PUBLICIDADE
Topo

Este minivestido virou a peça mais desejada de 2021: por que o sucesso?

Vestido assimétrico criado pela estilista albanesa Nensi Dojaka; peça figura o 10º lugar entre as mais pesquisadas no mundo - Reprodução/Instagram
Vestido assimétrico criado pela estilista albanesa Nensi Dojaka; peça figura o 10º lugar entre as mais pesquisadas no mundo Imagem: Reprodução/Instagram

Gustavo Frank

De Nossa

28/05/2021 04h00

Um vestido preto é uma peça que praticamente toda mulher tem como curinga. Talvez esse seja um dos motivos, embora não o mais relevante, para que a peça criada por Nensi Dojaka se tornasse uma das mais procuradas, e consequentemente populares, do primeiro trimestre de 2021.

No relatório produzido trimestralmente pela Lyst Index, plataforma de buscas no universo da moda, incluindo pesquisas no Google, o mini vestido assimétrico da estilista albanesa figurou em 10º lugar entre os itens mais desejados entre o público feminino — e ainda maior, o único vestido dentre os demais itens, que incluem o tênis da Nike que pode ser vestido sem as mãos, um bucket hat da Adidas e um relógio Rolex.

A roupa vai além do tradicional ao explorar cortes não tradicionais em um vestido: o decote é feito por meio de tiras que conectam o busto com tecidos em recortes que contrastam entre o mais baixo e o mais alto. Inspirado na moda dos anos 90, quase 2000, a criação de Densi pode ser comprada atualmente por R$ 13,5 mil, a quem interessar ter o visual "it" do momento.

Por que o sucesso?

Mini vestido assimétrico de Nensi Dojaka - Divulgação - Divulgação
Mini vestido assimétrico de Nensi Dojaka
Imagem: Divulgação

Nensi chegou em Londres, da Albânia, aos 16 anos, onde se formou em bacharelado de moda no London College of Fashion e mestrado na prestigiada Central Saint Martins. Sua estreia, de fato, no universo da moda aconteceu em fevereiro de 2020 — embora essa tenha sido sua terceira coleção de roupas criada ao longo dos estudos.

Sempre há ideias na sua cabeça, mas é preciso começar a entender como as coisas são feitas".
Nensi Dojaka à "Vogue UK"

As peças criadas por ela têm fácil associação a uma identidade: o uso de cortes assimétricos, tecidos que exploram a transparência e a sensualidade. Tudo feito de uma forma nova que mistura todos esses aspectos sem criar repetições óbvias do que já conhecemos.

Tudo começou nos seus primeiros passos, enquanto ainda estudava, com as lingeries. E não demorou muito tempo para que a albanesa chamasse a atenção de celebridades e ganhasse uma primeira fã de peso: Bella Hadid.

Bella Hadid vestindo Nensi Dojaka para o VMA 2020 - Jeff Kravitz/Getty Images for MTV - Jeff Kravitz/Getty Images for MTV
Bella Hadid vestindo Nensi Dojaka para o VMA 2020
Imagem: Jeff Kravitz/Getty Images for MTV

A modelo, que acumula mais de 40 milhões de seguidores no Instagram e está entre as mais bem pagas no mundo, escolheu uma de suas criações para a aparição no VMA 2020: um top transparente com bojo esférico, estilizado com calças justas.

"Aquele momento foi uma loucura", lembrou Dojaka à "Vogue UK". "Foi um pequeno presente."

Nensi Dojaka, estilista albanesa de 27 anos - Raphael Bliss/i-D Magazine - Raphael Bliss/i-D Magazine
Nensi Dojaka, estilista albanesa de 27 anos
Imagem: Raphael Bliss/i-D Magazine

Depois disso, o sucesso veio em efeito dominó. Stylists de celebridades, como Emma Corrin, que deu vida à fashionista Princesa Diana na série "The Crown", da Netflix, e falou para Nossa sobre a participação na trama, usou o mini vestido mais desejado do momento para uma sessão de fotos, elencando-o como uma de suas peças favoritas.

Emma Corrin vestida com o mini vestido assimétrico de Nensi Dojaka - Reprodução/Instagram/@nensidojaka - Reprodução/Instagram/@nensidojaka
Emma Corrin vestida com o mini vestido assimétrico de Nensi Dojaka
Imagem: Reprodução/Instagram/@nensidojaka

O sucesso foi tanto que, inclusive, lojas começaram a vender versões falsificadas de suas roupas, que traziam recortes e tecidos semelhantes, embora não tivessem sido desenvolvidos pela jovem designer. O hábito dos varejistas de baixo custo em roubar o trabalho de marcas emergentes, mesmo errado, costuma ser frequente na Europa e, principalmente, nos polos de moda, como Londres e Paris.

Acaba por ser uma mão de via dupla para artistas, como Nensi: ao mesmo tempo em que seus trabalhos passam a ser reconhecidos por uma gama muito maior de pessoas, seus trabalhos são desvalorizados e, consequentemente, perdem o valor criativo e de exclusividade.

Além do preto

Nensi Dojaka | Semana de Moda de Londres 2020

Os que tiveram a oportunidade de assistir ao desfile da estilista albanesa na Semana de Moda de Londres, em fevereiro de 2020, testemunharam as cores cinza e preto como predominantes — mesmo que alguns tons de verde e de marrom também apareçam de forma esporádica nos looks.

No entanto, os próximos passos de Nensi tendem a ser mais coloridos. E ainda melhor: uma alfaiataria mais refinada, que transita entre tons quentes como vermelhos e rosa cereja. Prova disso são suas peças para o Outono/Inverno 2021.

Nensi Dojaka | Outono/Inverno 2021 - Divulgação - Divulgação
Nensi Dojaka | Outono/Inverno 2021
Imagem: Divulgação
Nensi Dojaka | Outono/Inverno 2021 - Divulgação - Divulgação
Nensi Dojaka | Outono/Inverno 2021
Imagem: Divulgação

O preto é uma das razões pela qual eu me destaco, mas eu amo cores."
Nensi Dojaka

Enquanto o mundo ainda passa a conhecer melhor a albanesa, sua próxima ambição é a criação de uma linha de sapatos — preferencialmente tão assimétricos quanto seus vestidos, blusas e saias.