PUBLICIDADE
Topo

Como montar um quarto seguro (e lindo) para seu bebê; veja dicas

Segurança e conforto são essenciais para deixar o quarto do bebê pronto para recebê-lo - Getty Images/iStockphoto
Segurança e conforto são essenciais para deixar o quarto do bebê pronto para recebê-lo
Imagem: Getty Images/iStockphoto

Claudia Dias

Colaboração para Nossa

04/08/2020 04h00

Planejar o quartinho de um bebê está longe de ser preocupação exclusivamente estética. Além de deixar o cômodo aconchegante e confortável para o futuro "dono", deve-se pensar, também, na segurança do pequeno, não só enquanto recém-nascido mas, também, quando já estiver maiorzinho. Aí é que bate a dúvida: o que precisa ser feito?

Alguns detalhes importantes devem ser observados e respeitados na montagem de um quartinho para a segurança - e, consequentemente, saúde - do bebê.

Layout prático

A primeira preocupação que deve existir ao planejar o quartinho do bebê é que a disposição dos móveis precisa ser funcional. Berço, cômoda e trocador, cadeira de amamentação e cama de apoio têm de estar bem posicionados, para que a rotina ali seja eficiente.

O que isso tem a ver com a segurança do recém-nascido? Com a circulação fácil e os espaços bem definidos, mãe, pai e outros adultos conseguem se locomover e acessar tudo rapidinho, sem risco de trombar em móveis mal-posicionados com o bebê no colo.

Tudo à mão

Da mesma forma, deve ser previsto que as estruturas de apoio para a logística do dia a dia sejam realmente úteis e bem localizadas. Nichos e espaços para fraldas, por exemplo, precisam ficar perto do local em que as trocas de fralda vão acontecer, assim como os itens do kit de higiene.

Com tudo a um esticar de braço, o responsável alcança o que quiser, sem deixar de cuidar do bebê em cima do trocador.

Quinas protegidas

Cuidado básico nos quartos de bebês é adotar móveis com cantos arredondados ou, no mínimo, proteger as quinas, como nesse projeto da Très Arquitetura - Evelyn Müller - Evelyn Müller
Cuidado básico nos quartos de bebês é adotar móveis com cantos arredondados ou, no mínimo, proteger as quinas, como nesse projeto da Très Arquitetura
Imagem: Evelyn Müller

Cantos pontudos não combinam nada, nada com o ambiente habitado por um "ser humaninho". As quinas não são perigosas apenas quando o bebê começar a levantar, já que podem ser uma armadilha para qualquer pessoa que transite muito por ali. O risco é agravado se o quarto for pequeno e os móveis estiverem muito perto uns dos outros.

Há algumas opções: comprar ou encomendar móveis sob medida com cantos arredondados ou, então, optar por protetores específicos disponíveis no mercado. Pode-se ainda reforçar a proteção dos móveis de madeira com o uso de futons.

"Tampinhas" nas tomadas

Considerando a fase em que os bebês começam a percorrer o quarto, também deve-se proteger tomadas. Nesse caso, um recurso simples e eficiente é adotar protetores de plástico que são encaixados na estrutura e servem como uma espécie de tampa. Em relação aos interruptores, melhor que estejam fora do alcance da criança.

Berço acessível

No projeto da TT Interiores, o berço fica longe da janela e perto do acesso à porta. A divertida prateleira embutida simula uma árvore, com os nichos no alto da parede, sem risco de ser alcançada facilmente pelo bebê mais grandinho - Gisele Rampazzo - Gisele Rampazzo
No projeto da TT Interiores, o berço fica longe da janela e perto do acesso à porta. A divertida prateleira embutida simula uma árvore, com os nichos no alto da parede, sem risco de ser alcançada facilmente pelo bebê mais grandinho
Imagem: Gisele Rampazzo

A primeira coisa que o adulto deve enxergar, quando entra rapidamente no quarto do bebê, é o berço. Por isso, sempre que possível, a indicação é que seja instalado perto do acesso à porta - porém, não deve estar "grudado" à entrada ou a uma janela, para fugir de correntes de ar.

Móveis sem muito frufrus

Nichos de parede com dezenas de recortes podem até ser lindos, mas geralmente acumulam mais poeira do que as versões mais minimalistas. Além disso, as estruturas retas e simples são bem mais fáceis de limpar. Com limpeza completa e constante, o filhote não corre o risco de ser afetado pelo excesso de pó.

Os nichos pelo quarto não devem ser sobrecarregados com itens pesados, sobretudo quando localizados perto do berço. A arquiteta Cristiane Schiavoni adotou estruturas arredondadas para acomodar apenas itens decorativos  - Carlos Piratininga - Carlos Piratininga
Os nichos pelo quarto não devem ser sobrecarregados com itens pesados, sobretudo quando localizados perto do berço. A arquiteta Cristiane Schiavoni adotou estruturas arredondadas para acomodar apenas itens decorativos
Imagem: Carlos Piratininga

Prateleiras e nichos altos

Outra preocupação deve ser a montagem das prateleiras e nichos no alto das paredes. Devem estar acima do alcance do bebê, inclusive quando ele começar a se levantar no berço. Além disso, é melhor que se evite preencher estantes e vãos suspensos com itens do dia a dia pesados, para que não haja o risco de eles tombarem em cima da caminha.

Trocador na altura certa

Recomenda-se também que a cômoda-trocador tenha tamanho adequado à estatura dos pais, para que não fiquem mal posicionados durante a troca de fraldas - garantindo agilidade em eventuais emergências e prevenindo dores nas costas, é claro!

Em média, os móveis apresentam 90 centímetros de altura, o que pode variar para se ajustar à altura dos adultos.

Piso quente e fácil de limpar

No chão, o mais indicado é que o piso seja de fácil limpeza e, preferencialmente, de material considerado mais quentinho. O vinílico é considerado perfeito, enquanto o porcelanato é o menos indicado para o ambiente.

Mas se a estrutura indicada não bater com o gosto dos pais ou o imóvel já tiver um outro tipo de pavimento, a sugestão é adotar tapetes (antialérgicos e laváveis) com base emborrachada, para não se revelar escorregadio.

Apoio para a mãe

Mamãe que passa horas amamentando precisa de apoio para se sentir confortável. A cadeira ganha reforço para os pés. E a mesinha lateral está posicionada em local estratégico, neste projeto da Très Arquitetura - Evelyn Müller - Evelyn Müller
Mamãe que passa horas amamentando precisa de apoio para se sentir confortável. A cadeira ganha reforço para os pés. E a mesinha lateral está posicionada em local estratégico, neste projeto da Très Arquitetura
Imagem: Evelyn Müller

Cuidado extra para a mulher que amamenta - e, consequentemente, segurança para o bebê - é oferecer certo conforto e praticidade na hora da amamentação.

Isso significa, além de uma boa poltrona, disponibilizar uma banqueta para esticar as pernas e mesa de apoio, suficiente para acomodar um copo d'água ou algum outro item útil. Se a peça for grande, é boa ideia manter um abajur ali.

Neutralidade no quarta da menina e iluminação na medida certa: os pendentes em formato de nuvens são dimerizáveis neste quarto projetado por Caravieri Cardoso Arquitetura - 2S Studio - 2S Studio
Neutralidade no quarta da menina e iluminação na medida certa: os pendentes em formato de nuvens são dimerizáveis neste quarto projetado por Caravieri Cardoso Arquitetura
Imagem: 2S Studio

Luz natural moderada

É ótimo deixar o sol entrar dentro de casa, pois significa um ambiente mais saudável. Entretanto, é recomendado filtrar os raios ultravioletas para que o bebê possa aproveitar a luz de qualidade, com segurança. Assim, vale a pena instalar cortinas de tecido - antialérgicas, por favor - ou persianas com tela solar, antitérmicas e fáceis de ser higienizadas.

Controle da iluminação

E já que falamos nisso, a luz artificial não deve incidir diretamente sobre o bebê. De forma geral, plafons ou pendentes que sejam de luz indireta são mais indicados, pois proporcionam iluminação suave e uniforme.

Já para a luminosidade secundária, abajures e arandelas com cúpulas são boas opções, assim como spots em pontos focais. Por fim, o uso de luzes dimerizáveis é recomendado para se aumente ou diminua a intensidade da luz conforme a necessidade.

Fontes: Carmel Caravieri (Caravieri Cardoso Arquitetura); Cristiane Schiavoni; Fernanda Morais, Fernanda Tegacini e Nathalia Mouco (Très Arquitetura); as designers de interiores Tássia e Thaísa Pereira (TT Interiores); e Gabriela Yokota, da área de produtos e tendências da Yamamura.