PUBLICIDADE
Topo

De covid-19 a Bolsonaro: como viajantes estrangeiros veem o Brasil agora?

O francês Joakim Kudawoo e mais quatro viajantes contam como as notícias sobre o Brasil devem influenciar próximas visitas ao país - Arquivo pessoal
O francês Joakim Kudawoo e mais quatro viajantes contam como as notícias sobre o Brasil devem influenciar próximas visitas ao país
Imagem: Arquivo pessoal

Marcel Vincenti

Colaboração para Nossa

15/08/2020 04h00

No exterior, o Brasil sempre foi sinônimo de música, festa e belas paisagens naturais. Em 2020, entretanto, o país tem ocupado manchetes no mundo todo com assuntos para lá de polêmicos: altos índices de contaminação por covid-19, incêndios na Amazônia e a presidência de Jair Bolsonaro.

Tudo isso tem impactado na visão dos estrangeiros em relação ao território verde e amarelo e cinco viajantes que, no passado, visitaram ou pensaram em visitar o Brasil, contam ao Nossa como isso influencia seus planos de virem ao país.

Joakim Kudawoo, francês, 25 anos

Joakim Kudawoo na Chapada Diamantina - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Joakim Kudawoo na Chapada Diamantina
Imagem: Arquivo pessoal

Relação com o Brasil: morou e fez turismo no país em 2017.

Que notícias têm lido sobre o Brasil? Joakim conta que, desde 2019, a imprensa francesa tem produzido muitas reportagens negativas sobre o Brasil. Ele cita o caso em que Bolsonaro endossou um comentário ofensivo à primeira-dama francesa em uma rede social, em um momento em que recebia críticas do presidente da França, Emmanuel Macron, por causa dos incêndios na Amazônia.

"Isso foi muito mal visto por todo o povo francês", diz ele. "Também temos lido que a situação do Brasil em relação à pandemia é bem problemática, com muitas mortes e grande parte das pessoas não respeitando a quarentena".

Sua opinião sobre o Brasil mudou? Joakim conta que se encantou pelo território brasileiro quando esteve aqui. "As pessoas aí são agradáveis, a comida é deliciosa e há lindos lugares para visitar", afirma ele, dizendo que, apesar das notícias negativas que chegam à França, ainda tem uma boa imagem do Brasil.

Pensa em visitar o país no futuro?

Quero viajar de novo pelo Brasil, mas não visitaria o país em breve", diz o francês.

"Não sei como o sistema de saúde de vocês está funcionando, se há camas suficientes para pessoas contaminadas com o coronavírus. A situação da pandemia aí não parece controlada".

Costa Mavroleon, norte-americano, 29 anos

Costa Mavroleon no Brasil - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Costa Mavroleon no Brasil
Imagem: Arquivo pessoal

Relação com o Brasil: Estudou português no Rio de Janeiro e já viajou diversas vezes pelo país.

Que notícias têm lido sobre o Brasil? "Na imprensa, tenho lido que o Bolsonaro é uma pessoa terrível, pela maneira como ele lida com a Amazônia e o coronavírus. Mas fico hesitante em comprar completamente esta ideia. Parece que, mesmo quando ele faz algo certo, a imprensa o critica", avalia.

Sua opinião sobre o Brasil mudou? "Ainda tenho a mesma opinião positiva sobre o Brasil. Já estive em mais de 100 países e, para mim, vocês são o povo mais amigável do mundo", elogia.

Mas o Brasil é também um dos país mais perigosos que já visitei. E penso que, com a crise econômica gerada pela pandemia, a violência por aí pode ficar ainda pior".

Pensa em visitar o país no futuro? "Durante o inverno [no Hemisfério Norte], sempre pesquiso lugares da América Latina para visitar, por gosto de calor. E eu definitivamente visitaria o Brasil de novo, ainda mais agora que nós não precisamos mais tirar visto para entrar aí. E a situação da pandemia no Brasil não me assusta tanto, pois é um país que está com uma realidade parecida com a dos Estados Unidos".

Ben Shragge, canadense, 34 anos

Ben Shragge no Nordeste do Brasil - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Ben Shragge no Nordeste do Brasil
Imagem: Arquivo pessoal

Relação com o Brasil: Viajou pelo Sudeste e Nordeste brasileiros em 2019.

Que notícias têm lido sobre o Brasil? "As notícias não são boas. Tenho recebido muitas informações sobre os incêndios na Amazônia e sobre povos indígenas que estão ameaçados pelo coronavírus", conta o canadense.

Sua opinião sobre o Brasil mudou? Ben afirma que, mesmo com estas notícias, ainda preserva uma boa imagem do Brasil. "Sei que o país de vocês é um lugar enorme, complexo e que abriga muitas coisas boas. Quanto estive aí, vivi grandes experiências. Curti o Carnaval, subi no Pão de Açúcar e conheci praias do Nordeste. É um lugar com muitas belezas naturais. Tudo isso é maior do que as crises pelas quais passa o país".

Pensa em visitar o país no futuro? "Eu não faria nenhum tipo de viagem internacional neste momento, para nenhum lugar. Até que haja uma vacina contra o coronavírus, não me sentirei confortável para viajar. Não seria uma situação agradável me ver doente e hospitalizado em um país estrangeiro.

Mas, quando houver uma vacina, adoraria voltar ao Brasil".

Ben também diz achar que, quando a pandemia acabar, os brasileiros farão um enorme Carnaval (e ele gostaria de estar presente nesta festa).

Sergio Ligero, argentino, 61 anos

Sergio Ligero em Ilhabela, em São Paulo - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Sergio Ligero em Ilhabela, em São Paulo
Imagem: Arquivo pessoal

Relação com o Brasil: Já fez turismo no país cinco vezes.

Que notícias têm lido sobre o Brasil? "Na Argentina, os meios de comunicação falam muito sobre como o presidente Bolsonaro está administrando a questão da pandemia no Brasil", conta Sergio, dizendo que uma das principais questões levantadas é o alto número de mortes pelo coronavírus registrados no Brasil - que, neste mês de agosto, ultrapassou os 100 mil óbitos.

Sua opinião sobre o Brasil mudou? "Amo o Brasil. É um lugar enorme e belíssimo.

E ações tomadas por políticos jamais vão mudar a opinião que tenho de qualquer país do mundo.

Sempre tive boas experiências no Brasil, visitando o Rio de Janeiro, Ouro Preto e a Bahia. Gostaria de voltar no futuro".

Pensa em visitar o país no futuro? Sergio, entretanto, diz que não visitaria o Brasil em um curto prazo. Ele afirma que, quando for possível viajar de novo, dará prioridade para países que apresentaram menores índices de disseminação da covid-19.

Maxine Louisa Fodor, norte-americana, 31 anos

Maxine Louisa Fodor - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Maxine Louisa Fodor
Imagem: Arquivo pessoal

Relação com o Brasil: Antes da pandemia, queria fazer sua despedida de solteira no Rio de Janeiro.

Que notícias têm lido sobre o Brasil? "A situação do coronavírus no Brasil está frequentemente nas notícias. É uma das coisas que mais tenho ouvido falar sobre o país", diz Maxine. "É uma situação parecida com a que acontece nos Estados Unidos".

Sua opinião sobre o Brasil mudou? "Isso não mudou a minha opinião sobre o Brasil", relata a norte-americana. "É um lugar que ainda quero visitar. Penso no Brasil e me vêm à cabeça coisas como música, dança, praias e Carnaval. Sempre quis visitar o Brasil e planejava fazer minha despedida de solteira aí, junto com minhas amigas.

Ainda acho que é um destino que merece ser visitado".