PUBLICIDADE
Topo

Vinhos verdes: celebre a chegada da primavera entre brancos, tintos e rosés

A nomenclatura dos vinhos verdes, de Portugal, remete à sua juventude e frescor - e não à cor da uva - Reprodução Facebook
A nomenclatura dos vinhos verdes, de Portugal, remete à sua juventude e frescor - e não à cor da uva Imagem: Reprodução Facebook

Adriana Negreiros

Colaboração para Nossa, do Porto

22/09/2020 04h00

"Ah, os doces! O bacalhau! A segurança!". "Que nada", respondo, após ouvir os comentários de sempre sobre o fato de morar em Portugal. "Ah, os vinhos verdes!".

Para os portugueses, nenhuma surpresa. Nós, os brasileiros que vivemos em Portugal, somos os principais clientes dos roteiros de enoturismo da região produtora de vinhos verdes, no extremo norte do país — área de 7 000 km², chuvosa e de clima ameno, na zona conhecida como "Entre Douro e Minho", cujas principais cidades são Porto e Braga — esta última já foi definida pela imprensa portuguesa como "o novo eldorado dos brasileiros".

O Brasil é, também, o terceiro maior destino de exportação do produto, atrás dos Estados Unidos (o primeiro) e Alemanha. E o mercado tem crescido a índices espantosos, de acordo com estudos da Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes (CVRVV). Nos últimos dez anos, a expansão foi de 300% em volume e 360% em valor. Em 2019, o Brasil importou 2,9 milhões de litros - ou 6,5 milhões de euros.

vinhos verdes - douro - Getty Images/iStockphoto - Getty Images/iStockphoto
Vinhedos na região do Douro: berço dos vinhos verdes
Imagem: Getty Images/iStockphoto

Para Manuel Pinheiro, presidente da CVRVV, um dos fatores a contribuir para a popularização da bebida no país é a própria "ligação afetiva e cultural entre os dois povos" — tanto assim que o Rio de Janeiro, onde há uma forte comunidade portuguesa, é um dos principais centros consumidores. Porém, Pinheiro observa que mesmo em estados com menor presença da colonização portuguesa há um incremento das vendas — caso do Rio Grande do Sul.

vinhos verdes - Reprodução Facebook - Reprodução Facebook
O frescor dos vinhos verdes combina com a primavera e o verão brasileiros
Imagem: Reprodução Facebook

"O Brasil é um país com grande cultura gastronômica, tal como Portugal. O clima brasileiro também apela bastante à frescura dos vinhos verdes mais jovens e leves. E, claro, a língua e a cultura são fatores que ajudam na comunicação, facilitando os negócios", afirma Manuel Pinheiro.

A propósito de comunicação e negócios, a CVRVV pretende realizar, em novembro, o Vinho Verde Wine Experience, festivais voltados para a bebida no Rio de Janeiro e em São Paulo.

O que são vinhos verdes?

Em primeiro lugar, não são verdes. O adjetivo remete à juventude e à frescura, não à cor da uva. Estes vinhos podem ser brancos, tintos ou rosé. "Verde", na verdade, é uma Denominação de Origem (DO), assegurada desde 1959 por um selo de autenticidade emitido pela Comissão de Viticultura dos Vinhos Verdes. Significa que a bebida foi produzida na região dos vinhos verdes e cumpre uma série de requisitos quanto às práticas de vinificação, qualidade dos rótulos e formas de comercialização.

Vinho verde branco

vinho verde branco - Reprodução Instagram - Reprodução Instagram
Imagem: Reprodução Instagram

Produzido a partir da fermentação do mosto da uva branca, sem as películas, a temperaturas inferiores a 20ºC -- o mosto é obtido após a prensagem das uvas. Tem cor citrina ou palha, aromas frutados e florais e é muito refrescante.
Temperatura recomendada para o consumo: 8ºC e 12ºC.
Vai bem com... Acompanha saladas, mariscos, peixes, carnes de aves e pratos da gastronomia oriental.

Vinho verde tinto

No caso dos tintos, o mosto das uvas roxas fermenta junto com as películas, o que faz diferença na cor e na adstringência da bebida.
Temperatura recomendada para o consumo: 12ºC a 15ºC.
Vai bem com... Acompanha bacalhau, cabrito assado, lombos de cordeiro, cozidos de carne vermelha e pratos típicos portugueses, como as tripas à moda do Porto.

Vinho verde rosé

vinho verde rose - Reprodução Instagram - Reprodução Instagram
Imagem: Reprodução Instagram

Em relação aos rosés, há uma combinação dos dois processos -- as uvas são tintas, mas a vinificação é semelhante à do branco.
Temperatura recomendada para o consumo: 10ºC a 12ºC.
Vai bem com... Servido como aperitivo ou acompanhamento de sobremesas com frutos vermelhos.