PUBLICIDADE
Topo

EUA reabrirão fronteiras terrestres para viajantes vacinados em novembro

A cidade de Seattle, nos Estados Unidos, próxima à fronteira com o Canadá, que será reaberta - iStock
A cidade de Seattle, nos Estados Unidos, próxima à fronteira com o Canadá, que será reaberta Imagem: iStock

De Nossa*

13/10/2021 10h33

Após anunciar que reabriria seus aeroportos para turistas vacinados em novembro, o governo de Joe Biden decidiu voltar a receber viajantes, também imunizados, pelas fronteiras terrestres com o Canadá e o México. A informação foi confirmada por um funcionário da Casa Branca à agência AFP.

Ainda não foi divulgada a data precisa em que a nova medida entra em vigor, mas a informação deve ser anunciada "em breve", de acordo com o funcionário.

No entanto, segundo a agência ANSA, é esperada que a reabertura ocorra simultaneamente à liberação da entrada de visitantes internacionais de 33 países, incluindo o Brasil, com quaisquer imunizantes aprovados pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

A exigência de vacinação será válida apenas para os viajantes não essenciais, ou seja, turistas. Aqueles que viajam por outros critérios, como razões de saúde, humanitárias, familiares, profissionais ou diplomáticas continuarão a ser liberados mesmo sem imunização durante o fim de 2021. A partir de janeiro de 2022, todos os visitantes deverão estar vacinados.

Devido à pandemia, o governo americano fechou as fronteiras para viagens não essenciais em março de 2020. A restrição provocou prejuízos econômicos e separação de famílias. Por esse motivo, Canadá e México já pressionavam os Estados Unidos a flexibilizar a medida.

Segundo informou o funcionário da Casa Branca à AFP, a espera para exigir a vacinação dos viajantes essenciais, que entrará em vigor só em janeiro, dará tempo suficiente para que trabalhadores, como motoristas de veículos de carga nas fronteiras, se imunizem.

Além disso, as restrições em vigor nas fronteiras terrestres, que expirarão em 21 de outubro, devem ser prorrogadas mais uma vez, até a data em que as novas regras começarão a valer.

Vacinas que serão aceitas

Segundo a determinação do Centro para a Prevenção e Controle de Doenças (CDC), "todas as vacinas aprovadas pela FDA (Agência de Medicamentos e Alimentos dos Estados Unidos) e pela Organização Mundial da Saúde serão aceitas para viagens aéreas".

O mesmo valerá para as viagens terrestres, informou o funcionário da Casa Branca. Com isso, as vacinas da AstraZeneca e a CoronaVac se juntarão às da Moderna, da Pfizer e da Janssen na lista de imunizantes aceitos para a entrada no país.

Ele ainda alertou que o "Título 42", a controversa lei que permitiu ao governo Donald Trump e depois à administração de Joe Biden deportar pessoas em situação irregular por razões de saúde, desde o início da pandemia, continuará sendo aplicada.

O texto foi criticado por várias organizações porque restringiria particularmente o direito de asilo. Recentemente, a lei foi usada pela Casa Branca para expulsar haitianos que se reuniram na fronteira com o México.

O governo americano ainda deve anunciar, em breve, os procedimentos que serão cobrados dos viajantes — como exames — para o retorno ao país.

*Com informações da AFP e da ANSA