PUBLICIDADE
Topo

Olho de cabra e cérebro: vencedora do 1º "No Limite" relembra menu bizarro

Zeca Camargo apresentava o reality "No Limite"  - Roberto Steinberger/TV Globo
Zeca Camargo apresentava o reality "No Limite" Imagem: Roberto Steinberger/TV Globo

Eduardo Vessoni

Colaboração para Nossa

24/07/2020 12h56

Neste domingo, ao meio-dia, o apresentador Zeca Camargo recebe no programa #BrasilCozinhaComigo, ao vivo no YouTube de Nossa, a vencedora da primeira edição de "No Limite", a cabeleireira Elaine Melo.

A conversa marca os 20 anos da estreia do primeiro reality da TV brasileira, apresentado por Zeca na Rede Globo, que levou para Barra da Sucatinga, em Beberibe, no litoral do Ceará, participantes dispostos a encarar testes de resistência (física e psicológica) e se alimentar com comidas nada convencionais.

Mesmo duas décadas depois dos perrengues, Elaine não consegue esquecer um dos clássicos da cozinha bizarra do "No Limite": olhos de cabra servidos crus e que deveriam ser mordidos antes de serem engolidos.

"Foi mais pela aflição de ver os olhos dentro de um vidro do que pelo gosto da comida. Não é ruim, parece tinta de polvo", relembra em entrevista a Nossa.

Outra iguaria que a cabeleireira tem até hoje na memória (e até comeria outra vez se alguém preparasse para ela) é o cérebro de bode servido no crânio do animal.

Não sei se a fome era tanta, mas eu amei. Estava bem feitinho e servido com molho"

Porém, as refeições não eram só os banquetes exóticos oferecidos pela produção.

Além de procurar os seus próprios alimentos, os participantes recebiam uma caixa de mantimentos básicos a cada três dias ("do tamanho de uma caixa de sapato") com produtos como carne de soja, batatas, cenoura, alho e mel. "O único açúcar que tínhamos à disposição durante todo o programa", conta.

"Em 24 dias de gravação, perdi 12 quilos", lembra Elaine, que chegava a andar de 20 a 25 quilômetros por dia para a realização das provas.

elaine no limite - Divulgação - Divulgação
Elaine (última à direita), durante prova do programa: mais de 12 quilos perdidos em 24 dias
Imagem: Divulgação

O bailarino Vanderson, um dos colegas de Elaine no programa, lembra do sentimento quando se viram largados no paraíso:

Um olhava para a cara do outro e dizia 'a Globo não vai deixar a gente no mato, passando fome'"

Fome não passaram, mas a cada refeição era um perrengue novo.

Menu surreal

A gastronomia do programa incluía também iguarias como caracóis encontrados na beira de um rio próximo às locações de gravação e ouriço vivo, que Elaine deu uma aula completa para a reportagem sobre como prepará-lo sem se machucar. "Tem uma boquinha embaixo dele que é só enfiar uma faca para abrir e comer seu interior".

no limite jantar - Divulgação/TV Globo - Divulgação/TV Globo
Zeca Camargo (no centro) em jantar com participantes durante o programa
Imagem: Divulgação/TV Globo

Nas três temporadas seguintes, o cardápio do programa foi se sofisticando e as opções seriam farinha de gafanhoto, testículo de búfalo, vermes vivos e até cabeça de galinha (com crista e tudo) ao pequi.

"Dessa vez eu teria perdido a prova. Eu não comeria cabeça com bico e tudo", diz aliviada por ter sido poupada da experiência.

Para enganar a fome

Nesta semana, um grupo de ex-participantes da primeira edição do 'No Limite' lançou um perfil no Instagram @nolimite20anos para a comemoração dos 20 anos da primeira edição, celebrados na última quinta-feira, e relembrar alguns momentos do programa.

Apesar da gastronomia de gosto duvidoso, Elaine fala das privações com muito bom humor e sem traumas alimentares. "A experiência de comer foi diferente para cada um e, no meu caso, não me afetou em nada, Eu vou deletando tudo aquilo que me faz mal".

"Até chegarmos na praia, no meio do mato, ninguém acreditava que íamos passar pelo que passamos", relembra Vanderson em um vídeo publicado no perfil recém-criado.

elaine no limite - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Elaine hoje tem um salão de cabeleireiro em São Paulo
Imagem: Arquivo pessoal
Para dar conta daquilo tudo, Elaine usava truques que ajudavam a enganar a fome.

"Uma vez eu li que se a gente girar no sentido horário em um local com água sem correnteza, isso hidrata o corpo e ajuda na captação de minerais. É um relaxamento profundo", completa.

E as técnicas não paravam por aí.

A cabeleireira lembra também que para facilitar a salivação, colocava pedra debaixo da língua nos momentos em que não havia água para beber.

Longe das câmeras, Elaine atua hoje em um salão de beleza na Vila São Francisco, na Zona Oeste de São Paulo.

#BrasilCozinhaComigo

O #BrasilCozinhaComigo é a nova série de Nossa, o canal de lifestyle do UOL. Todo domingo, Zeca Camargo recebe um convidado de uma região diferente do país, para trocar receitas e histórias. A próxima live acontece no domingo (26), ao meio dia, no Youtube de Nossa. Além de Elaine, de "No Limite", Zeca receberá o chef Arthur Lira, de João Pessoa, para cozinhar o prato Sinfonia do Mar.