PUBLICIDADE
Topo

Viagem em aeronaves privativas pode chegar a valor de R$ 1 milhão por voo

Interior do Gulfstream GV, um dos jatinhos disponíveis para quem busca viagens com mais exclusividade - Divulgação/Flapper
Interior do Gulfstream GV, um dos jatinhos disponíveis para quem busca viagens com mais exclusividade
Imagem: Divulgação/Flapper

Marcel Vincenti

Colaboração com Nossa

04/03/2021 04h00

Na pandemia, para escapar de possíveis aglomerações em aviões, as aeronaves executivas têm sido a saída de muitas pessoas na hora de voar em viagens de lazer ou negócios.

Com atuação no Brasil e mais de 450 aeronaves para fretamento certificadas em sua plataforma, a empresa Flapper atingiu, em 2020, um crescimento de receita de mais de 100% em comparação com o ano anterior. E grande parte desta demanda veio de novos clientes, que nunca haviam voado em avião privado.

Alguns fretamentos de jatos disponíveis no mercado podem custar uma verdadeira fortuna. A empresa afirma que, recentemente, clientes realizaram um voo executivo de São Paulo para Londres que custou mais de R$ 1 milhão — preço mínimo de, basicamente, qualquer voo em avião de luxo para a Europa.

Gulfstream G550 - Divulgação/Flapper - Divulgação/Flapper
Gulfstream G550
Imagem: Divulgação/Flapper

Mais segurança e conforto

CEO da empresa, Paul Malicki explica que a aviação executiva é, hoje, a melhor alternativa porque o número de pessoas a bordo é menor.

E, além de evitar aglomerações, o ambiente dos jatos executivos oferece muito conforto para quem pode pagar por este tipo de comodidade.

Muitas destas aeronaves têm assentos que se transformam em camas, mesas espaçosas, grandes janelas que permitem a entrada de muita luz natural, sistema de entretenimento e amplo serviço de bebidas e alimentação.

Interior do Embraer Preator 600  - Divulgação/Flapper - Divulgação/Flapper
Interior do Embraer Preator 600
Imagem: Divulgação/Flapper

Experiências de voo

Investidor de startups, o brasileiro Fred Santoro já havia voado em aviões executivos antes da pandemia e, com o surgimento do novo coronavírus, este tipo de aeronave o cativou ainda mais pela maior sensação de segurança contra a covid-19.

"Por causa da pandemia, fiquei muito tempo sem ver minha mãe, que tem 70 anos e mora em Salvador. Mas, recentemente, consegui que ela viesse para São Paulo a bordo de um jato executivo, para me ver", conta ele, dizendo que o embarque do voo foi realizado a partir de um hangar privativo na Bahia, o que evitou que ela enfrentasse filas e aglomerações no aeroporto.

Fred Santoro com esposa Silvia Menezes e cachorros - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Fred Santoro com esposa Silvia Menezes e cachorros
Imagem: Arquivo pessoal

Além da segurança sanitária, a praticidade também motiva o fretamento de uma aeronave executiva. Fred e sua esposa Silvia utilizaram os serviços de um avião privado para voar entre São Paulo e Paraty.

"De carro, já cheguei a fazer este trajeto em sete horas. Mas, voando, foram só 50 minutos. Embarcamos no Campo de Marte sem filas, chegando lá poucos minutos antes de o voo sair. E ainda pudemos levar nossos dois cachorros, sem nenhum custo extra", relata o investidor.

"Foi uma viagem belíssima, pois a vista no trajeto até Paraty é incrível", diz ele.

Aviões disponíveis

São diversos os modelos de aeronaves executivas disponíveis para fretamento hoje no Brasil.

Interior do Gulfstream G550 - Divulgação/Flapper - Divulgação/Flapper
Interior do Gulfstream G550
Imagem: Divulgação/Flapper

Na Flapper, por exemplo, uma das opções mais luxuosas é o Gulfstream G550, que comporta até 18 passageiros e, saindo de São Paulo, consegue chegar a diversas partes da Europa sem escalas. Sua estrutura conta com banheiro com chuveiro, sala que pode ser usada para conferências e refeições, além de assentos que viram camas. Seu custo médio por hora de voo é de R$ 70.000*.

Embraer Preator 600 - Divulgação/Flapper - Divulgação/Flapper
Embraer Preator 600
Imagem: Divulgação/Flapper

O Embraer Preator 600, por sua vez, consegue pousar em pistas curtas (dando acesso a lugares paradisíacos mais remotos), comporta até 12 passageiros e tem cozinha totalmente equipada e assentos reclináveis que podem ser convertidos em camas. Seu custo médio por hora de voo é de R$ 40.000.

Bombardier Global Express - Divulgação/Flapper - Divulgação/Flapper
Bombardier Global Express
Imagem: Divulgação/Flapper

Já o avião Bombardier Global Express tem capacidade para 13 passageiros e é conhecido como "escritório voador", com estrutura ideal para que precisa trabalhar durante o voo, com cozinha totalmente equipada, sofás, mesas grandes e wi-fi a bordo (e um custo médio por hora de voo de R$ 45.000).

Gulfstream GV - Divulgação/Flapper - Divulgação/Flapper
Gulfstream GV
Imagem: Divulgação/Flapper

E o Gulfstream GV permite voos sem escalas entre Brasil e Estados Unidos ou Europa, leva até 14 passageiros e oferece um interior dividido em quatro zonas, espaçosas poltronas com sistema de entretenimento, amplo espaço para trabalho e centro de bebidas. O custo médio por hora de voo é de R$ 69.000

Vale lembrar que, no Brasil, o aplicativo da Flapper oferece a opção de voos compartilhados, nos quais o mesmo avião é dividido por pessoas de diferentes procedências que estão indo para o mesmo destino - o que pode diminuir consideravelmente o preço por cabeça da viagem.

Entre outras empresas que viabilizam o fretamento de aeronaves no Brasil estão a Air Charter Service e a Fly Adam.

*Todos os preços citados na matéria estão sujeitos a alterações.