PUBLICIDADE
Topo

"Roda de samba é um fortalecimento de fé", diz Criolo no Botequim da Teresa

Bruno Calixto

Colaboração para Nossa

10/10/2021 04h00

Kleber Cavalcante Gomes, mais conhecido sob o nome artístico de Criolo ou, anteriormente, Criolo Doido, é um cantor, rapper, compositor e ator brasileiro, indicado ao Grammy Latino de 2019. Ele foi o convidado especial da estreia da nova temporada do programa "Botequim da Teresa", apresentado pela cantora (e rainha das lives) Teresa Cristina.

"Meu amigo querido, Criolo doido, nem tão doido assim. Um doce eu diria", o recebe Teresa, que conversa com ele sobre música brasileira e alguns dos encontros que protagonizaram ao longo da vida.

Teresa Cristina e Criolo nos bastidores do "Botequim da Teresa" - Zô Guimarães/UOL - Zô Guimarães/UOL
Teresa Cristina e Criolo nos bastidores do "Botequim da Teresa"
Imagem: Zô Guimarães/UOL

Um deles aconteceu em Paris, durante um festival de cinema no qual foi exibido um filme com a participação de Criolo. Teresa foi contratada para fazer o show de abertura e convidou o rapper para cantarem juntos uma música de Cartola.

O jeito que você me recebeu ali, abrindo as portas para mim, a minha voz não saiu. Estava ali de alma toda, ninguém está preparado para uma Teresa Cristina. Me fortaleceu na minha vontade de fazer samba", comenta o músico

No programa, Criolo surpreendeu Teresa com uma música inédita em homenagem à cantora - Zô Guimarães/UOL - Zô Guimarães/UOL
No programa, Criolo surpreendeu Teresa com uma música inédita em homenagem à cantora
Imagem: Zô Guimarães/UOL

Criolo caiu no gosto popular com "Não existe amor em SP", faixa do álbum "Nó na orelha", lançado há dez anos e que projetou o artista paulistano nacionalmente.

Poética, a música revelou uma nova abordagem para rap, com versos cantados e até melódicos, mas sem perder o olhar crítico, principalmente para a vida urbana. O encontro entre Criolo e Teresa foi sempre atravessado pela arte. "Nunca pensei que a conheceria pessoalmente, por ser uma alma do samba", derrete-se ele. O papo vai longe?

Amor à primeira vista

Teresa Cristina e Criolo, Botequim da Teresa - Zô Guimarães/UOL - Zô Guimarães/UOL
Imagem: Zô Guimarães/UOL

Teresa e Criolo se conheceram tête-à-tête durante a passagem de som para um show de Pretinho da Serrinha no Circo Voador, reaberto esta semana no Rio.

"Lembro da noite em que te conheci, e você já era gigante. Nunca soube agir diante de um famoso. Era um show que a gente ia fazer no Circo, e na passagem de som, você me cumprimentou e pegou nom meu braço", comenta Teresa.

"Era para saber: será que ela é de verdade?", responde Criolo.

Entre sambas e acordes dissonantes, os dois seguem o bate-papo trocando elogios e citações valiosas.

"Tinha uma grande cantora brasileira, Zezé Gonzaga, que dizia que não é a gente que escolhe a música, mas a música que escolhe a gente. O samba escolheu você", diz a anfitrião, dirigindo-se ao convidado, que devolve:

"A força do samba é lembrar a força que você tem. Uma força que lembra que você está vivo, e o samba lembra que você é capaz de fazer coisas boas", ele filosofa. "Samba antes de qualquer coisa é amor não é só ziriguidum não. Roda de samba é um fortalecimento de fé."

Samba e território

Criolo, Botequim da Teresa - Zô Guimarães/UOL - Zô Guimarães/UOL
Imagem: Zô Guimarães/UOL

Criolo é cria do Grajaú, zona Sul de São Paulo, o berço musical é o Pagode da 27, que fez 16 anos, firmando-se como uma importante roda de samba nas periferias paulistanas.

"Não só uma linha do tempo, mas de que território a gente vem, isso já diz um tanto sobre a gente. O Pagode da 27 é uma escola muito grande. Esta microhistória, uma audácia da minha parte, que eu tenho com o samba, é muito pelos ensinamentos e as vivências do Pagode da 27. Há 16 anos, faça chuva faça sol, todo domingo".

Enquanto desenrola mais elogios ao samba, entra em cena o cavaquinista Ricardo Rabello para acompanhar o músico que entoa músicas próprias como "Fermento pra massa" e "Dilúvio da solidão" e o clássico "Lama", de Mauro Duarte. Toda a equipe cantou junto, dos bastidores do Botequim.

Criolo e Teresa aproveitaram a levada para exaltar bambas como Nelson Sargento, Monarco e Martinho da Vila. "Esses nomes todos, de uma humildade, e generosidade absurda", diz ele.

Na homenagem ao centenário do samba, Jorge Aragão pediu: 'escutem o disco deste menino'"

"Isso é coisa de sambista, enxerga a verdade e põe para frente. Uma verdadeira celebridade, a verdadeira nobreza", emenda Teresa, digna da homenagem prestada pelo convidado no encerramento: uma música inédita, inteirinha só para ela. "Em nome do amor? Teresa hoje saúdo teu canto". Merece!

Samba, série e Teresa

O "Botequim da Teresa" vai ao ar todas as sextas-feiras, às 11 horas, no Canal UOL e no YouTube de Nossa (inscreva-se já para receber os lembretes). Em cada episódio, Teresa Cristina recebe um convidado especial e ensina a fazer os petiscos clássicos de alguns do botequins mais famosos do Rio de Janeiro. O programa é uma coprodução de Nossa e MOV, a plataforma de vídeo do UOL.