PUBLICIDADE
Topo

Por R$ 6.000, passageiros poderão fazer cruzeiros para lugar nenhum

Cruzeiros "para lugar nenhum": uma das medidas de Singapura para incentivar o turismo marítimo - Singapore Tourism Board / Divulgação
Cruzeiros "para lugar nenhum": uma das medidas de Singapura para incentivar o turismo marítimo
Imagem: Singapore Tourism Board / Divulgação

Eduardo Vessoni

Colaboração para Nossa

14/10/2020 04h00

Depois do sucesso dos voos para lugar nenhum, cujos bilhetes em algumas companhias aéreas se esgotaram em poucos minutos, agora é a vez dos gigantes dos mares darem uma forcinha para turistas matarem a vontade de viajar (ainda que seja para lugar nenhum).

No início deste mês, Singapura anunciou que a partir de novembro contará com cruzeiros pilotos operados pelas companhias Genting Cruise Lines e Royal Caribbean. Desde março há restrições rígidas a cruzeiros no país.

Com viagem de retomada programada para o próximo dia 6 de novembro, a empresa com sede em Hong Kong oferece roteiro de duas noites com navegação de um dia inteiro por US$ 1.080 (algo em torno de R$ 5.974).

Embarcações da Genting Cruise Lines e Royal Caribbean levarão turistas para... lugar nenhum - Charles Loh - Charles Loh
Embarcações da Genting Cruise Lines e Royal Caribbean levarão turistas para... lugar nenhum
Imagem: Charles Loh

Já no Quantum of the Seas, navio da Royal Caribbean que deve sair em dezembro e tem até um simulador de paraquedismo a bordo, o passageiro deverá desembolsar cerca de $830 dólares de Singapura (R$ 3.380, aproximadamente).

Segundo o jornal local "The Straits Times", em cinco dias de oferta, já foram realizadas mais de 6 mil reservas para estas viagens na Genting Cruise Lines - cada uma delas para ao menos duas pessoas.

Iniciativa visa promover o retorno ao turismo marítimo no país - Charles Loh - Charles Loh
Iniciativa visa promover o retorno ao turismo marítimo no país
Imagem: Charles Loh

Ao todo serão 23 viagens para uma capacidade máxima de 1700 passageiros cada entre novembro e dezembro deste ano.

De acordo com a mesma publicação, a primeira saída do navio da Royal Caribbean também atraiu muitos interessados e está com reservas quase esgotadas.

Cuidados rigorosos fazem parte da viagem

Ainda que não haja paradas, os cruzeiros passam por uma rigorosa avaliação de suas medidas de higiene. A agência de promoção de turismo de Singapura, Singapore Tourism Board (STB), informou que criou protocolos e um programa de auditoria e certificação para cruzeiros o CruiseSafe.

As viagens viagens marítimas de ida e volta estarão permitidas, desde que não haja escalas em nenhum porto, exceto para embarque e desembarque em Singapura. Já o número de passageiros deverá ser reduzido em até 50%, a fim de garantir distanciamento social seguro.

Para evitar aglomerações a bordo, atividades de lazer serão revistas ou canceladas e os navios deverão ter horários preestabelecidos para embarque, desembarque e refeições.

Os rigorosos protocolos adotados, cujo não-cumprimento pode ocasionar a suspensão das viagens ou até revogação da certificação, incluem ainda obrigatoriedade de teste covid-19 antes do embarque, uso de máscara e distanciamento de um metro, limpeza e higienização frequentes a bordo e planos de emergência no caso de constatação de passageiros contaminados.

Viagens de cruzeiro que passavam por Cingapura foram interrompidas em março - Singapore Tourism Board / Divulgação - Singapore Tourism Board / Divulgação
Viagens de cruzeiro que passavam por Singapura foram interrompidas em março
Imagem: Singapore Tourism Board / Divulgação

Como viajar ainda não é uma atividade segura e muitas fronteiras se encontram fechadas, o STB avisa que a experiência é voltada apenas para residentes dessa cidade-estado do Sudeste Asiático.

No entanto, não são apenas os passageiros que estarão sujeitos às medidas.

A tripulação que for trabalhar nos navios aprovados durante a fase piloto passarão por isolamento de 14 dias em seus países de origem, deverão apresentar teste negativo para covid-19, isolar-se por outras duas semanas na chegada a Singapura e, novamente, realizar outro teste, antes do início das viagens.

Até o fechamento deste texto, Singapura já tinha registrado 57.884 pessoas infectadas pelo coronavírus e 28 mortes. Na última segunda-feira (12), o Ministério da Saúde local havia confirmado apenas 4 novos casos (2 por contaminação local e outros 2 importados).