PUBLICIDADE
Topo

Dois brasileiros estão entre os jovens considerados o futuro da gastronomia

Thiago: orgânicos na periferia - Jardiel Carvalho/Folhapress
Thiago: orgânicos na periferia Imagem: Jardiel Carvalho/Folhapress

De Nossa

20/04/2021 18h08

A revista britânica "Restaurant" divulgou nesta terça (20) quem são as 50 promessas que devem moldar o futuro da gastronomia. Dois brasileiros entraram na lista: Thiago Vinícius de Paula da Silva, paulistano de 32 anos do Capão Redondo, e Mariana Aleixo, carioca de 33 do complexo da Maré.

Chamada de 50 next, a seleção foi publicada pela primeira vez. Diferente de como acontece no prestigiado prêmio 50 Best Restaurants, a lista não possui um ranking. Os nomes escolhidos são de jovens entre 20 e 35 anos, de 34 países. Todos passaram por entrevistas e análises.

Thiago Vinícius de Paula da Silva: reconhecido internacionalmente - Jardiel Carvalho/Folhapress - Jardiel Carvalho/Folhapress
Thiago Vinícius de Paula da Silva: reconhecido internacionalmente
Imagem: Jardiel Carvalho/Folhapress

O prêmio se divide em sete categorias — produção, educação, tecnologia, empreendedorismo, ciência, hospitalidade e ativismo — e tem o objetivo de valorizar não só chefs, como pessoas que são ativas e promovem impacto em outras partes do setor.

Thiago e Mariana foram reconhecidos por usar a gastronomia como um agente transformador das comunidades periféricas onde vivem.

Thiago comanda a agência cultural Solano Trindade há 9 anos. Por meio do armazém e restaurante Organicamente Rango, ele promove a democratização dos alimentos orgânicos. Os insumos vêm de pequenos produtores da região e quem cozinha é sua mãe, Nice.

Nosso trabalho é alcançar as pessoas antes que as armas entrem em suas vidas".

Mariana capacita mulheres do complexo da Maré por meio da comida. Seu projeto Maré de Sabores, criado em 2010, oferece cursos de culinária, certificação profissional e experiência num restaurante de bufê tocado pelos formandos. Atualmente, o estabelecimento faz entregas por delivery.

Na pandemia, ela, que é formada em engenharia de produção e em gastronomia, também deu vida a um banco de alimentos que fornece refeições diárias aos mais vulneráveis.

"Meu objetivo é usar a gastronomia para fornecer ferramentas e habilidades aos moradores das favelas, fortalecer os movimentos populares na luta pela segurança alimentar, o acesso às políticas públicas e os direitos das mulheres e ser uma referência para outras áreas periféricas do mundo."