PUBLICIDADE
Topo

Primeiras-damas têm truque para não repetir roupas, revela ex-Casa Branca

Jill Biden na cerimônia de posse do marido à presidência dos Estados Unidos - Getty Images
Jill Biden na cerimônia de posse do marido à presidência dos Estados Unidos Imagem: Getty Images

De Nossa

20/12/2021 04h00

As escolhas fashion das primeiras-damas americanas, não importa qual seja o estilo pessoal de cada uma, estão sempre sob forte escrutínio do público e da imprensa internacional.

Não à toa, elas recorrem a um truque conduzido por suas funcionárias para manter o guarda-roupa impecável e evitar repetições excessivas de looks, consideradas gafes.

"Durante a Casa Branca da Era Bush — e eu acredito que outras ajudantes de primeiras-damas fizeram o mesmo — cada conjunto que elas vestiam recebia uma etiqueta que dizia onde já havia sido usado e quando, para que a gente tivesse um histórico da peça", explicou Anita McBride, ex-chefe dos funcionários da Casa Branca e auxiliar da ex-primeira-dama Laura Bush entre 2005 e 2009, ao site Insider.

George W. Bush e sua mulher, Laura - Alex Wong/Getty Images - Alex Wong/Getty Images
George W. Bush e sua mulher, Laura: A ex-primeira-dama dava preferência a um closet sóbrio e em tons terrosos
Imagem: Alex Wong/Getty Images

Ainda de acordo com ela, as primeiras-damas costumam reaproveitar suas roupas casuais, aquelas de todo dia, mas ela evitam repetir os vestidos formais de festas ou peças usadas em grandes eventos.

Uma vez que um vestido já tenha sido usado, ele é "aposentado" e vai para o Arquivo Nacional junto com documentos presidenciais, presentes e outros itens que eventualmente serão exibidos em museus ou na Biblioteca Presidencial. Ou seja, o que elas vestem faz história.

A ex-primeira dama Michelle Obama ao lado de Sarah Jessica Parker: ela gostava de peças vibrantes - Getty Images - Getty Images
A ex-primeira dama Michelle Obama ao lado de Sarah Jessica Parker: ela gostava de peças vibrantes
Imagem: Getty Images

"[Os vestidos formais] são mais fáceis de notar do que vestidos casuais ou conjuntos como ternos. E eles recebem muito mais escrutínio, porque estão geralmente relacionados a grandes eventos sociais da Casa Branca ou ao Kennedy Center Honors, ou coisas do tipo. Mas eles são registrados, então isso ajuda a não repetir o uso de um item muito visível de outra forma bastante notável", concluiu.

Melania Trump em visita a Londres - Getty Images - Getty Images
Melania Trump em visita a Londres: Fashionista, a última primeira-dama se inspirava em Jackie Kennedy, segundo a imprensa americana
Imagem: Getty Images

Anita ainda relembrou duas emergências fashion que Laura Bush passou durante seus anos na Casa Branca: a primeira quando um repórter notou que ela havia usado uma blusa em uma entrevista anterior e ela trocou sua peça imediatamente com a da secretária de imprensa e outra quando, durante um evento de gala do Kennedy Center em 2006, a primeira-dama vestia um longo Oscar de La Renta que foi visto em outras duas ou três mulheres na fila da recepção.

A atual primeira-dama americana Jill Biden: ela costuma investir em looks monocromáticos com detalhes irreverentes com a meia-calça que gerou polêmica nas redes - Mandel Ngan/AFP - Mandel Ngan/AFP
A atual primeira-dama americana Jill Biden: ela costuma investir em looks monocromáticos com detalhes irreverentes com a meia-calça que gerou polêmica nas redes
Imagem: Mandel Ngan/AFP

Rapidamente, Laura trocou seu vestido vermelho por um preto rendado "para evitar constrangimentos para suas convidadas", ensinou Anita.

Enquanto o primeiro tipo de saia justa seria mais fácil de acontecer e contornar, já que não se costuma manter registro de peças pontuais de uso rotineiro, o segundo explica porque, geralmente, primeiras-damas não usam vestidos que estejam nas araras das lojas, mesmo que sejam de grife. Em vez disso, elas dão preferência a peças únicas feitas sob medida para elas por um grande designer.