PUBLICIDADE
Topo

Vice-presidente dos EUA, Kamala Harris é criticada por usar Dolce & Gabbana

Kamala Harris vestindo Dolce & Gabbana para aparição pública; marca encarou polêmicas racistas nos últimos anos - Getty Images
Kamala Harris vestindo Dolce & Gabbana para aparição pública; marca encarou polêmicas racistas nos últimos anos Imagem: Getty Images

De Nossa

04/02/2021 10h55

A escolha do visual usado por Kamala Harris na posse de Joe Biden nos Estados Unidos fez história — assim como o terno usado pelo novo presidente norte-americano. No entanto, não demorou muito para que uma peça usada pela vice-presidente causasse controvérsias nas redes sociais.

A política foi criticada depois de usar peças da grife italiana de luxo Dolce & Gabbana em três ocasiões durante seus primeiros dias no cargo.

"Alguém precisa seriamente contar à sua equipe sobre Dolce e seus problemas com racismo", escreveu Vittoria Vignone, que administra a página Kamala's Closet, sobre seus looks, no Instagram.

Kamala Harris vestindo terno da Dolce & Gabbana - Getty Images - Getty Images
Kamala Harris vestindo terno da Dolce & Gabbana
Imagem: Getty Images

Vittoria postou sobre sua decepção com as escolhas, observando que Kamala Harris tinha deixado de usar marcas de luxo europeias nos últimos anos e prestado apoio aos designers norte-americanos.

Atualmente, a vice-presidente dos EUA está trabalhando com a estilista de Hollywood Karla Welch, que foi criticada nas redes sociais em 2020 por vestir vários de seus clientes de Dolce & Gabbana para o Grammy.

A ex-primeira-dama Melania Trump também costumava usar a maison em eventos durante a administração anterior.

Entenda as polêmicas

Campanha da Dolce & Gabbana foi considerada racista e alavancou protestos nas redes sociais contra a marca - Reprodução - Reprodução
Campanha da Dolce & Gabbana foi considerada racista e alavancou protestos nas redes sociais contra a marca
Imagem: Reprodução

A Dolce & Gabbana foi alvo de críticas nos últimos anos, embora venha se recuperando gradualmente. Em uma campanha publicitária, a grife mostrou uma modelo chinesa tentando comer comida italiana usando pauzinhos, gerando críticas por reforçar estereótipos racistas.

Na época, consumidores da China compartilharam vídeos deles cortando e queimando suas roupas da marca.

Mesmo após um pedido de desculpas, feito pelos representantes da Dolce & Gabbana, varejistas chineses deixaram de vender as suas roupas, famoso deixaram de usar suas peças em red carpets do Oscar e Grammy e, até mesmo, a Kim Kardashian foi brevemente "cancelada" na internet depois de fazer uma publicação em seu Instagram divulgando a marca.