PUBLICIDADE
Topo

'Medo de onça': 300 km numa jornada a pé no coração do Brasil

Richard em sua peregrinação pelo Caminho de Cora Coralina, em Goiás - Richard Oliveira
Richard em sua peregrinação pelo Caminho de Cora Coralina, em Goiás Imagem: Richard Oliveira

26/05/2021 04h00

No meio da pandemia, o goiano Richard Oliveira, de 31 anos, encontrou uma maneira original de fazer uma viagem com muito isolamento.

No último dia 25 de janeiro, ele começou, sozinho, uma caminhada de 302 quilômetros que, em 15 dias, cruzou boa parte de Goiás em uma rota conhecida como Caminho de Cora Coralina.

Trata-se de um trajeto sinalizado que cruza lindas paisagens e dá acesso a cachoeiras e municípios históricos do Estado, como a Cidade de Goiás, onde nasceu e viveu a grande poetisa Cora Coralina.

Caminho de Cora Coralina - Richard Oliveira - Richard Oliveira
Imagem: Richard Oliveira

"Sempre tive vontade de fazer o Caminho de Santiago, na Espanha", conta Richard.

Mas descobri que, na minha terra, na minha raiz, havia o Caminho de Cora, que é bem estruturado. Fiquei motivado para realizar a viagem e valorizar as belezas do meu Estado"

Com um mochilão pesando 15 quilos, ele iniciou sua peregrinação na cidade de Corumbá de Goiás e, nas duas semanas seguintes, andou de 9 a 27 quilômetros por dia, percorrendo a pé muitas estradas de terra e até uma via ferroviária.

Caminho de Cora Coralina - Richard Oliveira - Richard Oliveira
Imagem: Richard Oliveira

No trajeto, o viajante viu de perto a cachoeira do Salto (com cerca de 50 metros de altura), explorou o lindo Parque Estadual da Serra dos Pireneus e visitou a cidade de Pirenópolis (um dos centros urbanos históricos mais belos do Centro-Oeste, com um vasto e bem preservado casario colonial).

mapa caminho de cora coralina - Reprodução - Reprodução
Imagem: Reprodução

Também passou por povoados pacatos, atravessou extensas áreas de agricultura e pecuária e enfrentou desafiadores trechos íngremes, como na região das serras de Caxambu e de Jaraguá — e foi registrando e divulgando seus passos com imagens feitas por um drone, que também compõe um documentário sobre a jornada (assista abaixo).

Caminho de Cora Coralina - Richard Oliveira - Richard Oliveira
Imagem: Richard Oliveira

No rastro da poetisa

"O Caminho de Cora Coralina foi inaugurado em 2018. É um trajeto novo, muita gente ainda não o conhece", explica ele, dizendo que, em diversos momentos, se viu completamente sozinho.

Caminho de Cora Coralina - Richard Oliveira - Richard Oliveira
Imagem: Richard Oliveira

Nadei até pelado em algumas cachoeiras. Foi uma caminhada de muita solitude, que era algo que eu estava buscando"

Richard relata que, ao longo do trajeto, há dezenas de placas com poemas de Cora Coralina. "É algo muito interessante. Você lê o poema e, depois, tem tempo para refletir sobre as palavras de Cora enquanto caminha, em um ambiente de muita contemplação".

Richard Oliveira - caminho de cora coralina - Richard Oliveira - Richard Oliveira
Imagem: Richard Oliveira

Desafios da estrada

Durante a caminhada, Richard dormia nos chamados pousos, nome dado a casas e pousadas que existem ao longo do Caminho de Cora (tanto em cidades quanto em propriedades rurais) e que fornecem hospedagem para os peregrinos.

Sua tática era tomar um café da manhã reforçado nestes locais, reservar alimentos para matar a fome no meio da estrada e voltar a comer só no final do dia, quando chegasse ao próximo pouso.

Caminho de Cora Coralina - Richard Oliveira - Richard Oliveira
Imagem: Richard Oliveira

"Eu me levantava entre 4 e 5 da manhã. E, na região, as pessoas contam muitas histórias de onças. Então, eu sentia adrenalina ao pisar na estrada com tudo escuro, me perguntando se encontraria alguma onça no trajeto. Era um sentimento de aventura que eu gostava de sentir", diz o viajante, relatando que, durante a jornada, cruzou com seriemas, cobras e tamanduás.

Enquanto o sol nascia, as paisagens goianas se revelavam com enorme beleza para Richard: diversos trechos do Caminho de Cora Coralina têm o horizonte marcado por colinas verdejantes, estradas cobertas por túneis de árvores e fazendas históricas.

Caminho de Cora Coralina - Richard Oliveira - Richard Oliveira
Imagem: Richard Oliveira

Mas a rota não estava livre de desafios típicos de uma peregrinação.

Em alguns momentos, me vi muito cansado, com as pernas doendo. Às vezes, me perguntava: 'o que estou fazendo aqui?'"

"Nestas horas, os pensamentos negativos vêm à tona e você pensa em largar tudo. E, sozinho, você não tem ninguém para bater no seu ombro e dar motivação", lembra. Você tem que lidar com esta dificuldade e se superar"

richard oliveira - caminho de cora coralina - Richard Oliveira - Richard Oliveira
Imagem: Richard Oliveira

Para minimizar o cansaço, uma das ações de Richard foi deixar sua mala mais leve. Ele conta que, em uma viagem assim, o certo é ter uma mochila que não passe dos 7 quilos. Ele separou itens que não estava usando na estrada, como uma barraca de camping, e os despachou quando chegou a Pirenópolis.

Histórias humanas

Além de uma linda imersão na natureza, Richard teve interessantes encontros com paisagens e histórias humanas ao longo do Caminho de Cora Coralina.

Caminho de Cora Coralina - Richard Oliveira - Richard Oliveira
Imagem: Richard Oliveira

"No povoado de Caxambu, por exemplo, o maior atrativo é a receptividade das pessoas. Ali, existe uma população goiana raiz de verdade. É onde o turista prova receitas tradicionais da roça, como a galinhada e a pamonha, e escuta histórias do campo, como os relatos sobre aparições de onças", diz.

E, durante a jornada, o viajante também entrou em contato direto com uma das histórias mais lendárias do Brasil rural: a morte do Chico Mineiro, que é tema da canção sertaneja eternizada por Tonico e Tinoco.

Fiquei sabendo que, no caminho, existe a cruz do Chico Mineiro. E meu pai gostava muito da música do Tonico e Tinoco. Quando cheguei na cruz, lembrei do meu pai, que faleceu há seis anos. Foi um momento em que chorei muito"

Caminho de Cora Coralina - Richard Oliveira - Richard Oliveira
Imagem: Richard Oliveira

Como não poderia deixar de ser, o Caminho de Cora Coralina acaba na belíssima Cidade de Goiás, berço da poetiza e marcado por lindas pracinhas, casario histórico, igrejas com centenas de anos e vielas românticas.

Viajante nato (e que já havia feito outras grandes jornadas pelo mundo, principalmente na América Latina), Richard gostaria que o passeio tivesse durado mais.

Caminho de Cora Coralina - Richard Oliveira - Richard Oliveira
Imagem: Richard Oliveira

"Quando a viagem terminou, senti tristeza", diz ele. "Estava chateado porque aquele momento de aventura estava acabando. Fiquei muito conectado com a rotina de peregrino e, ao longo do caminho, fui me fortalecendo. Então, senti que poderia caminhar mais 200 quilômetros".

Para mais informações do roteiro, acesse: caminhodecoracoralina.com.br. Confira também o documentário que Richard preparou sobre sua epopeia no coração do Brasil: