PUBLICIDADE
Topo

Adubo certo garante saúde das plantas. Saiba quais escolher e como aplicar

Qual adubo é o ideal para suas plantas? Descubra tipos e o melhor período para adubagem - Getty Images/iStockphoto
Qual adubo é o ideal para suas plantas? Descubra tipos e o melhor período para adubagem
Imagem: Getty Images/iStockphoto

Silvia Montico

Colaboração para Nossa

31/07/2021 04h00

Se você é do time dos que amam plantas, mas não entende nada sobre adubos, saiba que algumas dicas podem ajudar você a parar de matar as suas plantas por excesso ou falta desses fertilizantes e a escolher o adubo certo para cada tipo de cultivo.

Primeiro, é importante entender que o adubo nada mais é que do que composto multivitamínico para as plantas. Em um ambiente natural, esses nutrientes essenciais são reabastecidos no solo a partir da decomposição de matéria orgânica e do desgaste das rochas ao longo do tempo, explica a paisagista Marina Tadeu, que compartilha conteúdos diversos sobre plantas no perfil do Instagram @eueumesmaeasplantas.

Mas, em nossas casas, entretanto, os nutrientes do solo de nossos vasos de plantas vão acabando com o tempo, à medida que as plantas o consomem. É por isso que é importante repor os nutrientes"

Adubagem é ideal para repor os nutrientes das plantas - Getty Images - Getty Images
Adubagem é ideal para repor os nutrientes das plantas
Imagem: Getty Images

Os nutrientes do adubo

Segundo ela, os principais nutrientes encontrados nos adubos são nitrogênio (N), fósforo (P) e potássio (K), que são fundamentais para a saúde da planta.

"Eles são chamados de macronutrientes e cada um tem uma função. O nitrogênio promove o crescimento das plantas, o fósforo é responsável pela formação de raízes, flores e frutos, e o potássio dá resistência a doenças e estresse", explica.

Outros nutrientes benéficos encontrados em adubos, estes chamados de micronutrientes, são cálcio, magnésio, ferro e outros.

Fique de olho nos nutrientes que sua planta precisa - Getty Images - Getty Images
Fique de olho nos nutrientes que sua planta precisa
Imagem: Getty Images

Qual escolher?

"Os fertilizantes podem ser sólidos, líquidos, de liberação lenta, de liberação rápida, específicos para um tipo de planta, orgânicos ou químicos. O primeiro passo é entender o que você precisa, para escolher qual adubo vai te atender melhor", explica Marina.

Entre os fertilizantes ainda existem duas categorias: a de adubo orgânico, que são resíduos animais ou vegetais, e que necessita da decomposição para fazer efeito, e ainda os adubos químicos, oriundos da extração de minérios ou do petróleo. "Neste caso, os seus nutrientes já começam a ser absorvidos pelas plantas no momento da adubação", completa a paisagista.

Os tipos de adubos mais comuns são o bokashi; esterco; húmus de minhoca; farinha de conchas; farinha de osso, chorume, torta de algodão, de mamona e de algas e o NPK (N de nitrogênio, P de fósforo e K de potássio).

Compostagem é solução para adubo simples e barato - Getty Images - Getty Images
Compostagem é solução para adubo simples e barato
Imagem: Getty Images

Para quem é adepto dos fertilizantes orgânicos, Marina faz um alerta que não funciona colocar casca de fruta e restos de alimentos nas plantas.

Para servir como adubo, esses resíduos precisam antes passar por uma composteira, onde sofrerão um processo natural de decomposição para transformar os resíduos de alimento em adubo — separar e reutilizar restos de alimentos é uma opção simples para produzirmos nosso próprio adubo e reduzir a quantidade de lixo.

Cuidados com o excesso de adubo

Algumas plantas requerem fertilizantes especiais com um equilíbrio específico de nutrientes. Algumas delas são os cactos, suculentas, plantas carnívoras e orquídeas.

"No geral, plantas de ambientes internos, respondem bem aos adubos orgânicos, de lenta absorção. Eu sempre indico os orgânicos, pois uma grande questão quando se trata de adubação em plantas de vaso é pecar pelo excesso.

A verdade é que mais plantas sofrem com o excesso de fertilizante do que com a falta dele", frisa Marina.

Na hora de adubar, não peque pelo excesso - melGreenFR/ Pixabay - melGreenFR/ Pixabay
Na hora de adubar, não peque pelo excesso
Imagem: melGreenFR/ Pixabay

O excesso pode queimar raízes e folhas. Por isso, em caso de dúvida, o ideal segundo a paisagista é usar menos.

"Adubos de rápida absorção, por serem mais 'agressivos' podem ser fatais para a planta. Por algum motivo os fabricantes colocam no rótulo a quantidade máxima que uma planta pode tolerar, por isso indico usar a metade indicada pelos fabricantes. Respeitar o intervalo entre uma adubação e outra também é fundamental", detalha.

Adubo completo

Para quem quer um adubo orgânico que seja bem completo e indicado para a maior parte das plantas, a especialista indica o Bokashi.

"Ele é de lenta absorção e feito a partir de fermentação de produtos de origem vegetal ou animal, tendo como ingredientes mais comuns farinhas de osso de peixe ou sangue (origem animal), além de tortas de mamona, algodão, bagaço de cana e outros componentes de origem vegetal", salienta.

Cada tipo de planta pede um adubo - Getty Images - Getty Images
Cada tipo de planta pede um adubo
Imagem: Getty Images

Além dos nutrientes mais comuns em adubos, como o trio de macronutrientes nitrogênio-fósforo-potássio (NPK), o bokashi também fornece os micronutrientes como cálcio, níquel, boro, zinco, molibdênio e outros. "Ele contém também microorganismos vivos que auxiliam a planta na absorção dos nutrientes".

Intervalos de adubação

Para não pecar pelo excesso, é extremamente necessário respeitar os intervalos de adubação, que vai depender do adubo utilizado e da época do ano.

É mais indicado adubar nos períodos de maior desenvolvimento da planta, quando ela está crescendo ativamente e não em tempos de dormência", orienta a paisagista.

As estações da primavera e verão são ótimos momentos, porque é quando elas estão crescendo mais e, portanto, usando os nutrientes que damos a elas mais rápido. Já no inverno, a dica é diminuir bastante a fertilização.

A paisagista Marina Tadeu, do @eueumesmaeasplantas - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
A paisagista Marina Tadeu, do @eueumesmaeasplantas
Imagem: Arquivo pessoal

A aplicação do adubo também requer alguns cuidados, pois erros também podem ser fatais para a planta. "A maneira correta de aplicar o adubo vai depender do tipo utilizado. É preciso evitar adubar assim que comprar a planta, pois você ainda não sabe as reais necessidades e pode acabar prejudicando", diz Marina.

Outra dica, segundo ela, é não usar vários tipos de adubo ao mesmo tempo. "Escolha um e respeite a quantidade adequada e o prazo entre uma aplicação e outra", diz.

Além disso, quando uma planta é replantada, suas raízes ficam mais vulneráveis à queima de fertilizantes. Espere algumas semanas antes de fertilizar para dar tempo da planta se ajustar ao seu novo lar. "Afinal, as plantas recentemente replantadas terão nutrientes atualizados do novo substrato", finaliza.