PUBLICIDADE
Topo

Bichos

Tudo o que você precisa saber para cuidar do seu pet

Como deixar o ambiente mais estimulante para seu cãozinho gastar energia

Não basta espalhar brinquedos, precisa estar de olho no que faz bem para seu pet - Getty Images
Não basta espalhar brinquedos, precisa estar de olho no que faz bem para seu pet
Imagem: Getty Images

Juliana Finardi

Colaboração com Nossa

13/03/2021 04h00

Brincar, latir, nadar, correr, pular, cavar, farejar, caçar ou expressar livremente qualquer outro comportamento natural da espécie garante o bem-estar de cães e em dobro a felicidade dos tutores.

Em ambientes indoor, pode-se ofertar diariamente objetos que promovam uma modificação ambiental trazendo alguns desses comportamentos à tona.

Deixar brinquedos espalhados pela casa, ao contrário do que muita gente pensa, nem sempre é enriquecimento ambiental, pois não estimula nem recompensa o animal.

"Você pode criar um ambiente descontraído colocando, por exemplo, dispensers para petiscos escondidos com alguma guloseima em cantos estratégicos da casa. Outra opção é 'dificultar' o acesso a esses dispensers, colocando-os ainda mais escondidos", indica Lysandra Barbieri, veterinária da Cobasi e responsável pelo treinamento do setor de acessórios.

Dispensers e brinquedos inteligentes fazem parte da diversão - Getty Images/iStockphoto - Getty Images/iStockphoto
Dispensers e brinquedos inteligentes fazem parte da diversão
Imagem: Getty Images/iStockphoto

Recomendação compartilhada por Camilla Gonçalves Gonzalez, veterinária da rede Pet Care, que dá sugestões ainda mais em conta:

Pode-se usar materiais recicláveis, como por exemplo caixinhas de papelão, ou até o rolinho de papelão do papel higiênico colocando alimento dentro e fechando as pontas para o cão ser desafiado a conseguir o alimento."

No que diz respeito à parte cognitiva, Camilla recomenda o estímulo do aprendizado e da memória. De acordo com ela, treinos de comandos básicos de obediência como "senta", "deita" e "fica" e jogos que estimulem a mente dos cães são importantes.

Para quem fornece brinquedos de roer e acha que já é o suficiente, acredite que os cãezinhos podem enjoar da mesma brincadeira sempre. Por isso, a veterinária indica que se faça um rodízio diário destes itens para que o animal não expresse seu comportamento, por exemplo, ao roer o controle remoto.

Contato com diferentes texturas ajudam a estimular os cães - Getty Images - Getty Images
Contato com diferentes texturas ajudam a estimular os cães
Imagem: Getty Images

Usar tapetinhos de fuxico para oferecer o alimento seco; se tiver jardim em casa, oferecer a refeição na grama; esconder brinquedos em terra ou areia e, em dias de calor, realizar atividades em local molhado com água, fazem parte do enriquecimento sensorial. "Significa oferecer texturas diferentes para o cão pisar, tocar, caminhar e se alimentar", aponta Camilla.

Segurança e preferência

A veterinária salienta que todas as atividades devem ser supervisionadas, principalmente para os cães que podem ingerir objetos.

Brinquedos devem ser voltados para animais - Getty Images/iStockphoto - Getty Images/iStockphoto
Brinquedos devem ser voltados para animais
Imagem: Getty Images/iStockphoto

Quanto aos brinquedos mais adequados para os cãezinhos, Lysandra explica que é importante evitar os específicos para crianças. "Prefira brinquedos próprios para a espécie, como os de corda, ossinhos, mordedores, bolinhas. Brinquedos infantis contêm peças pequenas, como os olhos das pelúcias, que podem causar acidentes", disse.

Ainda de acordo com ela, alguns cães não gostam de brinquedos que emitem sons, outros preferem brinquedos mais macios, e assim é possível selecionar o melhor para cada tipo de cãozinho.

Deixar a TV ligada em canais próprios para entretenimento canino por um tempo também irá ajudar, segundo Lysandra.

Cão precisa "ver rua"

Passeios regulares fazem parte de uma rotina saudável para seu pet - Getty Images/iStockphoto - Getty Images/iStockphoto
Passeios regulares fazem parte de uma rotina saudável para seu pet
Imagem: Getty Images/iStockphoto

Assim como nós às vezes nos sentimos presos dentro de casa, nossos cães precisam de um momento de lazer para correr, brincar e passear.

De acordo com Lysandra, os animais podem sim sofrer por ficarem presos por muito tempo e alguns podem até desenvolver depressão.

"Por isso, é importante criar uma rotina de passeios, se possível nos mesmos horários e mais de uma vez ao dia para que o cão possa gastar energia e até mesmo interagir com outros cães.

Nada substitui os passeios e a interação com você e com outros cães", afirma.

Destruição pode ser tédio

Sem atividade e ociosos em casa, os animais entendem que precisam fazer algo, o que muitas vezes não é o desejado pelos tutores, principalmente porque atinge a saúde e bem-estar dos bichinhos.

Destruir objetos da casa, comer e brincar com as próprias fezes, morder (os outros ou a si mesmo) e se isolar podem se tornar meios de distração no ponto de vista deles.

Sem estímulo, bichos podem apresentar mau comportamento e até depressão - Getty Images/iStockphoto - Getty Images/iStockphoto
Sem estímulo, bichos podem apresentar mau comportamento e até depressão
Imagem: Getty Images/iStockphoto

Animais que passam o dia inteiro sem exercícios podem tornar-se agressivos, se automutilar, além de sofrerem com a obesidade, surgimento de calos pelo tempo que ficam parados, problemas articulares, e até mesmo problemas de circulação sanguínea", explica Lysandra.

Ainda de acordo com a veterinária, os pets também podem sofrer com depressão, dificuldades de sono, ansiedade e estresse, onde em casos mais graves, podem até precisar de medicações. "Mas lembre-se que os motivos citados não são específicos de ociosidade, portanto, o tutor deve consultar seu médico veterinário para chegar a esta conclusão."

Produtos para estimular os cães