PUBLICIDADE
Topo

"Traído" por tempo, Medina adotou relógio nas Olímpiadas. Conheça o modelo

Gabriel Medina nas Olímpiadas no Japão - Xinhua/Du Yu
Gabriel Medina nas Olímpiadas no Japão Imagem: Xinhua/Du Yu

Gustavo Frank

De Nossa

27/07/2021 09h57

O nome de Gabriel Medina, que vai voltar para a casa sem medalha, já era bem falado pouco tempo antes da pandemia, muitas vezes junto ao da esposa, Yasmin Brunet. Impedido de levar a modelo como acompanhante para as Olimpíadas de Tóquio, no Japão, sua companhia para a competição na foi, na verdade, um relógio.

A Folha de S. Paulo noticiou como o atleta inovou ao aparecer com o acessório nos pulsos: "Não uso [relógios], não. Mas na minha penúltima competição eu meio que vacilei na bateria, estou tentando me acostumar. Não uso [normalmente], mas ajuda".

O surfista Gabriel Medina - Lisi Niesner/Reuters - Lisi Niesner/Reuters
O surfista Gabriel Medina
Imagem: Lisi Niesner/Reuters

O motivo seria para ter uma maior noção do tempo das baterias, que têm duração determinada. A reportagem relembra ainda que, dois meses antes de viajar ao Japão, Medina foi eliminado de uma competição, na Austrália, por se atrapalhar no tempo.

O relógio que o surfista carrega consigo agora é o modelo branco Next Tide, da Rip Curl, que, inclusive, é lançamento para a linha feminina da marca. O produto pode ser comprado por R$ 1,4 mil. Suas características incluem vidro de cristal mineral e fecho de aço inoxidável para ambientes marinhos.

Relógio Rip Curl - Reprodução - Reprodução
Relógio Rip Curl
Imagem: Reprodução
Peça custa R$ 1,4 mil - Reprodução - Reprodução
Peça custa R$ 1,4 mil
Imagem: Reprodução

Os relógios de surfe

Relógios de surfe contam com tecnologias que antecipam informações sobre a maré, por exemplo - Lisi Niesner/Reuters - Lisi Niesner/Reuters
Relógios de surfe contam com tecnologias que antecipam informações sobre a maré, por exemplo
Imagem: Lisi Niesner/Reuters

Mais do que um mero acessório, os relógios voltados aos surfistas são uma espécie de aliados para os atletas. Isso porque eles têm funções inteligentes que facilitam a vida deles durante a prática do esporte. É possível "programar as praias" e ter informações sobre a maré e o vento, por meio de gráficos disponibilizados no display da peça.

É por meio do chamado ATS ("Sistema Automático de Marés", em português) que isso acontece. A tecnologia "antecipa a maré", ou seja, faz um monitoramento dos picos dos melhores momentos para a prática de surfe — o que nas Olimpíadas pode não ser útil, mas no dia a dia e treinamento, sim.

No site do acessório de Medina, a marca reforça que "você consegue rapidamente verificar o estado atual da maré e se programar para estar na água na hora certa, aproveitando mais suas sessões de surf".

Coleção

Coleção "Made for Gabriel Medina" da Rip Curl - Reprodução - Reprodução
Coleção "Made for Gabriel Medina" da Rip Curl
Imagem: Reprodução

"Made for Gabriel Medina" é como se intitula a coleção criada por Gabriel Medina em colaboração com a marca australiana, voltada à moda surfe e a qual ele é parceiro de longa data.

Os relógios também marcam presença lá, embora não seja o que o surfista tenha levado para as competições no Japão. A peça em questão é um acessório que chega aos R$ 3,4 mil. A caixa preta e dourada, em que o produto é embalado, reforça o preço exorbitante: toda preta e com a assinatura do brasileiro.

A linha assinada pelo surfista traz ainda regatas, camisetas, bolsas e bermudas de praia. Sendo essas últimas, com os valores mais gritantes. custando até R$ 700. Na venda, o site reforça como "o tratamento repelente a água que o tecido [fios de poliéster e elastano] recebe garante secagem super rápida".

*O UOL pode receber uma parcela das vendas pelo link recomendado neste conteúdo. Preços e ofertas da loja não influenciam os critérios de escolha editorial.