Topo

Baile funk e verdadeiro Brasil na passarela: o que marcou o 5º dia da SPFW

As marcas que se destacaram no quinto dia da São Paulo Fashion Week N52 Imagem: @vinimarqu

Gustavo Frank

De Nossa

21/11/2021 09h02

Durante a coletiva de imprensa, feita anteriormente ao início da São Paulo Fashion Week, Paulo Borges, o idealizar do evento, contou que muitas das marcas comandadas por estilistas negros teriam escolhido o sábado para seus desfiles, o Dia da Consciência Negra. E assim foi feito, em sua maioria.

O maior evento de moda do Brasil foi protagonizado por esses designers — que mostraram por quem nosso país é feito, de fato.

Antes de qualquer coisa, é importante lembrar que, para que tudo isso acontecesse, foi preciso o empenho do Projeto Sankofa, comandado por Rafael Silvério e Natasha Soares. Foi essa iniciativa, que estreou há duas edições, a responsável por levar oito marcas comandadas por estilistas negros para as passarelas do SPFW, em junho de 2021. Até esse momento, completamente digitais.

Foi então na edição de novembro deste ano que essas marcas mostraram, com o retorno parcial dos desfiles presenciais, suas importâncias. A começar pela Mile Lab.

Antes de que o desfile começasse, o artista Bruno Luan, um dos nomes por trás da etiqueta, fez de sua poesia a introdução para as peças: "Deixe que nós contemos nossa história (...) Minha moda não é só mais uma, meu conceito é de rua e isso vocês não vão entender. São os favelados, se acostuma".

"Não mudo minha postura, estou aqui para mostrar o que vocês queriam esconder", completou.

O estrondo de aplausos foram seguidos então pela batida do funk. A marca começava a transformar a passarela do Pavilhão das Culturas Brasileiras, no Parque do Ibirapuera, em um baile cheio de "passinhos".

A Mile Lab contava a partir daí como o funk é um fundamento de arte e resistência de corpos marginalizados.

Com modelos usando o tradicional óculos Juliet, com as lentes espelhadas, e alguns deles cobrindo o rosto com camisetas, as peças da marca utilizaram da estampa da pipa, varetas de bambu, rabiolas de saco plástico, linhas de algodão e demais acessórios apresentados, a fim de representar de maneira clara a periferia, com visões tão comuns fora do centro.

Mile Lab | SPFW N52 Imagem: Marcelo Soubhia/Fotosite
Mile Lab | SPFW N52 Imagem: Marcelo Soubhia/Fotosite

Na mesma sequência, a nova coleção da Az Marias buscou suas referências nos anos 1970, celebrando a intelectual Lélia Gonzalez — pioneira nos estudos sobre Cultura Negra no Brasil e co-fundadora do Instituto de Pesquisas das Culturas Negras do Rio de Janeiro, do Movimento Negro Unificado e do Olodum.

Abraçando toda a efervescência cultural e política negra, os ideais da marca focado no slow fashion foram conitnuadas, sem esquecer de abraçar o corpo real da mulher brasileira.

Com a participação do cantor Vitão e do ator de "Verdades Secretas 2" Ícaro Silva, a Silvério, de Rafael Silvério, refletiu sobre o perdão e o processo de cura da visão pessoal do diretor criativo da marca.

A coleção foi levada para o SPFW com três pontos de vista: o judiciário, o religioso e o filosófico.

Vitão | Silvério Imagem: Fotosite
Ìcaro Silva | Silvério Imagem: Fotosite

Com mix de referências das roupas dos sacerdotes, as cores das peças passeavam entre o branco, cinza, bege, vermelho e preto. Os fios, por sua vez, tinham origem do óleo de canabidiol, que ganharam forma para contar uma história.

A temática cura, assim como com Silvério, foi abordada também pela Apartamento 03. A marca fez sua coleção pensada como uma saída dos tempos sombrios vividos por todos nos últimos anos. Vale destacar a presença da influenciadora e ex-BBB Camilla de Lucas no casting.

Camilla de Lucas | Apartamento 03 Imagem: Fotosite

Com tons invernais e palha natural, vermelho cerâmica, marinho, verde neon, rosa, estampas exclusivas, as peças foram todas desenhadas a mão e pensadas pelo estilista Luiz Cláudio, com o auxílio do artista plástico e educador Gilson Plano.

O baile do quinto dia da SPFW chegou ao fim com Isaac Silva. Com o funk mais uma vez presente, assim como o pagode baiano de Psirico, o designer apresentou uma colaboração com a Havaianas com todas as peças exclusivas idealizadas batizadas de "Cores da Bahia".

Isaac Silva | SPFW N52 Imagem: Marcelo Soubhia/Fotosite

Com um portfólio mais robusto a partir de inspirações diversas, das mais conhecidas às mais regionais, como os búzios, o mar e até a rica variedade em pimentas, a coleção se montou com foco no brasileiro e no baiano com peças de banho, camisetas e sandálias.

Tudo da forma mais festiva o possível. E, sobretudo, representando o Brasil das ruas.

5º dia da SPFW N52

Veja os desfiles das demais marcas que desfilaram neste sábado (20).

Lucas Leão

Confira a cobertura feita por Nossa do desfile, feito anteriormente ao São Paulo Fashion Week.

Baska

Corcel

Fauve

Angela Brito

Dapedro

Bispo dos Anjos

Renata Buzzo

Comunicar erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Baile funk e verdadeiro Brasil na passarela: o que marcou o 5º dia da SPFW - UOL

Obs: Link e título da página são enviados automaticamente ao UOL


São Paulo Fashion Week