PUBLICIDADE
Topo

Estúdio de 42 m² foge do óbvio com tijolinhos, mezanino e até poste de rua

Meu apê - Guilherme Abreu - Arquivo Pessoal
Meu apê - Guilherme Abreu Imagem: Arquivo Pessoal

Carol Scolforo

Colaboração para Nossa

11/11/2021 04h00

Antes da pandemia, Guilherme Abreu estava sempre fora de casa: o trabalho de executivo de treinamentos o levava a viajar o país todo. Em Belo Horizonte (MG), sua pista de pouso era a casa dos pais. Assim que tudo se fechou no mundo, os meses de home office e videochamadas trouxeram a necessidade de um canto só seu. Foi assim que ele encontrou esse estúdio, o único residencial do condomínio.

"Fechava os olhos e imaginava um apartamento aconchegante e convencional. À medida que comecei a expandir os filtros de busca no aplicativo, achei lofts, estúdios e kitnets. Me encantei pelo fato desse espaço não ter acabamentos diferentes e me dar liberdade para criar uma decoração, além de ser compacto — tem 30 m² no térreo e 12 m² no mezanino", conta.

Sofá Chesterfield de Guilherme - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Sofá Chesterfield de Guilherme
Imagem: Arquivo Pessoal
Decoração da escada que leva ao nível superior - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Decoração da escada que leva ao nível superior
Imagem: Arquivo Pessoal

Os tijolos aparentes já existiam. O objetivo era se desviar de qualquer aspecto muito industrial ou com cara de fazenda. "Fui colecionando referências e vi que não faria sentido ter elementos como laca brilhante, por exemplo, nos móveis", diz.

Feitos por ele mesmo

Estante na parede - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Estante na parede
Imagem: Arquivo Pessoal
Jardim suspenso na mesa de jantar - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Jardim suspenso na mesa de jantar
Imagem: Arquivo Pessoal

Na sala, o ambiente ganhou um jardim suspenso, um varal de luzes sobre a mesa — feito por ele e os pais —, um bar vertical charmoso, inspirado por um dos programas de decoração que Guilherme ama ver na TV e até poste de jardim, o que dá um charme a mais no décor. O contraste dos tons terrosos com o preto resulta em um visual moderno, jovem.

Durante o processo, com os números da pandemia altos, ele lidou com a angústia de não poder fazer um open house. "Sabe o sonho de adolescência de sair de casa e estourar o champanhe, fazer festa? Respeitei bastante o isolamento. Mas as pessoas pediam para mandar foto. Foi assim que tive a ideia de compartilhar no instagram, no perfil @morandonumestudio", conta.

Quarto de Guilherme Abreu - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Quarto de Guilherme Abreu
Imagem: Arquivo Pessoal

Lá ele divide o estilo de vida que leva no estúdio, com comidinhas e criações como os banquinhos feitos a partir de uma coleção de revistas. "Esse lugar é uma extensão da minha personalidade. Completei 1 ano aqui e já fiz uma inversão total das salas. Faço uma seleção rigorosa do que entra aqui", diz ele, um aficionado por utilitários de cozinha que tenta segurar a onda para não acumular.

Não há área de serviço ou lavanderia. A vida é prática no estúdio, assim como é bem real, sem a pretensão de que seja capa de revista.

Quero só mostrar um estilo de vida, ideias e me divertir".

O guarda-roupa aberto foi uma das escolhas para a mobília - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
O guarda-roupa aberto foi escolha para a mobília
Imagem: Arquivo Pessoal
Cozinha do apartamento ganhou as paredes pretas - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Cozinha do apartamento ganhou as paredes pretas
Imagem: Arquivo Pessoal

Dicas de Guilherme para imprimir personalidade no apê

Referências, verticalizar apê e "faça você mesmo" são as dicas de Guilherme Abreu - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Referências, verticalizar apê e "faça você mesmo" são as dicas de Guilherme Abreu
Imagem: Arquivo Pessoal
  • Verticalize. Viu o bar vertical de Guilherme? "Vim dos anos 1980, onde havia aqueles bares gigantes e altos, com taças penduradas. Não bebo todos os dias e aqui a ideia foi colocar o bar verticalizado. Vi essa dica em algum programa de TV e me inspirei. Esse é criação minha, inspirado nos pegboards americanos. Fiz em metal com preto para o estúdio não ficar com cara de fazenda. A tela de arame com moldura de ferro mandei fazer na serralheria e coloquei uma fita de led por trás."
  • Dê um charme com iluminação. O varal de luzes é outra ideia que funcionou bem no estúdio. "Traz luz e combina com o pé-direito alto daqui. Pontos de luzes adicionais foram importantes no meio, além dos trilhos que já existiam. Passei a incluir um jardim suspenso nesse varal e arrematei tudo com uma moldura do mesmo tamanho da mesa de jantar."
  • Busque referências. "Salve conteúdos e coloque numa pastinha tudo o que você gosta. Assim você vai entender qual é seu estilo. Essas referências se repetem em algum momento e é assim que você vai descobrir do que gosta. Fiz isso para delimitar a paleta de cores e até hoje sigo para comprar coisas como roupa de cama."
  • Faça você mesmo. Isso vai ajudar a ter maior conexão com seu apartamento. Guilherme tinha coleções de revistas e com elas fez dois bancos que se apoiam em decks com rodinhas, e são amarrados por um cinto. "Não queria gerar esse lixo todo e de quebra ganhei bancos para a casa."

@s que me inspiram

@um_canto_rustico

“A Gisele tem uma casa com cara de Pinterest, com estilo farm. Parece que você está dentro de um filme no oeste nos EUA. Ela faz tudo muito com as próprias mãos e usa muita marcenaria. Parece com o estúdio em determinado ponto.”

@meus32m

“Grasi mora numa kitnet de 32 m² e tem muitas soluções para espaços pequenos. Ela conseguiu fazer a decoração ter uma pegada descolada, atual, imprimindo o estilo dela. Me inspira demais.”