PUBLICIDADE
Topo

Plantas proibidas para cães e gatos: saiba quais são e proteja seu pet

Antes de entrar no espírito "urban jungle", saiba quais plantas convivem com pets - iStock
Antes de entrar no espírito "urban jungle", saiba quais plantas convivem com pets
Imagem: iStock

Juliana Finardi

Colaboração para Nossa

08/12/2020 04h00

Você comprou um pinheirinho natural para enfeitar a casa neste Natal e o integrante da família que mais se interessou pela arvorezinha foi o seu pet. Sinal de alerta ligado.

A convivência harmoniosa entre plantas e animais é possível desde que sejam observados alguns detalhes.

O pinheirinho não é tóxico, mas os galhos são bem duros e podem machucar a boca dos animais. Se ingeridos, podem irritar estômago e intestino.

O melhor é o de plástico mesmo", disse a veterinária Thais Santana Sousa, especialista em Medicina felina.

Tem pet em casa? Neste Natal, vá com árvore artificial - Getty Images/iStockphoto - Getty Images/iStockphoto
Tem pet em casa? Neste Natal, vá com árvore artificial
Imagem: Getty Images/iStockphoto

Proibidas e permitidas

De acordo com ela, a maioria das plantas tóxicas para gatos são igualmente prejudiciais se ingeridas por cães.

Veja a lista completa com recomendações de Thais, do nefrologista e urologista veterinário Robledo Passafaro e de Talita Michelucci Ribeiro, veterinária da Cobasi.

Plantas proibidas para animais

Plantas permitidas para animais

Proprietária da primeira clínica especializada em gatos do Brasil, no Rio de Janeiro, a professora doutora pela Universidade Federal Fluminense e médica veterinária Heloisa Justen, 58 anos, disse que atende muitos felinos intoxicados pela ingestão de lírios.

Provoca uma doença renal muito aguda e em poucas horas sem socorro o gato pode vir a óbito."

No comando da clínica há 25 anos, a veterinária disse que a terra dos vasos e jardins é outro fator de preocupação porque os gatos podem contrair uma doença provocada por fungos chamada esporotricose e que pode, inclusive, ser transmitida para humanos.

Como evitar o contato

Evitar plantas tóxicas é o primeiro passo, mas há mais truques para manter essa convivência - Getty Images - Getty Images
Evitar plantas tóxicas é o primeiro passo, mas há mais truques para manter essa convivência
Imagem: Getty Images

Animais que mudaram de residência ou que permanecem por muito tempo sozinhos e acabam ficando entediados também são fortes candidatos a comerem o que não deve. "Não só plantas, que muitas vezes são atrativas, mas pés de cadeira, sofás, vão comendo tudo", afirma a professora de Toxicologia e Farmacologia Veterinária da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da USP, Silvana Gorniak.

Na opinião da professora, mais do que evitar ter as plantas em casa, os proprietários de pets devem dificultar o acesso a elas.

"A melhor solução é essa porque, na verdade, conhecemos as plantas tóxicas porque temos relatos sobre casos, mas não sabemos sobre estas híbridas que estão surgindo agora. O mais importante é colocá-las de tal maneira que os animais não as encontrem", diz.

Criar obstáculos para seus pets ajuda a evitar ingestão de plantas tóxicas - Getty Images/EyeEm - Getty Images/EyeEm
Criar obstáculos para seus pets ajuda a evitar ingestão de plantas tóxicas
Imagem: Getty Images/EyeEm

Com um verdadeiro jardim na sacada, Thais mantém uma turma nota dez em comportamento: os dois gatos, Mostarda e Nutella, e cachorra Vitória nunca tentaram "degustar" as plantinhas da casa.

Para quem não tem a mesma sorte, porém, ela recomenda: "Tenha plantas que não sejam tóxicas. Outra dica que eu sempre dou para as clientes é fazer um preparo com água e um pouquinho de pimenta e borrifar na planta. Às vezes dá certo de o pet não comer."

Mais uma sugestão é fazer um jardim vertical o mais alto possível, sem qualquer móvel por perto e com obstáculos que impeçam sua aproximação e não sejam "escaláveis" (uma rede de balanço, por exemplo).

O que fazer no caso de ingestão

Robledo Passafaro recomenda que, em caso de ingestão ou contato com plantas tóxicas, o proprietário deve lavar a boca do animal com água corrente.

Se seu bichinho comeu o que não devia, procure um veterinário - Getty Images - Getty Images
Se seu bichinho comeu o que não devia, procure um veterinário
Imagem: Getty Images

"Mas cuidado para não fazê-lo engolir os resíduos e não o afogar. Assim, você retira quaisquer resquícios da planta ou de seiva que sobrou por ali. Não provoque vômito e não dê nada para o cão comer ou beber, nem água.

Em seguida, procure imediatamente um veterinário e não se esqueça de levar uma amostra ou uma foto da planta tóxica."

"Os cães são mais sensíveis à intoxicação porque vão comendo tudo. Os gatos são mais ariscos. A idade do animal também é um fator a ser levado em consideração: quanto mais novinhos, mais curiosos, exploradores, e a chance é bem maior", disse Silvana.

Informação é tudo

Silvana coordena um trabalho realizado com os alunos da graduação que resultou na edição de um livro financiado por uma indústria farmacêutica veterinária e que será presenteado a profissionais da área.

Você sabia que girassol é uma planta "amiga" dos bichinhos? - Getty Images - Getty Images
Você sabia que girassol é uma planta "amiga" dos bichinhos?
Imagem: Getty Images

"Trata-se de um guia com as plantas tóxicas para os pets, quais os sintomas e como deve ser o tratamento. Esperamos que estas informações cheguem aos veterinários porque muitas vezes eles não sabem do que se trata, não são botânicos, e pode haver um diagnóstico errado", disse.

Outro projeto, de acordo com a professora, este para 2021, tem como alvo as grandes redes que vendem rações para pets e que também comercializam plantas. A ideia é capacitar os funcionários para que possam fornecer aos clientes informações corretas sobre a influência de determinadas plantas na saúde dos animais.

Outra ideia nesta mesma linha é deixar nestas lojas totens onde os proprietários de pets possam fazer a leitura de QR codes que informem sobre plantas e alimentos tóxicos para os animais", explicou Silvana.

*com reportagem de Gabrielli Menezes