PUBLICIDADE
Topo

Luminárias plissadas exaltam processo delicado com inspiração japonesa

Descendente de quatro avós japoneses, Mel Kawahara cria luminárias que exploram estética que reflete sua origem - Divulgação
Descendente de quatro avós japoneses, Mel Kawahara cria luminárias que exploram estética que reflete sua origem
Imagem: Divulgação

Carol Scolforo

Colaboração para Nossa

27/07/2021 04h00

Mel Kawahara

Mel Kawahara

Quem é

Arquiteta formada pela Fau-Usp, Melissa Kawahara atua como designer à frente da marca que leva seu nome, especializada em luminárias com dobras

Um plissado elegante assume formas diversas nas mãos de Mel Kawahara todos os dias. Nele, misturam-se talento, estética e luz, em um encontro que não foi simples. A formação em Arquitetura concluída em 2014 em São Paulo, deu a base para múltiplas facetas dentro da profissão.

"Mas logo que saí, fui trabalhar em um escritório de arquitetura por três anos. Ao longo desse tempo percebi que ficar no computador não era bem o que queria", conta. Como já havia feito uma pesquisa com papel e dobras na USP, onde estudou, pensou em seguir o caminho do design.

"Nessa época ainda não sabia o que poderia fazer com aquela pesquisa. Depois de uma viagem para países nórdicos da Europa, vi o quanto as luminárias eram importantes na vida deles, afinal, passam a maior parte do ano com luz artificial. São povos que dão valor a possuir itens de iluminação em casa. Passei a observar que a esses objetos não precisam ter uma forma tão determinada pela função."

De volta, ideias novas

Obras criadas por Mel Kawahara - Divulgação - Divulgação
Obras criadas por Mel Kawahara
Imagem: Divulgação

Ao pisar no Brasil, veio o estalo: sua pesquisa na faculdade se transformaria em uma linha de luminárias. "Criei um objetivo e fui atrás de material", lembra.

No fim de 2017, as seis peças criadas e divulgadas para amigos foram um sucesso de vendas. "Tenho amigos arquitetos e alguns indicaram para clientes e para outros amigos. Deu certo."

Mais certo ainda foi expor em feiras de design maiores, em São Paulo — Mel passou a atender clientes finais, que correspondem a metade de seu faturamento. A produção atual gira em torno de 40 peças por mês.

O filme de polipropileno, um polímero, hoje torna suas peças mais resistentes que o papel, que ficou no passado.

A luz preenche o espaço sem precisar de muita coisa. Tem uma beleza etérea, sem materializar o contorno. Minha casa só tem luz indireta e acredito que isso traga serenidade, calma."

Manualidades

Luminárias de Mel Kawahara - Divulgação - Divulgação
Luminárias de Mel Kawahara
Imagem: Divulgação
Dobras dos objetos criam identidade da artista - Divulgação - Divulgação
Dobras dos objetos criam identidade da artista
Imagem: Divulgação

Uma a uma, as peças são criadas em um processo bastante manual.

"Não é simples desenvolver. Começo com esboços, planifico o desenho pelo computador e envio para a gráfica fazer os vincos. Deixo plissar de um dia para o outro, para que a luminária toma sua forma e depois faço as dobras complementares. Algumas levam até cinco horas", detalha.

Descendente de quatro avós japoneses, Mel acredita ter herdado deles o gosto pelo fazer manual e respeito pelo tempo da elaboração de um objeto.

É um processo delicado, mas essa é a essência do artesanal. Não poderia ser de outro jeito."

@s que me inspiram

@isseymiyakeofficial

“Amo tudo o que ele faz: como divulga a marca, como faz a direção de arte, elabora os desfiles, como ele pensa em cada detalhe de suas marcas. Acho sensacional.”

@ronanerwanbouroullec

“Esses dois irmãos franceses são designers com desenhos únicos. Pelo perfil deles, entendemos como eles têm a ver com as peças que produzem, eles comunicam isso muito bem.”