PUBLICIDADE
Topo

Estes drinques prometem curar a ressaca... com mais álcool

Segundo alguns bebedores, a solução da ressaca está em... beber mais - Spencer Platt/Getty Images
Segundo alguns bebedores, a solução da ressaca está em... beber mais
Imagem: Spencer Platt/Getty Images

Felipe van Deursen

Colaboração com Nossa

09/04/2021 04h00

Para ter ressaca, basta beber. Até os senhores comedidos de plantão, em algum momento da vida, escorregaram na linha tênue do autocontrole e tiveram (ou terão) um dia seguinte para esquecer. Entre bebedores mais afoitos, sobram receitas para amenizar os males do exagero, de milagrosos elixires mais suspeitos que corrente de zap a nauseantes misturas que podem provocar movimentos peristálticos inversos e indesejados.

Já os inveterados, ou fanfarrões, se preferir, seguem a máxima do "continuar bebendo" para peitar a ressaca. Ou seja, seus chazinhos para o dia seguinte incluem álcool.

Sempre bom lembrar. Melhor mesmo é moderação e seguir os três pilares de segurança ao beber: beber de estômago cheio, beber devagar e beber água continuamente. Além disso, existem alimentos que cumprem a missão muito melhor. Os drinques listados aqui são, quando muito, uma ajudinha.

"Diante dos meus mais de 35 anos atuando na área, é o que todos sabemos: não existe fórmula mágica para curar a ressaca, infelizmente. Se houvesse, o descobridor estaria bilionário", brinca Paulo Avelino Jacovos, professor do curso de formação de bartenders da Associação Brasileira de Bartenders (ABB).

Veja agora algumas receitas caso seu estômago, e sua cabeça, permitam mais álcool no dia seguinte.

Prairie Oyster's

Prairie Oyster - Getty Images/iStockphoto - Getty Images/iStockphoto
Prairie Oyster
Imagem: Getty Images/iStockphoto

Um clássico do gênero é o Prairie Oyster's: ovo cru, molho inglês, Tabasco, sal e pimenta. É uma mistura que intriga as pessoas há mais de um século como a mistura antirressaca por excelência. Tanto que aparece em uma série de obras de ficção.

O coquetel está no primeiro "Nasce uma Estrela", de 1937 (o da Lady Gaga é a quarta versão do filme). James Bond, agente que abusa da licença para beber, menciona, em "Chantagem Atômica", ter passado semanas tomando Prairie Oyster's e aspirinas contra suas ressacas engravatadas. O Prairie Oyster's está em livro de George Orwell, em filme de Frank Capra e até em séries recentes da Netflix, como "Boneca Russa".

Para quem deseja incrementar a mistura (ou não a achou estranha o suficiente), dá para incluir álcool, como vodca ou brandy. Nesse caso, o Prairie Oyster's é chamado de Amber Moon.

Segundo a ciência, não dá para acelerar os efeitos do consumo exagerado de álcool ingerindo mais álcool. Você apenas os camufla, misturados ao novo porre. Mas, como deve estar bebendo menos do que na infindável noite anterior, a ressaca do dia seguinte pode ser menor.

Quando tomei um Amber Moon justamente para testar seus efeitos (a trabalho), a experiência foi essa: segui entorpecido, apenas menos bêbado que na véspera. A ressaca chegou depois, quase tão infortunada quanto.

Se o álcool em receitas antirressaca não colabora, o ovo pode ajudar. Ele tem cisteína, aminoácido essencial para a produção de glutationa, molécula que quebra o acetaldeído, componente tóxico que se forma no fígado e causa aquela dor de cabeça que impossibilita a compreensão de uma frase como essa, cheia de palavras difíceis.

Só tem outro porém, você sabe. Consumir ovos crus aumenta um bocado a chance de intoxicação alimentar causada por salmonela.

Porto Flip

Porto Flip - Getty Images/iStockphoto - Getty Images/iStockphoto
Porto Flip
Imagem: Getty Images/iStockphoto

Foi registrado pela primeira vez em 1862 e é considerado um digestivo, mas também cumpre a função de ser antirressaca. Segundo Jacovos, esse é um drinque que pode "acalmar a alma e manter o espírito de comemoração, elevando os níveis de glicose, proteínas e água no organismo". Para dar uma animada, se achar necessário, adicione uma colherinha de açúcar.

  • Em uma coqueteleira com gelo, adicione 15 ml de brandy, 45 ml de vinho do Porto e uma gema
  • Agite bem e coe para uma taça de coquetel
  • Finalize com noz-moscada ralada

Brandy Eggnog

Brandy Eggnog - Getty Images/iStockphoto - Getty Images/iStockphoto
Brandy Eggnog
Imagem: Getty Images/iStockphoto

É a velha gemada, mas tem como base um destilado. Tem as mesmas qualidades do Porto Flip, com uma vantagem: pode ser bebido frio no verão ou quente no inverno. "É feito com brandy, mas nos Estados Unidos usam bourbon e fica ótimo, com aquele aroma peculiar de baunilha obtido da queima de barris onde o uísque envelhece", explica Jacovos.

  • Em uma tigela grande, bata as gemas de 2 ovos com 3 colheres (sopa) de açúcar até ficar cremoso. Reserve as claras
  • Acrescente 600 ml de leite, 400 ml de creme de leite e 200 ml de conhaque, uísque ou rum. Mexa
  • Em outra tigela, bata as claras em neve com 1 colher (sopa) de açúcar até formar picos macios
  • Junte com cuidado as claras com a mistura da outra tigela
  • Sirva em copos baixos ou xícaras e finalize com noz-moscada ralada. Rende quatro porções

Michelada

Michelada - Getty Images/iStockphoto - Getty Images/iStockphoto
Michelada
Imagem: Getty Images/iStockphoto

Drinque mexicano de origem incerta, é, diferentemente dos anteriores da lista, uma receita 100% verão. Outra vantagem: fácil de fazer, com ingredientes simples e à disposição. Você pode estar com o cérebro derretido que conseguirá montar mesmo naquelas manhãs dos infernos. Mas uma desvantagem: se seu estômago estiver irritadiço, melhor evitar algo com limão, sal e pimenta...

  • Em um pires, derrame pitadas iguais de sal e pimenta (de preferência caiena) Cubra de sal a borda de um copo longo, previamente gelado
  • Esfregue limão na borda de um copo alto
  • Mergulhe o copo na mistura de sal e pimenta, de modo que ela grude na borda
  • Adicione o suco do que sobrou do limão, pitadas de molho inglês, Tabasco, pimenta-preta e sal
  • Complete com cerveja tipo Pilsen até a boca e finalize com uma rodela de limão

Bloody Maria

Bloody Maria - Getty Images - Getty Images
Bloody Maria
Imagem: Getty Images

É a prima mexicana do Bloody Mary, com tequila no lugar da vodca. Embora tenha gente que encare o primo famoso como um drinque-ressaca, Jacovos é daqueles que não recomenda, por ter muito álcool e ser ácido. "Vai destruir seu estômago", alerta.

Mas o suco de tomate funciona como um empurrão extra para o fígado, sobrecarregado quando você calça sandálias de jaca. Por isso, o ideal mesmo é o Virgin Bloody Mary, sem álcool. Agora, se você tiver estômago e cabeça para algo novo, abra alas para a Bloody Maria.

  • Em uma coqueteleira com gelo, adicione: 2 doses de tequila, 4 de suco de tomate, 4 gotas de molho inglês, 2 de Tabasco, 2 de molho de pimenta, sal, pimenta-preta e raiz forte a gosto
  • Agite brevemente e coe para um copo alto com gelo
  • Enfeite com rodela de limão, lança de pepino, rodelas de jalapeño e queijo fresco

Shirley Temple

Shirley Temple - Getty Images - Getty Images
Shirley Temple
Imagem: Getty Images

Quer ficar longe do álcool e ainda assim tomar um clássico? Vá de Shirley Temple, drinque batizado em homenagem à mais famosa atriz mirim da Hollywood dos anos 1930.

Feito à base de ginger ale (refrigerante de gengibre) e grenadine (licor não alcoólico geralmente feito de romã). Na falta desses ingredientes, Jacovos recomenda substituir por refrigerante de limão e xarope de groselha, respectivamente.

  • Encha um copo alto de gelo e ginger ale
  • Adicione um lance de grenadine
  • Finalize com uma cereja no topo