PUBLICIDADE
Topo

Viagem minimalista propõe mala menor e mais experiências. Saiba como adotar

Viagem minimalista defende bagagem mais leve e mais experiências nos destinos - Getty Images
Viagem minimalista defende bagagem mais leve e mais experiências nos destinos
Imagem: Getty Images

Marcel Vincenti

Colaboração com Nossa

28/03/2021 04h00

Para muita gente, fazer longas viagens é, invariavelmente, sinônimo de malas cheias, excesso de bagagem no aeroporto e horas passadas dentro de lojas para comprar lembrancinhas. Atualmente, porém, é grande o número de viajantes que buscam o oposto de tudo isso.

São pessoas que gostam de fazer o chamado "turismo minimalista", em que a leveza das bagagens é vista como algo libertador, a valorização do tempo é quase sagrada e no qual são mais importantes as experiências imateriais vividas na estrada do que o consumismo em shoppings, outlets, tendas de suvenires e afins.

Tem vontade de ser um viajante minimalista? A seguir, conheça experiências e veja dicas de três pessoas peritas nesta área.

Alexandre Tohme Chahoud - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Alexandre Tohme Chahoud
Imagem: Arquivo pessoal

Alexandre Tohme Chahoud, 33 anos, designer gráfico

Adotou o estilo de vida há mais de 10 anos. Hoje, é autor do perfil de Instagram @seja.minimalista.

"Para falar sobre viagem minimalista, devemos primeiramente entender o conceito de minimalismo, que para mim se resume em uma frase: 'eliminar todos os excessos e focar somente no essencial'.

Nas minhas viagens, meu foco foi sempre otimizar a mala para não ter que carregar nada desnecessário e conseguir ter uma mobilidade legal para curtir todos os passeios planejados. Menos coisas, mais experiências".

Entre os benefícios de uma viagem minimalista, ele afirma que, sem se preocupar com menos coisas para levar, a viagem será muito mais leve e libertadora.

Alexandre Tohme Chahoud - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Alexandre Tohme Chahoud
Imagem: Arquivo pessoal

"Uma mala apenas com itens essenciais fica mais fácil de ser carregada e, em uma viagem minimalista, aprendemos a dar valor às coisas que realmente importam, Ao se focar nas experiências, você aproveitará muito melhor seu tempo, por mais curta que seja a viagem", diz.

Como montar uma bagagem minimalista?

Primeiramente, pense em uma mala ou mochila ideal para a quantidade de dias que você ficará fora. Depois, monte os 'looks' que irá utilizar antes mesmo da viagem, separando-os por dia e evento. Assim, fica mais fácil quando tiver que organizar as roupas no hotel ou local em que ficará hospedado.

Se houver a opção de lavar as roupas durante a viagem, fica mais fácil ainda, pois isso possibilitará uma mala menor. E, por fim, otimize. Para que levar um vidro inteiro de perfume ou um kit completo de maquiagens na mala? Ou carregar, ao mesmo tempo, uma câmera digital e um celular?

Renata Nunes Rios Carneiro, 38 anos, consultora e youtuber

Renata Nunes Rios Carneiro - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Renata Nunes Rios Carneiro
Imagem: Arquivo pessoal

Começou a fazer viagens minimalistas ao conhecer a Dinamarca e o estilo de vida de muitas pessoas que vivem no norte da Europa.

Hoje, Renata tem o site renunes.com.br, no qual fala sobre lifestyle, viagens, finanças e minimalismo.

A viagem minimalista é como a vida minimalista e consiste em estar presente durante a viagem, valorizando o tempo de qualidade".

Para Renata, o minimalista não perde tempo em outlets ou comprando coisas que não trarão benefícios reais.

Renata Nunes Rios Carneiro - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Renata Nunes Rios Carneiro
Imagem: Arquivo pessoal

Além da bagagem, o que mais pode ser feito?

"Não compre lembrancinhas. Da viagem, traga fotos, memórias e histórias", indica.

Além disso, ela indica um limite para gastos diários. Para isso, recomenda pesquisar o preço das refeições e passeios antes da viagem acontecer. E estudar antes sobre cada destino a ser visitado. "Não desperdice tempo durante a viagem fazendo pesquisas que poderiam ter sido realizadas em casa. Planeje com carinho cada viagem", conclui.

Bárbara Martins Ribeiro, 33 anos, produtora de conteúdo de viagens

"Comecei a viajar muito cedo, mas considero que comecei a aplicar mais o minimalismo nas minhas viagens somente há dois anos. Conforme fui viajando, percebi que não precisava carregar tantas coisas, seja em viagens curtas ou longas".

Hoje, Bárbara tem o perfil de Instagram @barbaramartins.br, no qual dá dicas de turismo e fala sobre viagens minimalistas.

A maioria das pessoas vê o minimalismo como uma sala branca com poucas coisas ou como uma mala com quase nada. Mas, na verdade, se trata realmente de ter mais das coisas importantes da vida".

Bárbara Martins Ribeiro - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Bárbara Martins Ribeiro
Imagem: Arquivo pessoal

"É um estilo de vida que envolve se conectar com o destino visitado, com as pessoas e com a natureza. É experimentar mais, priorizar as vivências sobre as coisas e, logicamente, é carregar o essencial, deixando para trás o peso da bagagem".

Viagem consciente

Viajantes minimalistas também se preocupam, por exemplo, com o consumo sustentável no destino visitado e com os impactos que causam naquela comunidade.

"Muitas vezes, este viajante opta por conhecer um menor número de cidades ao longo do trajeto, para passar mais tempo em cada um dos locais e, assim, vivenciar experiências genuínas que levará para sempre consigo", conclui.