PUBLICIDADE
Topo

O que fez da bolsa Telfar a mais vendida e popular entre mulheres em 2020

Bolsa Telfar - Reprodução/Telfar
Bolsa Telfar
Imagem: Reprodução/Telfar

Gustavo Frank

De Nossa

24/11/2020 04h00

Sair de casa sem a bolsa é como deixar uma parte do corpo em casa. Agora, o novo membro, pelo menos entre as mulheres, tem uma marca: a Telfar. O acessório foi o item mais buscado pelo público feminino nos últimos meses de pandemia.

Ao lado de vários itens de grife, essa peça se destacou exatamente por se contrapor ao que suas competidoras luxuosas apostam: o preço. Considerada acessível, quando nivelada às demais, ela custa US$ 150, aproximadamente R$ 800 na cotação atual.

A exclusividade não é um ponto para a Telfar, que ressalta em seu lema: "Não para você, para todos" — e a tática parece ter funcionado.

O fenômeno da bolsa

A shopping bag de couro vegano já existe desde 2014, mas foi neste ano que ela se tornou a queridinha do público.

A peça ganhou o apelido de "Birkin de Bushwick" nas redes sociais O nome faz referência à clássica bolsa da Hermès e ao bairro de Nova York, onde vivem muitos fãs do estilista e ele mora até hoje — algo sempre acentuado por ele em seus discursos e na identidade dos seus produtos.

Bella Hadid com bolsa da Telfar - Getty Images - Getty Images
Bella Hadid com bolsa da Telfar
Imagem: Getty Images

A bolsa conquistou nomes poderosos da moda e no universo pop, desde Bella Hadid a Selena Gomez, e quando foi reabastecida no site oficial, após esgotar em questões de minutos, foi comprada pela rede Hypernova com o intuito de revendê-las — de olho no sucesso guardado por ela.

A compra de mais da metade do estoque foi feita por meio de "bots", robôs automatizados para essa função. A atitude gerou repúdio do estilista Telfar Clemens, que se pronunciou por meio do Instagram: "Telfar é para pessoas, não para bots".

O que há por trás da Telfar

O designer de moda Telfar Clemens - Reprodução/Instagram - Reprodução/Instagram
O designer de moda Telfar Clemens
Imagem: Reprodução/Instagram

A marca, que se autodenomina "horizontal, democrática e universal", foi fundada por Telfar Clemens e trabalha com a produção de roupas sem gênero.

Hoje, o estilista é reconhecido pelo Council of Fashion Designers of America, consagrando-se como um dos grandes vencedores da gala anual CFDA.

"Nós temos uma visão de moda que acho que ninguém mais está fazendo", disse ele na ocasião. "Muita gente pega inspiração das ruas e há toda uma linguagem de apropriação — pegando algo barato e elevando-o. Nós não acreditamos em high e low. A forma como enxergo a moda é totalmente horizontal".

O norte-americano é do Queens, em Nova York, e apresentou sua primeira coleção em 2005 sem ter feito qualquer curso ligado à moda. Destacou-se no mercado por ser um autodidata na indústria: recriando suas próprias roupas até chegar a criá-las do zero para seu próprio guarda-roupa.

Um dos queridinhos da senadora Alexandria Ocasio-Cortez, membro da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, Telfar já apresentou colaborações com a Converse, a rede de fast-food White Castle e a marca de sapatos UGG.