PUBLICIDADE
Topo

Viagens de última hora são a tendência após "ano perdido", aponta pesquisa

Relatório Global de Hoteis.com identifica aumento em número de reservas espontâneas e upgrades em quartos - Getty Images
Relatório Global de Hoteis.com identifica aumento em número de reservas espontâneas e upgrades em quartos Imagem: Getty Images

De Nossa

11/01/2021 14h18

O novo estudo da Hoteis.com, intitulado "The 2021 Upgrade", aposta na espontaneidade como uma grande aposta para a retomada das viagens no ano de 2021. Com os cancelamentos acontecendo, como consequência da pandemia do coronavírus, os viajantes devem apostar em roteiros com menores planejamentos.

A pesquisa global revela que 87% das pessoas pretendem ser mais impulsivas do que nunca após as viagens canceladas. No Brasil, especificamente, essa porcentagem sobre para quase 92%.

O estudo mostrou que, em escala global, 31% dos entrevistados estão apelidando 2020 de "o ano perdido" para viagens, levando mais de um terço (32%) a declarar que largaria tudo para viajar em 2021.

Os dados de reservas da Hoteis.com confirmam essa tendência, com quase metade das reservas em junho de 2020 sendo feitas apenas três dias antes do dia da hospedagem.

Entre os brasileiros, o comportamento espontâneo das pessoas ficou claro após 36% dos entrevistados revelar que diria "sim" para mais viagens de última hora.

Além disso, metade deles diz que investiria sem problemas em uma viagem de longa distância por apenas alguns dias, enquanto quase 30% afirmam que não fariam plano nenhum para a viagem apenas para que a experiência possa ser a mais espontânea possível quando chegarem no destino.

Especialistas da empresa também preveem que essa atitude extravagante terá um impacto significativo no comportamento das reservas de hotel, com 2021 sendo o ano em que as pessoas não medirão esforços para "cuidar de si mesmo".

Em comparação com os tempos pré-pandêmicos, no Brasil 38% agora reservaria um quarto de hotel melhor, e mais de um terço diria "sim" sem pensar duas vezes para um upgrade se oferecido no momento da reserva (35%).

O aumento das viagens espontâneas

Planejar ou não planejar? Os brasileiros querem ficar despreocupados e relaxados tomando decisões espontâneas (42%), não tendo que planejar e apenas fazendo o que querem (25%) e dizendo "sim" para novas experiências (39%), como mostram os dados coletados.

A pesquisa também revelou o quanto as pessoas estão realmente dispostas a fazer o que tiver de ser feito para aproveitar suas férias e ficar em um hotel em 2021.

Os viajantes mais ansiosos afirmam que abririam mão de álcool (32%), sexo (18%), redes sociais (24%) e até de comer arroz com feijão (19%) por um mês para poder fugir e ter a experiência de ficar em um bom hotel novamente.

Necessidade de ser espontâneo

Os amantes de hotéis do mundo inteiro sedentos por viagens estão prontos para se comprometer com a espontaneidade, com 18% afirmando que largariam tudo para partir no mesmo dia se tivessem a oportunidade.

Com a espontaneidade vem a pressão de fazer as malas. A maioria não iria a lugar nenhum sem seus aparelhos digitais, com mais da metade (66%) priorizando seu smartphone, laptop e carregador - superando aqueles que priorizam uma muda de roupa (48%), um traje de banho (47%) e pijama (30%).