PUBLICIDADE
Topo

Com roupas esgotadas, Marina Ruy Barbosa expande sua marca: "Grande acerto"

Em entrevista para Nossa, Marina Ruy Barbosa fala sobre lançamento da nova coleção da Shop Ginger e a imersão no universo da moda - Fernando Tomaz
Em entrevista para Nossa, Marina Ruy Barbosa fala sobre lançamento da nova coleção da Shop Ginger e a imersão no universo da moda Imagem: Fernando Tomaz

Gustavo Frank

De Nossa

17/11/2021 04h00

É o segundo ano de vida de Shop Ginger. A marca de moda criada por Marina Ruy Barbosa tem um histórico que impressiona: em seu lançamento, as peças se esgotaram em 12 horas.

Apresentando uma nova coleção, intitulada "Riviera", a (agora não só) atriz expande os negócios, com a abertura de uma pop-up na capital paulistana, enquanto busca um caminho mais criativo para o que era seu "grande sonho".

"É um projeto que nasceu de cheio de ambição e 'ansiedade'", diz ela em entrevista para Nossa.

Poderíamos ter vendido mais peças, criado mais coleções, lançado mais produtos... Mas não é o que acreditamos. O sucesso imediato traz a tentação do crescimento rápido e desenfreado, mas fiquei muito feliz com as escolhas de gestão que fizemos durante o ano"

O "crescimento controlado", mencionado por Marina, é o que fez com que ela pudesse se aprofundar nos processos criativos por trás das coleções.

Em suas palavras, isso permitiu com que ela investisse mais na própria visão sobre a identidade da Shop Ginger e criasse produtos dos quais se orgulha.

"Estou mais segura no que acredito e menos pressionada a apresentar algo que seja puramente comercial", comenta. "A troca com o nosso time criativo também me ajudou muito a moldar quem somos enquanto marca".

Hoje, nos sentimos mais seguros em relação à nossa visão e criatividade, pois sabemos que o consumidor entende a Ginger como uma marca que sai do lugar-comum e que não se prende ao que o mercado dita como tendência".
Marina Ruy Barbosa

Inspirações nos anos 60

Marina Ruy Barbosa | Shop Ginger - Fernando Tomaz - Fernando Tomaz
Marina Ruy Barbosa | Shop Ginger
Imagem: Fernando Tomaz

A mais recente coleção Riviera, que já está com diversas peças esgotadas no site oficial da Shop Ginger, é um retorno aos anos 1960. Com uma paleta de cores mais diversa, as peças trazem ainda o comprimento mini e fazem alusão a trabalhos conceituados do artista David Hockney e arquiteto Rem Koolhaas.

"Trouxemos muitos dos shapes e silhuetas da época, apostando em elementos icônicos dos anos 60, como os comprimentos mini e os recortes geométricos e simétricos. Esses elementos ficam muito claros em toda a coleção", recorda.

Nosso moodboard foi preenchido com as famosas ilustrações da Condé Nast de 1936, além de capas vintage de revistas de moda. Campanhas de marcas como Emilio Pucci e desfiles da Prada também foram fonte de inspiração. Outro artista que que também teve importância no processo foi o fotógrafo Martin Parr, que traz uma fotografia documental irônica e cheia de personalidade".

"Moda dopamina"

Shop Ginger | Riviera - Fernando Tomaz - Fernando Tomaz
Shop Ginger | Riviera
Imagem: Fernando Tomaz
Shop Ginger | Riviera - Fernando Tomaz - Fernando Tomaz
Shop Ginger | Riviera
Imagem: Fernando Tomaz

Essa abordagem mais colorida da Shop Ginger vem em um timing pertinente. De acordo com a varejista de moda "Lyst", a "moda dopamina" é uma das grandes tendências do momento — partindo do pressuposto de que, em um cenário pós-pandêmico, as roupas podem nos causar alegria ao agregar estampas e tons mais divertidos.

No último trimestre, pesquisas voltadas para peças com mais cores (e menos pretas), cresceram 229% em todo o mundo. O relatório é feito a partir das buscas feitas por mais de 150 milhões de pessoas e 17 mil marcas.

Para Marina, é inevitável ignorar a retomada da vida às ruas, que acontece de forma parcial: "Estamos em um momento em que a rotina está voltando aos poucos, o que gera um sentimento de esperança e uma vontade de viver a vida intensamente, com mais intenção".

Quero que a Ginger faça parte do tipo de moda que eu acredito: que valoriza o corpo, que evidencia o que cada uma tem de melhor e que seja usada como uma forma de expressão".

Shop Ginger | Riviera - Fernando Tomaz - Fernando Tomaz
Shop Ginger | Riviera
Imagem: Fernando Tomaz

Sustentabilidade

Shop Ginger | Riviera - Fernando Tomaz - Fernando Tomaz
Shop Ginger | Riviera
Imagem: Fernando Tomaz

Com discussões envolvendo o meio ambiente, a indústria da moda é um dos principais alvos para que mudanças sejam implementadas. Isso porque, de acordo com a ONU, esse setor é um dos mais poluentes, respondendo por algo entre 8% e 10% das emissões globais de gases-estufa — mais do que a aviação e o transporte marítimo juntos.

Acompanhando tais passos, a Shop Ginger tenta não ficar para trás. Para isso, a confecção das peças usam um tecido de cânhamo, derivado da cannabis, e viscose sustentável, uma fibra que é derivada de madeira e polpa sustentável e tem redução de 50% de consumo de água em comparação a outras viscoses.

"Nos dias de hoje, não cabe mais lançar uma marca que não esteja disposta a contribuir positivamente com a sociedade de alguma forma", opina Marina. "Toda marca pode contribuir de alguma forma e estar disposta a rever conceitos e processos que possam trazer algum tipo de melhoria. Precisamos encontrar formas de quebrar padrões nocivos dentro do mercado."

Optamos pelo slow fashion, com peças mais perenes e versáteis, o que também incentiva o consumo mais inteligente e editado".

Como isso influencia nos preços?

A partir desse conceito, o preço das roupas são influenciados. A coleção Riviera, por exemplo, transita entre peças que vão desde R$ 197 até R$ 1,4 mil.

Os valores, para a dona da marca, são entendidos por suas clientes, visto o "cuidado e a preocupação" os quais a etiqueta está assumindo.

"Escolhas sempre influenciam os preços, como com acabamentos de qualidade, tecidos premium ou sustentáveis, tiragens menores de peças, processos de produção corretos e responsáveis", argumenta Marina. "Todos esses elementos inevitavelmente serão refletidos no valor final das peças".

Sucesso como "um privilégio"

Marina Ruy Barbosa | Shop Ginger - Fernando Tomaz - Fernando Tomaz
Marina Ruy Barbosa | Shop Ginger
Imagem: Fernando Tomaz

O sucesso da Shop Ginger é notável. Além das peças esgotadas, como já citado anteriormente, a abertura de uma loja física em São Paulo reflete o crescimento da marca — e a admiração do seu público, em sua grande maioria, mulheres millennials.

Marina credita parte desse "boom" a sua influência já conquistada entre as brasileiras, alcançada por meio dos papéis interpretados na TV, e os mais de 39 milhões de seguidores que acumula no Instagram.

Ainda assim, ela ressalta que a etiqueta, desde o começo, "andou com as suas próprias pernas" e particularmente sempre fez questão de separar "o papel da Marina atriz da Marina empresária".

"Entendo a relevância da minha influência digital e reconheço que tenho muito suporte das pessoas que me acompanham. É um privilégio", comenta. "Ainda assim, criar uma moda própria e autêntica foi um grande acerto para a Shop Ginger".

Sobre o futuro, o intuito é ajudar a construir o futuro da moda. Em planos mais práticos, a atriz cogita a abertura de mais lojas físicas, para complementar e fidelizar a marca, e a colaboração com projetos sociais.

"Em termos gerais, nosso sonho continua sendo nos tornar um grande e relevante player do mercado de moda nacional", conclui.