PUBLICIDADE
Topo

Tons terrosos em alta: como eles invadiram as paredes e viraram tendência?

Arquivo Pessoal/Michell Lott
Imagem: Arquivo Pessoal/Michell Lott

Gustavo Frank

De Nossa

07/12/2020 04h00

Há quem diga que o marrom é uma cor ingrata. Ou seja, não desagrada, mas também está longe de agradar. No entanto, 2020 mostrou que novas percepções foram adotadas por todos nós e uma delas inclui a cor em questão, que ganhou espaço na decoração das casas: desde os objetos, passando pelos móveis até as paredes coloridas com as suas mais diferentes tonalidades.

Os tons terrosos, como pode se chamar o leque que abriga o marrom, foi praticamente onipresente. Instagramável, não foi muito difícil encontrar pessoas que optaram por eles, o que, na verdade, mostrou ser uma tendência mais do que estética na pandemia do coronavírus, mas de efeitos inclusive comportamentais.

"Com pesquisas aprofundadas sobre comportamento humano e os novos hábitos do morar, descobrimos que opções como marrons mais densos junto a cores mais claras, como tons azulados, são apostas certeiras para uma composição de equilíbrio e descontração", conta Sylvia Gracia, consultora de cor e conteúdo da Suvinil, para Nossa.

Tingir um espaço todo apenas com marrons amadeirados, propõe um toque mais introspectivo".

Tom mais leve e sóbrio de marrom usado para a pintura de quarto - Divulgação - Divulgação
Tom mais leve e sóbrio de marrom usado para a pintura de quarto
Imagem: Divulgação

O marrom não é o único da cartela que compõem os tons terrorosos. A lista é maior: amarelo, laranja, vermelho; as cores quentes em um geral englobam as paletas.

A variedade de tonalidades nasce de objetos do nosso dia a dia, como peças de madeira e um vaso de cerâmica. Ou ainda além: do simples pisar com os pés descalços na terra ainda seca ou depois da chuva, quando ganha uma nova cor.

"Para este tempo fora do eixo, são cores que nos trazem a sensação de criar com as próprias mãos", complementa Sylvia. "O terroso referencia um vaso de cerâmica, por exemplo, e nos conecta com o presente e o tempo real da vida, propondo a vivência integral do hoje, fazendo com que as pessoas experienciem o momento em detalhes".

Os terrosos são interpretados como cores de energia poderosa, porém sútil e ritualística, ideal para quem quer se sentir presente e com os pés aterrados ao chão".

Como essas cores são escolhidas?

Interior de casa com pintura em tons terrorosos - Divulgação - Divulgação
Interior de casa com pintura em tons terrorosos
Imagem: Divulgação

O prazeroso, mas trabalhoso, estudo por trás dessas cores é feito por uma equipe especializada, com base em um conjunto de fatores. As nomeações acontecem de acordo com associações e lembranças que cada cor traz.

"Pode ser algo relacionado a natureza, alimentos, objetos ou até sensações", completa a profissional.

A força que essas tonalidades ganharam recentemente é fruto também do confinamento. O incentivo por produtividade, criativa acima de tudo, e o resgate das memórias são alguns dos motores propulsores desses tempos e, consequentemente, da criação e uso dos decoradores das suas próprias casas.

Ou como se diz hoje em dia: o DIY, "do it yourself", em português: "faça você mesmo".

"Neste aspecto também é possível perceber que essas cores, anteriormente pouco utilizadas, agora ganham força por sua reconexão com o natural e com lembranças mais primordiais, como a imagem de uma penteadeira antiga de alguém da família, por exemplo", diz Sylvia.

Como aplicar na minha casa?

Banheiro mistura tons terross com azul, rosa e o verde da planta como decoração - Divulgação - Divulgação
Banheiro mistura tons terrosos com azul, rosa e o verde da planta como decoração
Imagem: Divulgação

Pensando em como aplicar nas paredes de casa e combinar com outras coisas? Para Sylvia "a mistura de cores pode parecer difícil, mas é um caminho divertido e expressivo". As aventuras fazem parte do processo criativo, que pode pertencer a algum grupo de cores ou do próprio gosto.

"No caso dos marrons mais profundos, as associações aos tons azulados ou esverdeados são harmonizações ideias para ambientes mais leves", diz Sylvia.

O verde e o azul, além de outros tons quentes, como o rosa e o amarelo, promete ser uma das principais apostas para fazer essa mistura. A combinação, opina a especialista, nasce do natural.

"A fonte para criar paletas harmoniosas está na observação da natureza: assim como as plantas nascem na terra, essas duas paletas parecem ter sido feitas uma para a outra e podem inspirar áreas internas ou externas cheias de energia", conclui.