PUBLICIDADE
Topo

Malta oferece visto de um ano para nômades digitais interessados no país

A Catedral de São Paulo é um dos cartões postais de Malta que os novos residentes poderão ver de perto - Ewg3D/Getty Images
A Catedral de São Paulo é um dos cartões postais de Malta que os novos residentes poderão ver de perto Imagem: Ewg3D/Getty Images

De Nossa

28/09/2021 09h11

Malta está procurando nômades digitais — profissionais de outros países que trabalham remotamente — interessados em viver no país durante um ano.

Segundo a revista Travel and Leisure, o governo do arquipélago, que é parte da União Europeia, está oferecendo um novo tipo de visto, chamado Nomad Residence Program ou Programa de Residência para Nômades como parte do seu projeto "Work From Malta" (Trabalhe de Malta, em tradução livre) para atrair novos residentes.

A iniciativa está aberta a cidadãos estrangeiros, inclusive "de países de terceiro mundo", de acordo com o governo local, que ganhem mais do que 2.700 euros por mês (cerca de R$ 17 mil em cotação de hoje) como funcionários de empresas de fora de Malta, como freelancers, consultores ou empresários.

É preciso também comprovar o aluguel de sua nova residência, ter um passaporte válido, plano de saúde com cobertura para incidentes no arquipélago e ter sido vacinado em seu país de origem com uma das vacinas reconhecidas pela Agência Europeia de Medicamentos. São elas: Pfizer, Moderna, Janssen e AstraZeneca (Vaxzevria). A versão Covishield, produzida no Brasil pela Fiocruz, ainda não é reconhecida pelo órgão regulador, assim como a CoronaVac.

As autoridades locais ainda realizam uma checagem de antecedentes criminais dos candidatos ao visto. O processo é realizado em inglês, uma das duas línguas oficiais do país, além do maltês.

Aqueles que se entusiasmarem com as praias limpas do Mediterrâneo, cidades pequenas em que é possível se locomover a pé e cartões postais arquitetônicos podem fazer o pedido de renovação ou extensão do visto por um período maior.

Atualmente, Malta tem 84% de sua população completamente imunizada contra a covid-19.