PUBLICIDADE
Topo

Bichos

Tudo o que você precisa saber para cuidar do seu pet

Aquário em casa: como cuidar dos peixes e manter o espaço dos pets saudável

Ter peixes em casa requer cuidados específicos - Getty Images/iStockphoto
Ter peixes em casa requer cuidados específicos
Imagem: Getty Images/iStockphoto

Juliana Finardi

Colaboração para Nossa

10/11/2021 04h00

Eles não demandam muito espaço, nem exigem tanta interação quanto cães e gatos. Não sujam a casa, não fazem barulho e não necessitam de passeios. Esse é o tipo de pet que se encaixa nas suas pretensões como tutor? Então, você precisa ter um peixe e adotar o aquarismo como hobby.

A maior "facilidade" para criar peixes na comparação com outros pets, porém, não significa que basta comprar um aquário, acessórios e jogar os peixinhos lá. É preciso atenção para o monitoramento e ajustes da água, alimentação dos bichinhos, manutenção dos equipamentos e limpeza do aquário.

"Muitas pessoas acham que menos interação entre bicho de estimação com o tutor remete a maior independência do animal, mas não é bem assim.

Peixes não precisam sair para passear, mas necessitam do cuidado e atenção do tutor para viverem felizes e saudáveis em seus aquários", afirma o biólogo da Cobasi Cláudio Soares.

Não basta adquirir uma aquário para ter peixes em casa - Getty Images - Getty Images
Não basta adquirir uma aquário para ter peixes em casa
Imagem: Getty Images

Como começar

Responsável pelo treinamento dos colaboradores da área de aquarismo da rede de petshops, Soares salienta que a opção em ter um peixe como pet passa inicialmente pela compreensão da responsabilidade de se ter um animalzinho de estimação e ter o comprometimento de cuidar e oferecer o melhor bem-estar a ele.

Decidido a ter um ou mais peixinhos nadando pelo seu novo aquário, o tutor também precisa ter em mente os valores que terá de desembolsar inicialmente. Dependendo do tamanho do aquário e da quantidade e tipo de peixes, os custos iniciais podem variar entre R$ 500 e R$ 1.500. Depois, há gastos com a alimentação dos peixinhos, manutenção e acessórios.

Cuidar de peixinhos não é igual a ter cães ou gatos - Getty Images/iStockphoto - Getty Images/iStockphoto
Cuidar de peixinhos não é igual a ter cães ou gatos
Imagem: Getty Images/iStockphoto

Soares lembra que é fundamental ter os equipamentos que tornam viável a vida embaixo d´água.

Além do aquário, são necessários o filtro, responsável por filtrar e oxigenar a água do aquário; termostato, equipamento que aquece e mantém a temperatura da água estável para os peixes; iluminação, para proporcionar o fotoperíodo, que é a sensação de dia e de noite; e decoração, que são os cascalhos e enfeites de acordo com a necessidade da espécie e preferência do tutor.

Além dos equipamentos, o biólogo diz que também são necessários produtos para testes e ajustes dos parâmetros da água para a estabilização química como condicionador de água para remover cloro e metais pesados, teste de PH para monitoração e corretor de PH acidificante ou alcalinizante para ajustes.

Ajuda profissional

Para entender sobre todos estes termos e saber como cuidar corretamente do aquário e dos peixinhos, não basta ter sido um bom aluno de química e biologia na escola. Os especialistas recomendam estudos e assessoria de um profissional especializado no assunto.

Ajuda profissional é essencial na hora de montar seu aquário - Getty Images/iStockphoto - Getty Images/iStockphoto
Ajuda profissional é essencial na hora de montar seu aquário
Imagem: Getty Images/iStockphoto

"O tutor deve procurar ajuda profissional para obter direcionamentos de como melhor criar o seu peixe, de maneira que o bem-estar dele seja preservado. Cada espécie tem uma peculiaridade e uma necessidade diferente", afirma Frederico Fontanelli Vaz, veterinário e coordenador do curso de Medicina Veterinária da Anhanguera.

De acordo com o veterinário, os principais pontos que o tutor deve observar no aquário, além da manutenção e monitoramento da água, são os filtros, que devem ser observados ou trocados mensalmente; alimentação dos peixes, com informações sobre a melhor ração para cada espécie, frequência e quantidade corretas; e iluminação.

Uma dica é não deixar o aquário em locais que recebam muita luz solar durante o dia, pois estimulará o crescimento rápido de algas", diz.

Qual escolher

Com os estudos sobre manutenção em dia, chega a hora de definir quais peixinhos habitarão o mini oceano dentro de casa. Para começar, o biólogo recomenda os animais com menor grau de exigência.

Existem diversas espécies de peixes e, claro, cada um possui particularidades. Para iniciantes, o peixe Betta é um ótimo começo, mas não é o único. Peixes-espadas, Lebistes, Molinesias e Platis também são fáceis de serem cuidados e, diferente do Betta, podem conviver todos juntos", afirma Soares.

Vaz também recomenda espécies de fácil trato como os Tetra Neon, Mato Grosso, Paulistinha, Limpa-Vidro (o famoso cascudinho), Rasbora Arlequim e o Guppy.

Peixe Betta, uma das boas opções para começar seu aquário - Getty Images/iStockphoto - Getty Images/iStockphoto
Peixe Betta, uma das boas opções para começar seu aquário
Imagem: Getty Images/iStockphoto

Por serem bichinhos com formato elegante e cores chamativas, os peixes são pets indicados para crianças porque desperta atenção e incentiva os pequenos a cuidarem do animalzinho adquirindo novas responsabilidades. Porém, dependendo da idade, a criança pode se desinteressar rapidamente com a novidade na casa, de acordo com Vaz, em virtude da falta de interação direta com o peixinho, diferente do que acontece com cães e gatos.

Outro ponto que os tutores/pais devem observar é a longevidade dos animais. "Os peixes ornamentais não vivem por muito tempo, o que pode preparar as crianças para possíveis perdas. O Betta, por exemplo, pode viver de 2 a 5 anos. Os Guppy, em média 2 anos, mas a Carpas podem viver por até 20 anos", ensina Vaz.

Uma dica importante do veterinário é que o tutor obtenha orientações sobre a espécie que escolher para ter em casa.

É importante conhecer, consultando um profissional, quais peixes podem ser misturados e quais não, pois alguns podem ser agressivos e até levarem outros à morte."

Seja qual for a escolha do tutor, é preciso ter em mente que peixe é um pet como qualquer outro. "E necessita de muito carinho e atenção", finaliza Soares.

Como manter um aquário

Saiba como manter seu aquário - Getty Images - Getty Images
Saiba como manter seu aquário
Imagem: Getty Images

Manutenção da água

A água é o ambiente onde os peixes vivem e por isso deve ser monitorada diariamente, semanalmente e mensalmente.

Deve-se checar diariamente a temperatura da água, para que esteja na média confortável para as espécies.

Semanalmente, remover 10% da água e adicionar nova água sem cloro, e testar os níveis de pH, amônia, nitrito e nitrato (existem kits prontos para isso).

Mensalmente, remover 25% da água e substitui-la por água sem cloro. Jamais trocar toda a água do peixe de uma vez, pois com ela você removerá todos os componentes químicos e biológicos que os peixes já estavam acostumados. Essa troca brusca pode ser intolerável à vida dos peixinhos.

O tutor também deverá aprender a aspirar o fundo do aquário com auxílio de uma bomba ou sifão, para remover as sujeiras acumuladas. Se necessário, remover algas e detritos com uma esponja nova, sem utilizar qualquer produto.

Filtro

Também deve ser realizada manutenção dos filtros mensalmente. O filtro ajuda a neutralizar os níveis de amônia e nitritos da água, removendo detritos e purificando.

Alimentação

O tutor deverá aprender qual melhor ração fornecer para os peixes e qual a frequência correta.

Iluminação

O tutor deverá se informar qual a melhor iluminação para as espécies no aquário. Uma dica é não deixar o aquário em locais que recebam muita luz solar durante o dia, pois estimulará o crescimento rápido de algas.