PUBLICIDADE
Topo

Usina icônica de disco do Pink Floyd é novo point bilionário de Londres

Reconhece este lugar? Esta é parte da nova Battersea Power Station, local icônico de Londres - Brendan Bell
Reconhece este lugar? Esta é parte da nova Battersea Power Station, local icônico de Londres
Imagem: Brendan Bell

Carlos Eduardo Oliveira

Colaboração para Nossa

15/10/2021 04h00

"Londres é a melhor Nova York que existe", disse certa vez Washington Olivetto sobre a capital inglesa. Residente há anos na cidade, o publicitário cravou bom humor para sintetizar que em Londres coexiste "o melhor de todos os mundos". A metáfora faz tão sentido que o premiado ex-chairman da gigante W/McCann a usa até hoje.

Porque, qual fênix, Londres sempre se reinventa. Foi assim após as toneladas de bombas nazistas na Segunda Guerra. Promete ser assim no pós-pandemia, agora que as rigorosas medidas sanitárias suavizaram, reabrindo a cidade. No cardápio, a inauguração de um fantástico complexo multifuncional de nove bilhões de libras (pela conversão, nada menos que R$ 67 bilhões), fábula cacifada em boa parte por um consórcio malaio de investidores.

Ícone da cidade e do rock

Voltando no tempo, estava eu em minha primeira vez em London Town quando cochilei em um táxi. Ao chacoalho do carro, acordei e literalmente perdi o fôlego ao ver materializada em minha frente a "capa do Animals", um dos meus discos favoritos do Pink Floyd: a majestosa Battersea Power Station.

Capa de "Animals", disco icônico do Pink Floyd - Reprodução - Reprodução
Capa de "Animals", disco icônico do Pink Floyd
Imagem: Reprodução

Explica-se: em 1977, o quarteto londrino criador do rock progressivo usou uma foto retrabalhada artisticamente da antiga usina termoelétrica para ilustrar a capa de seu décimo álbum. A capa do disco ajudou a dar fama mundial à usina e torná-la ícone cultural.

Icônico porco da capa de "Animals" voa novamente sobre a Battersea Power Station 35 anos depois - Marc Broussely/Redferns - Marc Broussely/Redferns
Icônico porco da capa de "Animals" voa novamente sobre a Battersea Power Station 35 anos depois
Imagem: Marc Broussely/Redferns

Construída em 1935 na "cara" do rio Tâmisa, a Battersea entrou em operação em meio à guerra, em 1944, gerando importante parte da energia londrina. Por emitir gases poluentes, acabou fechada nos anos 80.

De alguns anos para cá, quem passasse de trem por ali não veria mais que uma paquidérmica estrutura metálica envelopando a fábrica, a ponto de ocultar até suas quatro icônicas chaminés de 50 metros de altura.

Battersea power station em foto de julho de 1955 - Michael Hardy/Picture Post/Hulton Archive/Getty Images - Michael Hardy/Picture Post/Hulton Archive/Getty Images
Battersea Power Station em foto de julho de 1955
Imagem: Michael Hardy/Picture Post/Hulton Archive/Getty Images
Bombardeios em Londres, durante a Segunda Guerra Mundial. Foto de julho de 1943 em que se vê a Battersea Power Station ao fundo - The Royal Photographic Society Collection/Victoria and Albert Museum, London/Getty Images - The Royal Photographic Society Collection/Victoria and Albert Museum, London/Getty Images
Bombardeios em Londres, durante a Segunda Guerra Mundial. Foto de julho de 1943 em que se vê a Battersea power station ao fundo
Imagem: The Royal Photographic Society Collection/Victoria and Albert Museum, London/Getty Images

Novos tempos

O pano começou a cair (com pompa e circunstância e ao som da Sinfônica de Londres) em junho de 2021, quando a fase inaugural do projeto foi lançada e os primeiros moradores se mudaram para lá.

As obras de renovação da Battersea Power Station - Getty Images/iStockphoto - Getty Images/iStockphoto
As obras de renovação da Battersea Power Station
Imagem: Getty Images/iStockphoto

Surgia, assim, a "nova" Battersea Power Station, um megacomplexo residencial, comercial e de lazer e entretenimento de números estonteantes, obra assinada pela Battersea Power Station Development Company, com projeto do arquiteto Rafael Viñoly, nova-iorquino de referência internacional.

Com aproximadamente oito milhões de metros quadrados, o empreendimento, ainda em andamento, divide-se em conjunto residencial com 4239 apartamentos; conjunto de escritórios; 25 restaurantes e cafés (incluindo cervejaria artesanal própria e a nova pizzaria do chef Gordon Ramsay) em um imenso food hall de 18 mil metros quadrados denominado Circus West Village.

As obras de renovação da Battersea Power Station, em fevereiro de 2020 - Mike Kemp/In Pictures via Getty Images - Mike Kemp/In Pictures via Getty Images
As obras de renovação da Battersea Power Station, em fevereiro de 2020
Imagem: Mike Kemp/In Pictures via Getty Images

Além disso, o espaço vai abrigar 250 lojas de serviços variados; academia e academia de boxe sob a grife do astro do boxe Anthony Joshua (medalha de ouro nas Olimpíadas de Londres 2012); teatro, cinema (dois), centros médicos, creche, um hotel, área de eventos para dois mil convivas. E duas estações de polícia. Ufa.

O escritório da Apple no Reino Unido já se bandeou para lá. Hugo Boss e outras top grifes já deram o "sim" para suas novas lojas. Sting, baixista da banda The Police, garantiu seu apê anos atrás, ainda na planta.

Nova Battersea Power Station  - Brendan Bell - Brendan Bell
Nova Battersea Power Station
Imagem: Brendan Bell

Quando 100% funcional, o projeto prevê 25 mil pessoas morando e trabalhando no próprio local, além, claro, da circulação de visitantes. Criada especialmente para a (com trocadilho) Station, uma estação da Northern Line do metrô foi inaugurada este ano. O complexo também será atendido pelos préstimos do river bus service, o eficiente transporte fluvial da cidade.

Na parte residencial, unidades variam de 610 mil libras (pela conversão, cerca de R$ 4 milhões para um studio flat) a 8,5 milhões de libras (cerca de R$ 64 milhões) para um três dormitórios com terraço. Estas mesmas unidades podem ser alugadas por, respectivamente, 425 libras (R$ 3200) e duas mil libras (R$ 15 mil) — por semana. Amenidades incluem acesso a lounge, spa, piscina, serviço exclusivo de concierge e sala de projeção.

Visual antigo permanece (em partes)

Detalhe: a estrutura arquitetônica original da usina permanece intacta, já que o empreendimento foi construído em seu entorno. A única "mexida" se deu justamente nas chaminés que, danificadas pelo tempo, passaram por restauro.

Nova Battersea Power Station  - Brendan Bell - Brendan Bell
Nova Battersea Power Station
Imagem: Brendan Bell

E, luxo dos luxos, em uma delas está sendo incrustado (para 2022) o elevador panorâmico sci-fi que conduzirá visitantes ao terraço em formato de cúpula envidraçada, proporcionando visão 360 graus com o Tâmisa por testemunha.

Tudo isso, entretanto, é só a primeira etapa. A cereja do bolo chega em 2022, com a inauguração oficial do complexo e da monumental alameda Malaysia Square. Também denominada the imenso boulevard, é seguro apostar em um novo hub turístico londrino a caminho — até porque o elegante Chelsea fica a menos de dez minutos de trem dali.

Inclusão, aliás, é uma das metas conceituais do projeto, que tem como premissa "nutrir uma comunidade vibrante em seu entorno". Dessa forma, a instituição Battersea Power Station Foundation foi criada para implantar um conjunto de iniciativas para assistir cultural e financeiramente os bairros vizinhos.