PUBLICIDADE
Topo

EUA detalham regras para turismo; menores de 18 não precisarão de vacina

Passageiros em aeroporto em Nova York, EUA: Máscaras serão cobradas dos turistas na retomada do turismo no país - Getty Images
Passageiros em aeroporto em Nova York, EUA: Máscaras serão cobradas dos turistas na retomada do turismo no país Imagem: Getty Images

De Nossa

25/10/2021 16h26

O Departamento de Estado americano detalhou hoje as regras que deverão ser cumpridas por turistas internacionais que desejem voltar ao país a partir do dia 8 de novembro, quando os EUA reabrem suas fronteiras depois de mais de um ano e meio de pandemia.

Menores de 18 anos não terão vacinação exigida. No entanto, todo viajante de 2 a 17 anos acompanhado de um adulto totalmente vacinado deverá apresentar resultado de exame negativo para a covid-19 realizado em até três dias antes do embarque. Aqueles que viajam sozinhos, de acordo com o The New York Times, deverão apresentar o resultado obtido um dia antes.

Pessoas que comprovarem que, por motivos médicos, não podem ser vacinadas ou ainda, que demonstrarem prova de que a viagem foi feita em caráter de emergência e/ou humanitário e não puderam ser testados também serão desobrigados das exigências estabelecidas pelo CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças).

A Casa Branca ainda anunciou que residentes de países onde o acesso à vacinação é restrito, isto é, aqueles que possuem menos de 10% de sua população vacinada, também estarão liberados de apresentar o comprovante de vacinação, mas reforçou a exigência do cumprimento do uso de máscaras e obediência de outras medidas sanitárias como condição para a entrada no país.

É possível comprovar a imunização, inclusive a mista (com doses de diferentes vacinas), através da plataforma ConecteSUS, do governo federal, onde há opção para gerar o certificado também em inglês.

Quais vacinas serão aceitas?

As autoridades sanitárias liberaram, para o turismo, visitantes que comprovem ter recebido a segunda dose há pelo menos duas semanas de qualquer imunizante aprovado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para uso emergencial.

São eles os dos laboratórios Janssen, Pfizer, Moderna, AstraZeneca (Covishield ou Vaxzevria), Sinopharm e Sinovac, conhecido no Brasil como a vacina CoronaVac.

Cidadãos que receberam esquema vacinal misto, ou seja, doses de mais de um tipo de vacina, também serão considerados totalmente imunizados após duas ou três doses.

Turistas que entrarem em território americano por via terrestre ou marítima não precisarão ser testados.

O CDC exige que todos os passageiros de voos internacionais que chegarem aos EUA (em trânsito ou como destino final), incluindo cidadãos norte-americanos, apresentem um comprovante de teste de covid-19 negativo realizado nos últimos 3 dias ou um atestado de recuperação da covid-19.

O teste deve ser viral (PCR ou de antígeno) com um resultado "negativo" ou "COVID-19 não detectado" (testes com resultado "inválido" não serão aceitos) e estar comprovado por escrito o resultado negativo do teste do passageiro, além de incluir o nome do passageiro e outras informações de identificação exatamente como aparecem no passaporte ou outro documento de identificação usado pelo viajante.

Os brasileiros que se recuperaram da covid-19 de 14 e 90 dias antes da ida aos EUA podem apresentar um resultado positivo do teste e uma carta emitida por uma autoridade sanitária com a liberação para viajar.

O atestado de recuperação deve incluir:

  • Comprovante de teste positivo obtido no máximo 90 dias antes da partida (o resultado deve indicar "positivo" ou "COVID-19 detectado"; testes com resultado "inválido" não serão aceitos)
  • Uma carta de um profissional de saúde ou agente de saúde pública certificado liberando o passageiro para viajar
  • Nome ou outras informações de identificação do passageiro exatamente como aparecem no passaporte ou outra forma de identificação válida utilizada