PUBLICIDADE
Topo

Bebida na pandemia: bartenders dão dicas para não perder a linha em casa

Getty Images
Imagem: Getty Images

Pedro Marques

Colaboração para Nossa

31/07/2020 04h00

Dizer que as pessoas estão bebendo mais em casa é chover no molhado. Com os bares fechados desde março (e a reabertura ainda tímida em boa parte do país), essa é a saída que restou para quem gosta de tomar um trago. As vendas no varejo de bebidas alcoólicas, por exemplo, cresceram 22,5% desde o começo da pandemia, segundo dados da Kantar Ibope Media, empresa especializada em pesquisa de mercado.

O que chama a atenção é a quantidade. Levantamento realizado com 44.062 pessoas pela Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) em parceria com a UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) e a Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), afirma que 18% dos brasileiros estão bebendo mais do que antes da pandemia de coronavírus. O motivo não é legal: 24% dos entrevistados disseram estar mais tristes por causa da atual situação, levando-os a consumir mais álcool.

Para que isso não se torne um problema mais grave, entidades e representantes do setor estão reforçando a importância de não passar da conta durante a quarentena. Para 2020, a Abrabe (Associação Brasileira de Bebidas) lançou uma campanha com o chef e jurado do MasterChef Brasil Erick Jacquin sobre o consumo responsável.

tim tim - Optar por coquetéis mais leves e evitar beber por dias seguidos são ações que contribuem para o "beba com moderação" - Getty Images - Getty Images
Optar por coquetéis mais leves e evitar beber por dias seguidos são ações que contribuem para o "beba com moderação"
Imagem: Getty Images

Já os representantes de grandes marcas, que geralmente trabalharam por bons anos atrás do balcão, se valem dessas vivências para mostrar que é possível se divertir sem ter consequências mais sérias. "É muito fácil perder o limite, ainda mais no meio de uma pandemia, os sentimentos estão aflorados", reconhece Paulo Freitas, embaixador da empresa italiana Campari, que além do aperitivo tem vários destilados em seu portfólio.

No atual momento, Freitas sugere que as pessoas apostem em coquetéis mais leves e evitem beber por dias seguidos. "Tem que dar um tempo para o organismo se recuperar", diz. Outras recomendações do profissional valem mesmo para quando a pandemia passar: tomar bastante água entre os drinques e não beber de estômago vazio, para o dia seguinte não virar um pesadelo.

tim tim - A mesma regra de beber com consciência e sem exagero vale para o isolamento - Getty Images - Getty Images
A mesma regra de beber com consciência e sem exagero vale para o isolamento
Imagem: Getty Images
Já Rafael Mariachi, embaixador da Pernod Ricard, sugere que as pessoas inventem momentos especiais para apreciar um coquetel. "Você pode continuar agindo como se estivesse indo a um bar antes da pandemia, apenas em alguns dias da semana, e até comprar drinques engarrafados", diz. "Fazer coquetéis em casa também pode ser um jeito de parar para apreciar as bebidas", afirma Mariachi.

Tanto Freitas e Mariachi acreditam que, com cuidado, a pandemia pode deixar lições positivas. "A quarentena fez as pessoas perderem o estigma de que beber em casa é algo ruim", afirma Freitas. "E, sem a pressão social de um bar, em que você tem que estar sempre com um copo na mão, é possível buscar qualidade e consumir doses menores", acrescenta Mariachi. "Sabendo dosar, é possível sair da pandemia sem ter problemas maiores para resolver", diz Freitas.