Arts - Divulgação - Divulgação
Paredes cinzas combinam com molduras neutras e com o verde natural de plantas, como na gallery wall da Lynx Arquitetura com telas da Urban Arts
Imagem: Divulgação

Outro detalhe: ao definir a posição dos itens, é importante considerar a manutenção da folhas.

Plantas que podem espirrar água no momento da irrigação ficam melhor à frente de um (quadro) canvas, por se tratar de uma tela em tecido", orienta Lucas.

Também é possível manter plantas de diferentes tamanhos em um mesmo ambiente, criando certo movimento. As arquitetas Julia Varon e Isadora Vaz, da Forma 011 Arquitetura + Design, fizeram essa brincadeira numa sala com parede de tijolinho aparente branco e muitos detalhes de madeira.

Na sala projetada por Julia Varon e Isadora Vaz, da Forma 011, plantas de diferentes tamanhos dão movimento ao cômodo e conversam com itens variados de decoração - Divulgação - Divulgação
Na sala projetada por Julia Varon e Isadora Vaz, da Forma 011, plantas de diferentes tamanhos dão movimento ao cômodo e conversam com itens variados de decoração
Imagem: Divulgação

Elas usaram vasos menores nas prateleiras suspensas, que acomodam não só quadros, mas também outros itens decorativos, assim como plantas maiores na mesa lateral e até no chão.

Falando em tamanhos, nada impede que peças avantajadas convivam harmoniosamente no mesmo espaço. Foi na casa de um paisagista que o designer de interiores Henrique Freneda criou um ambiente que resgata toda a potencialidade do verde, em telas e vasos de grande porte.

O paisagismo é assinado por Luciano Zanardo. As plantas estão espalhadas pelo espaço e, para completar, as telas trazem imagens também de folhagens, tornando-se protagonistas das paredes atrás do sofá e perto da porta. A sensação é que há um jardim dentro do apartamento, com vasos e quadros se complementando.

No ambiente com peças Yamamura, o designer Henrique Freneda e o paisagista Luciano Zanardo criaram um jardim dentro do apartamento - Emerson Rodrigues - Emerson Rodrigues
No ambiente com peças Yamamura, o designer Henrique Freneda e o paisagista Luciano Zanardo criaram um jardim dentro do apartamento
Imagem: Emerson Rodrigues

Iluminação também conta

Como o desenvolvimento das plantas está diretamente relacionado à iluminação natural, é melhor serem instaladas perto de janelas ou entradas de raios solares. Ao mesmo tempo, luzes aconchegantes criam um visual agradável no período noturno.

"Quando falamos sobre luz artificial, a tecnologia LED é uma grande aliada pois, além de mais econômica e sustentável, não emite calor, o que favorece que as pétalas e folhas não sejam queimadas com os fachos de luz", ensina Gabriela Yokota, especialista da área de Design e Tendência, da Yamamura.

Uma planta para cada ambiente

Entender as condições de temperatura, luz e umidade de cada cômodo é importante antes de selecionar folhagens e flores que se adaptam melhor a lugares internos, como lembram as arquitetas Stephanie Toloi e Rochele Hazan.

Para elas, imóveis e cômodos pequenos pedem vasos de porte igualmente limitado ou suportes suspensos, que não tomam muito espaço. "Ainda é possível decorar móveis com vasos menores", opina Stephanie. No decorado do A. Yoshii, por exemplo, quadros e pequenos cachepôs dividem diferentes nichos na estante que toma toda a parede.

Vasos pequenos e cachepôs foram dispostos em diferentes vão da estante no decorado do A.Yoshii - Divulgação - Divulgação
Vasos pequenos e cachepôs foram dispostos em diferentes vão da estante no decorado do A.Yoshii
Imagem: Divulgação

A seguir, Stephanie e Rochele apontam as plantas que mais têm a ver com cada cômodo:

  • Sala de estar: antúrio, pau d'água, palmeiras arecas e ráfis têm bom volume e são bem-vindas, tanto no piso quanto penduradas.
  • Banheiro: minilírio da paz, violeta, kalanchoe e cactos são ótimas e podem ser cultivadas em vasos cerâmicos ou de metal.
  • Quarto: o espaço fica mais aconchegante com lavanda, jasmim, hera e gérbera.
  • Cozinha: uma hortinha traz leveza para o cômodo, além de ser fonte de alimentos frescos e saudáveis.

Meio-termo

"Para quem não tem muito tempo para cuidar, sugerimos as plantas preservadas, ou seja, plantas naturais que passam por um processo de preservação e não precisam de água ou iluminação natural", comenta Rochele.

No projeto de Camila Cordista, o painel de plantas preservadas conversa com a gallery wall - Julia Herman - Julia Herman
No projeto de Camila Cordista, o painel de plantas preservadas conversa com a gallery wall
Imagem: Julia Herman

Foi a alternativa adotada pela designer de interiores Camila Cordista, à frente do Cordista Interiores e Lighting. Neste projeto, o cantinho verde, perpendicular à gallery wall, valoriza ainda mais o terraço e a sala integrada.

"O jardim vertical é um painel de plantas preservadas, que passaram por um processo de empalhamento, logo, não é uma planta nem natural, nem artificial", comenta.

Artificiais, por que não?

Na falta de condições para o desenvolvimento das folhagens ou mesmo pela praticidade, uma alternativa é apostar em versões artificiais, que igualmente podem conversar com quadros variados.

A arquiteta Paula Carvalho, por exemplo, trouxe o verde de forma inusitada para dentro da cozinha: dois dos três quadros abrigam plantas artificiais, encaixadas na abertura da peça", diz

É uma opção diferente de adorno; é como se fosse uma escultura na parede"

Na cozinha projetada pela arquiteta Paula Carvalho, os quadros abrigam plantas artificiais - Divulgação - Divulgação
Na cozinha projetada pela arquiteta Paula Carvalho, os quadros abrigam plantas artificiais
Imagem: Divulgação

Menos prático, mas também possível, poderiam ter sido utilizados vasinhos de plantas naturais, inseridos no mesmo espaço.