PUBLICIDADE
Topo

Brasileiro bate recorde mundial de maior fotografia panorâmica subaquática

Com essa fotografia de quase 827 megapixels, o brasileiro Márcio Cabral conquistou o recorde de maior imagem panorâmica subaquática - Márcio Cabral/Divulgação
Com essa fotografia de quase 827 megapixels, o brasileiro Márcio Cabral conquistou o recorde de maior imagem panorâmica subaquática Imagem: Márcio Cabral/Divulgação

Eduardo Vessoni

Colaboração para Nossa

23/09/2020 04h00

O cenário usado para a mega foto já é um recorde em si. Localizada em Jardim, município vizinho a Bonito, no Mato Grosso do Sul, a Lagoa Misteriosa tem águas de alta visibilidade, daquelas que o mergulhador consegue ver as copas das árvores do lado de fora, e sua profundidade ainda é desconhecida

Mas se Márcio Cabral, 45 anos, é mais um dos que não sabem onde aquilo tudo vai dar, suas lentes (aliadas a um longo trabalho de pós-produção) o auxiliaram na conquista do mais novo recorde mundial na área da fotografia.

Desde a última sexta-feira (18), esse brasiliense é, reconhecidamente, o autor da maior imagem panorâmica subaquática: uma gigante de 826.9 megapixels de resolução, segundo título do Guinness World Records.

Com uma única câmera e acessórios como um corretor ótico para amenizar as distorções laterais da imagem causada pelo dome usado na captação, Cabral é o autor desse registro equivalente a uma imagem com 14,46 metros de largura e 7,23 metros de altura.

"Apesar de estar no fundo de uma dolina, a Lagoa Misteriosa tem boa luminosidade, pouca vida aquática e sem correnteza", descreve o fotógrafo em entrevista a Nossa. Para ele, essa combinação de elementos quase que estáticos facilita esse tipo de registro, já que tripés seriam ineficientes debaixo d'água.

Lago misteriosa - Márcio Cabral/Divulgação - Márcio Cabral/Divulgação
Outro registro do fotógrafo Márcio Cabral na Lagoa Misteriosa, imagem vencedora na categoria Mundo Subaquático do Concurso Monthphoto, na Espanha, em 2015
Imagem: Márcio Cabral/Divulgação

Mesmo com o investimento técnico (só o corpo da sua Canon 5DS R custa cerca de US$ 3.700 nos Estados Unidos), o recordista acredita que o mais difícil foi o trabalho fora d'água.

"O mergulho com cilindro foi rápido, uns 10 minutos. Mas a pós-produção me tomou cerca de 30 horas de trabalho em programa para juntar as 28 fotos que formam a foto", explica Cabral, que também é geógrafo, sobre a minuciosa junção de 24 imagens horizontais, duas superiores e duas inferiores.

lagoa misteriosa - Márcio Cabral/Divulgação - Márcio Cabral/Divulgação
Lagoa Misteriosa pelas lentes do fotógrafo Márcio Cabral
Imagem: Márcio Cabral/Divulgação

"Mesmo com a tecnologia, é um trabalho manual em que vou indicando para o programa os pontos exatos da 'costura' das imagens", explica.

Para deixar a foto com luz mais uniforme, nesse mergulho a 18 metros de profundidade, Cabral recorreu também a diferentes níveis de ISO (800 nos pontos mais escuros do mergulho e ISO mais baixo, onde havia maior incidência de luz).

Produzida em 2018, a foto passou por um longo processo de tratamento, aliado a uma perícia mais minuciosa da equipe técnica do Guinness World Records, interrompida pela pandemia de coronavírus, em março.

marcio cabral - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
O fotógrafo e geógrafo Márcio Cabral
Imagem: Arquivo pessoal

Lagoa de recordes

Não é de hoje que a Lagoa Misteriosa coleciona recordes.

Em 1998, Gilberto Menezes de Oliveira chegou a 220 metros de profundidade, em um mergulho que levou 8 horas, entre descida e parada de descompressão.

Se seu fim ainda é um mistério, as imagens de Márcio Cabral com dimensões exageradas não são novidades.

Em 2015, Cabral fez uma foto de 220.5 megapixels no Rio Sucuri, também em Bonito, mas que, segundo ele, não tem o mesmo impacto visual do recorde atual, devido à baixa profundidade desse cristalino curso d'água de Bonito.

abismo anhumas  - Márcio Cabral/Divulgação - Márcio Cabral/Divulgação
Registro do Abismo Anhumas, uma das fotos premiadas do brasiliense Márcio Cabral
Imagem: Márcio Cabral/Divulgação

No ano seguinte, entre um trabalho institucional e outro para hotéis e aplicativos de realidade virtual, quebraria o próprio recorde com um mergulho na Lagoa Misteriosa, que lhe rendeu uma imagem de 495 megapixels.

Assim como avisa, a visualização da versão atual em 360° pode ser otimizada com o uso de óculos virtuais.

anta - Márcio Cabral/Divulgação - Márcio Cabral/Divulgação
Essa foto de Márcio Cabral é considerada o primeiro registro subaquático de um filhote de anta no mundo
Imagem: Márcio Cabral/Divulgação

Entre conquistas e polêmicas (Cabral ganhou destaque mundial quando sua foto vencedora no concurso "Wildlife Photographer of the Year" de 2017 teve sua autenticidade questionada e o prêmio devolvido), o fotógrafo segue acumulando prêmios na Europa, Estados Unidos, Austrália e Japão.

"Foi uma decisão monocrática do Museu de História Natural de Londres e quem denunciou fez isso para me sacanear. Mas isso já é uma história passada", encerra o assunto.

O fotógrafo se prepara agora para quebrar mais um recorde. Em julho de 2021, Cabral quer voltar à Lagoa com equipamentos mais modernos e fazer uma nova foto com "pelo menos um giga".

E, enquanto isso, seguimos sem saber onde termina uma das cavernas alagadas mais profundas do Brasil.