PUBLICIDADE
Topo

Brasileira aprende a pilotar motão para desbravar sozinha rota nos EUA

Letícia, sozinha na estrada: brasileira aprendeu a dirigir para viajar - Arquivo pessoal
Letícia, sozinha na estrada: brasileira aprendeu a dirigir para viajar
Imagem: Arquivo pessoal

Marcel Vincenti

Colaboração para Nossa

15/09/2021 04h00

Lançado em 1969, o clássico filme "Sem Destino" (ou "Easy Rider", em inglês) provou que as rodovias e paisagens naturais dos Estados Unidos ficam ainda mais bonitas numa viagem de moto.

Foi também sobre duas rodas que a brasileira Leticia Mello desbravou sozinha parte do interior norte-americano em junho e julho deste ano. Mas, ao contrário do que indica o nome do longa-metragem estrelado por Peter Fonda e Dennis Hopper, ela tinha um destino claro: o montanhoso Glacier National Park, em Montana.

Ela, com 1,59 metros, e a moto de 230 quilos - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Ela, com 1,59 metros, e a moto de 230 quilos
Imagem: Arquivo pessoal

Até chegar a este objetivo, porém, Leticia encarou um trajeto que foi além dos quilômetros de asfalto. Como não tinha experiência com motocicletas, o ponto de partida foi tirar carta e arranjar uma moto.

"Moro nos Estados Unidos desde 2014. No meio da pandemia, comecei a pensar nas dificuldades para voltar a viajar em transportes coletivos, como o avião e o ônibus".

A moto surgiu como solução. Garante o isolamento e dá liberdade".

Símbolo de liberdade: Letícia no Glacier National Park - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Símbolo de liberdade: Letícia no Glacier National Park
Imagem: Arquivo pessoal
A reserva natural era o seu marco quando decidiu fazer a viagem - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
A reserva natural era o seu marco quando decidiu fazer a viagem
Imagem: Arquivo pessoal

Ela fez aulas e, com a permissão em mãos, comprou uma Yamaha V Star usada, ideal para longos percursos em estrada. Phillipe, seu parceiro, a ajudou a aprimorar as técnicas em estacionamentos vazios e nas ruas da cidade de Eagle, no Colorado, onde moram.

Ela comprou a moto pensando na viagem - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Ela comprou a moto pensando na viagem
Imagem: Arquivo pessoal

Como se não fosse o suficiente, Letícia, que tem 1,59 de altura, reforçou as atividades físicas para ter força para manusear a moto de 230 quilos. "Em dois meses de treinamento meses, ganhei três quilos e me senti mais confiante para a viagem".

A ideia de fazer uma viagem de moto sozinha me trouxe um frio na barriga e um desejo de fazer algo novo acontecer"

Nas icônicas paisagens naturais de Utah, eternizadas no cinema - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Nas icônicas paisagens naturais de Utah, eternizadas no cinema
Imagem: Arquivo pessoal

Rodinhas na estrada

Em junho deste ano, Leticia deixou Eagle e, com sua motoca, pegou a estrada rumo ao Glacier National Park. No total, foram 3.500 quilômetros em 14 dias de viagem. "Cruzei os Estados do Colorado, Utah, Wyoming, Idaho e Montana".

O mapa da viagem sonhada - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
O mapa da viagem sonhada
Imagem: Arquivo pessoal

No percurso, a brasileira se encantou com a cadeia montanhosa conhecida como Bitterroot, visitou cidadezinhas abandonadas que lembram cenários de filmes, interagiu com outros motociclistas, visitou o lindo lago Flathead e pôde explorar as paisagens da região do Yellowstone National Park.

Tudo com o vento no rosto e, frequentemente, completamente só entre a natureza e o asfalto.

Paradas: nos EUA, estabelecimentos de apoio não faltam - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Paradas: nos EUA, estabelecimentos de apoio não faltam
Imagem: Arquivo pessoal

"Cheguei a fazer 400 quilômetros por dia", lembra ela, dizendo que, na hora do descanso, dormia em hotéis de beira de estrada, acomodações do Airbnb e esquema de Couchsurfing (no qual anfitriões disponibilizam espaços em suas casas para hospedar viajantes de maneira gratuita).

Parada na Going-to-the-Sun Road, um dos pontos altos da rota - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Parada na Going-to-the-Sun Road, um dos pontos altos da rota
Imagem: Arquivo pessoal

Um dos pontos altos da jornada, como era de se supor, foi a chegada ao Glacier National Park, onde Leticia pilotou na Going-to-the-Sun Road, que serpenteia entre montanhas nevadas, penhascos, bosques e lagos. "É uma das estradas mais bonitas com certeza. Significou muito para mim conseguir chegar até lá".

Sem perrengues, com empoderamento

Leticia no Glacier National Park - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Leticia no Glacier National Park
Imagem: Arquivo pessoal

Após tanto preparo, Leticia conta que sua jornada foi quase totalmente livre de perrengues sérios. "No começo da viagem, senti muito cansaço físico e dores no corpo. Mas fui me acostumando", lembra.

"Como tudo era novo para mim, me planejei demais e tomei muito cuidado na estrada. Nos EUA, você consegue encontrar facilmente mercados, restaurantes e serviços mecânicos mesmo em lugares remotos".

De moto no Glacier National Park - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
De moto no Glacier National Park
Imagem: Arquivo pessoal

Durante a aventura, a brasileira criou um enorme vínculo emocional com sua motoca e fiel parceira. Ao voltar para casa, porém, foi hora de exercitar o desapego. Por um bom motivo: passar um mês em uma ilha afastada do Alasca em breve, fazendo trabalho voluntário com a comunidade local.

A experiência, é claro, ficou na bagagem:

Momento selfie: viajar sozinha fez parte da descoberta de sua força - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Momento selfie: viajar sozinha fez parte da descoberta de sua força
Imagem: Arquivo pessoal

"Viajar pelos Estados Unidos em cima de uma moto possante acabou sendo uma espécie de demonstração de que uma mulher baixinha e com cara de menina como eu também pode fazer isso. Depois de vendê-la, notei que não preciso da moto para parecer e ser forte e livre".

O mundo do motociclismo é muito masculino. Na viagem, não vi nenhuma outra mulher andando de moto sozinha".

Letícia compartilha seus trajetos pelo perfil @byleticiamello.