PUBLICIDADE
Topo

Número de viajantes aéreos no Brasil ainda é menos que metade do pré-covid

A pesquisa detectou ainda que 1 a cada 12 passageiros foi afetado por atrasos cancelamentos no trimestre, isto é, 938 mil pessoas - Getty Images
A pesquisa detectou ainda que 1 a cada 12 passageiros foi afetado por atrasos cancelamentos no trimestre, isto é, 938 mil pessoas Imagem: Getty Images

De Nossa

11/11/2021 12h31

Companhias aéreas transportaram 11,2 milhões de passageiros no terceiro trimestre — entre julho e setembro — de 2021 nos aeroportos brasileiros, um número ainda menor do que a metade daquele que viajou no mesmo período de 2019, antes da pandemia de covid-19. Entre julho e setembro de 2019, foram 25,7 milhões os passageiros que passaram pelos aeroportos do país.

A conclusão é de um levantamento feito pela AirHelp, empresa especializada em direitos dos viajantes, que comparou os dados de voos regulares nos dois intervalos. A pesquisa detectou ainda que 1 a cada 12 passageiros foi afetado por atrasos cancelamentos no trimestre, isto é, 938 mil pessoas.

Atrasos de mais de quatro horas atingiram 9,1 mil passageiros no terceiro trimestre de 2021, momento de retomada do turismo do país. Já 103 mil passageiros tiveram seus voos cancelados. A empresa estima ainda que 1 a cada 114 viajantes se encaixa nas regras da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) para solicitar indenização às companhias aéreas.

A lei prevê que é possível pedir o reparo financeiro quando os atrasos ou cancelamentos causam prejuízo ao cliente da companhia e não houve questões meteorológicas ou motivos de força maior que impediram o embarque na data e horário previstos.

No entanto, atualmente as companhias estão desobrigadas de prestarem auxílio aos passageiros se houver fechamento de fronteiras devido à pandemia. Entenda as regras.

Aeroportos mais problemáticos

O maior número de viajantes afetados por cancelamentos e atrasos foi detectado no Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, com 219 mil passageiros em embarques fora do horário comprado ou que nunca chegaram a voar.

O Aeroporto Internacional do Recife ficou em segundo lugar, com 81 mil passageiros afetados. O terceiro lugar foi do Aeroporto Internacional de Viracopos, que registrou 64 mil passageiros prejudicados.

Em quarto lugar esteve o Aeroporto Internacional Santos Dumont, no Rio de Janeiro, com 60 mil clientes das companhias atingidos pelo mesmo problema. Já Congonhas, em São Paulo, terminou em quinto com 47 mil passageiros impactados por atrasos e cancelamentos.