PUBLICIDADE
Topo

Pudim perfeito: 8 erros comuns para evitar na hora de fazer a receita

Pudim de leite - Getty Images/iStockphoto
Pudim de leite Imagem: Getty Images/iStockphoto

Samantha Cerquetani

Colaboração para Nossa

23/08/2020 04h00

Só de olhar para o pudim já dá água na boca! A sobremesa faz sucesso em diversas ocasiões desde almoços em família a festas mais requisitadas.

Mas, apesar de ser uma receita simples, alguns erros na hora do preparo podem comprometer bastante o sabor do pudim e até mesmo a sua consistência.

"Por levar poucos ingredientes, muitas pessoas acreditam que preparar um pudim é uma tarefa fácil. A verdade é que demanda bastante técnica e tempo.

Temos que ter cuidado e paciência desde a hora do preparo da calda até o momento de desenformar, pois qualquer erro pode arruinar todo o processo", explica o chef Diego Sollon, proprietário da marca Só Pudim.

O pudim tradicional leva leite condensado, ovos, leite e açúcar para a calda caramelizada. Mas, é possível variar nos sabores e preparar com coco, tapioca, chocolate, leite em pó, frutas vermelhas, nozes, entre outros ingredientes.

Confira, a seguir, algumas dicas para não errar na receita e fazer um pudim perfeito.

1. Com ou sem furinho

Essa questão divide opiniões. A verdade é que com ou sem furinhos, o pudim continua saboroso. "Os furinhos no pudim não são um defeito, apenas significam que a massa foi mais aerada. Se você gosta de pudim mais lisinho e sem furos, deve peneirar e misturar os ingredientes à mão, com um fuê, sem bater muito. Mas se sua preferência é o pudim furadinho, bata bem no liquidificador para entrar ar na massa", explica a personal chef Bianca Folla.

Para pudins lisinhos, fique de olho na temperatura que deve ser baixa e o preparo precisa ser realizado de forma lenta.

2. Calda amarga

Imagine experimentar um pudim e a calda estiver com gosto de queimado? Acontece bastante com quem não tem experiência e compromete muito a sobremesa. A calda fica amarga porque o açúcar queima.

Calda de pudim - Getty Images/iStockphoto - Getty Images/iStockphoto
Calda amarga, gosto de ovo? Salve seu pudim!
Imagem: Getty Images/iStockphoto
Ao prepará-la, é importante prestar muita atenção na temperatura do caramelo que não pode ultrapassar 190°C. Se não tiver um termômetro, verifique a cor ---quanto mais escura, mais amarga será o resultado final.

"Quando o açúcar começar a caramelizar, diminua o fogo. E quando a calda estiver na cor de caramelo claro, coloque a água fervendo e mexa até dissolver todos os torrões de açúcar", aconselha Marcos André Martins, chef confeiteiro e proprietário do Senhor Pudim.

3. Cheiro de ovo

Para evitar esse odor desagradável, coe as gemas antes de adicionar à mistura. Além disso, a recomendação é sempre comprar ovos frescos. Quanto mais velho for este insumo, mais intenso será o seu cheiro.

Outra forma de driblar esse problema é usar alguma essência como extrato, pasta ou fava de baunilha para aromatizar o pudim.

4. Banho-maria

O pudim deve ser preparado em banho-maria para deixar a receita cremosa. E o erro mais comum está na alta temperatura da água que é colocada na forma. Não é recomendado utilizar morna ou quente, pois isso acarretará na coagulação precoce da gema, o que faz com que o pudim tenha uma textura "grosseira".

Outra dica: coloque água na altura do creme de pudim para evitar que ela seque durante o preparo e corra o risco de queimar. Em excesso, a água pode transbordar no pudim. É importante usar sempre temperaturas baixas durante todo o tempo de cozimento.

Pudim é sempre delicioso, mas não precisa ser sempre igual - Getty Images - Getty Images
Imagem: Getty Images

5. Quantidade de ingredientes

Para quem não tem muita experiência, o ideal é seguir uma receita padronizada. Fazer alterações nos ingredientes e na quantidade pode alterar o sabor e a consistência do pudim. É importante pesar todos os itens, utilizar os ovos dos mesmos tamanhos e medir os produtos em xícaras ou copos do mesmo modelo.

A proporção também é importante, já que estrutura do pudim é dada pela quantidade de ovo. Se colocar mais leite do que a receita pede e não corrigir a proporção dos ovos, por exemplo, ele pode ficar mais aguado e não atingir a textura esperada.

6. Tempo de preparo

A relação entre o tempo e a temperatura é primordial para o sucesso do pudim. Ele não pode ficar mais tempo do que o necessário no forno ou pode grudar ou queimar na forma.

"Se não respeitar o tempo de cozimento e retirar o pudim antes do previsto, ele não ficará firme, mesmo depois de passar horas sob refrigeração", explica Sollon. Por isso, preparar um pudim exige paciência, uma vez que pode demorar horas para ficar pronto contando com o período de refrigeração.

Mulher olha no forno - Getty Images - Getty Images
Nada de ansiedade: dê o tempo certo ao seu pudim
Imagem: Getty Images

7. Papel-alumínio

Uma dica para não formar uma crosta ressecada no pudim: cubra com papel-alumínio durante o cozimento. A parte brilhante deve estar para dentro. Mas evite encostar na massa durante a cocção.

8. Na hora de desenformar

Deixar o pudim esfriar e respeitar o seu descanso de geladeira é o fator mais importante para que na hora de desenformar o pudim saia inteiro. Nunca desenforme quente, pois ele ainda não adquiriu a textura de corte e não estará firme. Para desenformar o pudim, é necessário deixá-lo esfriar pelo menos umas 3 h na geladeira.

"O ideal é desenformar o pudim quando estiver frio. Também vale aquecer o fundo da forma rapidamente na chama do fogão ou em banho-maria.

Outra alternativa é passar a faca nas laterais para o ar poder entrar e o pudim sair perfeito", completa Helen Fernanda de Ataíde, professora do curso de Gastronomia do Centro Universitário Senac - Santo Amaro.

Mais receitas de pudim

Pudim de laranja